Indústria Homeopática ameaça Blogueiro

A maior fabricante de produtos homeopáticos no mundo, presente em 59 países e com vendas anuais superiores a meio bilhão de dólares, exigiu que o italiano Samuele Riva removesse “em 24h” dois textos em que ousou ilustrar um produto da indústria com as legendas de que ele “não contém uma única molécula de substância ativa” e assim “ataca gravamente a inteligência (do consumidor)“.

De acordo com o British Medical Journal, a empresa também ameaçou o provedor que hospeda o blog de Riva, exigindo igualmente que bloqueasse acesso aos artigos.

O caso ilustra como a homeopatia não é a alternativa desinteressada em lucros que seus apologistas costumam vender.

Pode sim ser uma indústria pequena comparada com as gigantes do setor farmacêutico, mas então, é também um nicho diferente: investe vinte vezes mais em marketing do que em pesquisa. Afinal, os princípios homeopáticos são dogmas estabelecidos há séculos e que permanecem sem comprovação científica até hoje.

Alguns podem considerar que o caso demonstre apenas que “essa indústria não pratica homeopatia de verdade“, assim como horóscopos de jornal “não são astrologia de verdade“, recorrendo a uma falácia. No Brasil, quando anunciamos nossa participação no protesto mundial ingerindo uma “overdose” homeopática, a presidente da Associação Brasileira de Farmacêuticos Homeopatas divulgou nota sugerindo que o ato de livre manifestação podia ser um “crime” a ser  “impedido pelas autoridades“.

Negócios, negócios, ciência à parte. [Acompanhe o desenrolar da história no blog de Riva e em Esowatch]

  • Rodrigo Nascimento

    É muito fácil apegar-se a maus exemplos para generalizar.
    Se a “indústria da homeopatia” é apenas um engodo, como seus dogmas podem resistir a séculos de investidas céticas?
    E, por favor, me traga uma justificativa melhor que “investimentos em marketing”. A indústria do cigarro investe muito mais em marketing e nem por isso o consumo deixou de diminuir com o passar dos anos.
    Até onde sei, o método científico não se destina a encontrar um vencedor entre aqueles que acreditam e não acreditam na homeopatia (ou qualquer outra ciência), mas comprovar sua eficácia sem generalizar.
    Ao invés de remeter a reportagens de sensacionalistas, que tal estabelecermos um dialógo entre os interessados?

  • Pois é… e assim os espertos vão ganhando dinheiro dos manés, que querem acreditar que água e farinha curam. Não sei se eu tenho dó ou raiva da ignorância do povo…

    • flasHQ

      o que te incomoda, o fato de pessoas se sentirem bem usando produtos que são de açúcar (de farinha eu nunca vi, tá confundindo com placebo) ou água sem precisar tomar alopatia que tem varias substancias prejudiciais de bônus, ou o fato de não ser você quem está faturando com os ditos ignorantes?

      Dó e raiva são sentimentos de menos valia, o ideal seria você viver sua vida sem nenhum deste sentimentos que só fazem mal a você mesmo. Não existe remédio para isto, mas várias linhas filosóficas que apontam o caminho para resolver esta inquietação negativa dentro de você.

      Procure o caminho da felicidade em vez de lamentar este tipo de sentimento. Se a pessoa aceita “ser enganada” é problema dela, não sofra você por isto, tem muitos problemas piores no mundo pra você gastar sua energia.

  • Anônimo

    por que se esforçam tanto pra se mostrarem uns chatos que não respeitam a liberdade das pessoas em consumirem um produto mesmo que a ciência não julgue eficiente?

    Não veem que ninguém está sendo enganado, mas sim vocês estão desrespeitando a nossa sensibilidade em querer ou sentir um beneficio fora da ciência convencional?

    Se julgam burros as pessoas que consomem este tipo de produto, é problema de vocês, mas é estranho acharem normal fazerem uma série de ação contra algo e usarem uma resposta como um tipo de prova de interesse.

    Qualquer tipo de atividade, até mesmo uma atividade cultural sem fins lucrativos necessita de algum tipo de movimento financeiro para existir.

    Se alguém com um dito efeito placebo se cura de algum sintoma sem precisar se envenenar com substancias repletas de efeitos colaterais, sorte a dele, sorte a minha e sorte de muitos outros.

    acredito muito que a mente é capaz de curar mais que quaisquer remédio e se somos doentes, muitas vezes é culpa de nossa mente desequilibrada, seja por nossas decisões ou por ignorância, se precisamos de um elemento externo para convencermos a nossa própria mente de agir certo e uma destas substancias é a homeopatia, qual o problema?

    Só insiste na homeopatia quem se beneficiou com ela, ninguém é tão idiota assim de insistir em algo que não faz nada ou faz mais mal que bem, por isto mesmo evito a alopatia, me faz mais mal que bem, só em casos muito graves me permito usar ela, sem problema, mas no geral, enquanto eu acreditava só na alopatia vivia doente, quando percebi que tinha outras alternativas e que dependia mais de minhas atitudes do que qualquer coisa, minha vida começou a melhorar.

    Era criança, e minha mãe me dava homeopatia sem eu saber para que serviriam aquelas bolinhas doces, e funcionaram, usam homeopatia em animas com bons resultados, eu tenho varias explicações para o seu efeito que um materialista jamais iria querer entender, agora se não respeitam nossa sensibilidade, por que se acham no dever de tentar nos defender e nos proteger de um mal que não existe?

    O mal está no interesse da industria farmaceutica que não respeita o livre arbítrio de escolhermos que linha de tratamento queremos seguir.

    Respeitem nossa inteligencia e nosso direito de escolha e estudem/trabalhem em busca de remédios alopáticos menos agressivos.

    A ciência materialista explica pouco, principalmente em se tratando de problemas práticos por conta de seus interesses, respeitem nossa liberdade de ouvir outras explicações. Prefiro quando nos ignoram do que quando tentam nos proteger contra nossa vontade de ser protegidos… Se um dia, alguém for envenenado tomando homeopatia, denunciem, agora se simplesmente não aceitam os “supostos benefícios” nos deixem em paz…

    • Anônimo

      Peraí. O post é sobre uma gigante homeopática que fatura milhões acusar um blogueiro de cometer um crime e exigir, com ameaças judiciais, que ele retire posts em seu blog pessoal…

      E os “chatos” são aqueles que simplesmente publicam críticas e promovem protestos?

      Não leve isto para o lado pessoal. Ninguém o chamou de burro. Ninguém o está impedindo de acreditar no que queira acreditar.

      Pessoal é quando você tem que prestar esclarecimentos na delegacia por causa de um BO, ou mesmo tem que se defender de denúncias de calúnia e difamação por simplesmente expressar sua liberdade de expressão acreditando que a informação pública é um grande bem.

      • Claro, porquê uma indústria que usa a homeopatia é “do mal” então o conhecimento “homeopatia” também é “do mal”. Francamente Kentaro, as vezes fica confuso se você é tão inteligente como monstra em outros posts. As suas briguinhas com o Marcelo acabam tirando muito da sua credibilidade. Não da pra julgar um conhecimento com base na atitude de pessoas que usam o conhecimento em questão. Vamos supor: Um médico vai lá e usa seu conhecimento cirúrgico para matar uma pessoa na mesa de cirurgia, logo a medicina cirúrgica é um conhecimento inválido e duvidoso. Po….a você se diz inteligente e lógico, então faz uma forcinha aí que não tá colando.
        Concordo plenamente com você, a homeopatia e horóscopos são conhecimentos bem duvidosos, mas é evidente que o Marcelo defende o lado dele (com base nas leituras e no que ele acredita), quando diz que uma coisa é astrologia e outra coisa são pessoas que não estudam e se dizem astrólogos (e colocam previsões em revistas).
        Tenho um amigo que foi contratado para fazer um programa pra criar horóscopos que ficou bem desacreditado quando a empresa pediu pra ele criar um sistema de resultados randômicos. Mais tarde ele descobriu que existiam outros programas de mapa astral que, através da data e localização especifica de planetas (e sei la o que) davam sempre os resultados correspondentes a cada informação específica.
        Os dois casos são astrologia? São a mesma astrologia?
        Acho que é essa a questão, você é bem inteligente, comece a criticar as coisas como gente grande, pq com esses argumentos ta parecendo mais um pirralho resmungando: “Deus não existeeeeee!!!!”

      • flasHQ

        A questão toda aqui é o interesse, a alopatia tem o interesse de monopolizar a saúde excluindo e desacreditando métodos alternativos, quando existe um mercado que supre ambos, tanta gente doente e precisando de cuidado e a industria do remédio prefere gastar tempo e dinheiro perseguindo e acusando outros métodos, a medicina oriental é milenar, trata a pessoa de dentro pra fora pra ela se prevenir de doenças, mas a medicina alopática a ignora. Quem é contra a homeopatia são os químicos e não as pessoas preocupadas com o bem estar das pessoas, isto tem que ficar claro. Acho que qualquer atitude que pode resultar em melhoria mesmo que apenas psicológica (que em meu ponto de vista já é um meio para a cura física) é digna de pelo menos respeito. Acho que tudo tem que ser feito com responsabilidade, imagine que hipoteticamente eu venha a ter uma doença como um câncer, vou lá fazer minhas quimos e tal, direitinho, mas paralelamente procure um acupunturista, um homeopata, tome uns florais pra equilibrar minhas energias, receba uns tratamentos de Reike, vou em um centro ouvir sobre como o corpo espiritual funciona e o que eu posso fazer pra atravessar esta faze ou me preparar para o um possível desencarne (não necessariamente por conta da doença) e etc…

        Um tratamento complementa o outro, não sei porque esta paranoia em querer desacreditar algo que como falei, funciona em crianças e animais, grupos que o efeito placebo não deveriam ter efeito pelo menos não psicologicamente. Se funcionam neste grupo simplesmente pela atenção dada a estes grupos e não por conta do produto oferecido em si, só demonstra que boa parte da metodologia da alopatia tá errando feio….

        Eu tenho TDAH, só descobri depois de adulto, remédios não me trouxeram benefícios, e como eu queria que dessem, pois seria o caminho mais fácil, mas eu tive que reavaliar as minhas posturas de vida sabendo o que me limitava, mas se minha experiencia particular de nada vale aqui, vou explicar que no inicio se dava calmantes para as crianças com TDAH e isto só agravava ainda mais os seus estados, até descobrirem que era com um estimulante que eles teriam o efeito “desejado”, com isto quero dizer que a biologia não é ciência exata que o simples raciocínio lógico funciona, todo mundo que toma homeopatia sabe que não está tomando nenhum principio ativo como a química entende, mas é exatamente uma alternativa da química que se procura na homeopatia.

        Qual o interesse de se atacar a homeopatia? Defender uma industria?

        qual o interesse de existir este post? Provocar outro colonista?

        Quem ganha com isto tudo? Eu não, pois vejo um desperdício de energia em algo que deveria ser entendido e respeitado em vez de se criar uma briga infrutífera.

        Uma moça relatou em um dos links que foi fazer um tratamento homeopático, na falta de resultado desistiu e por quase 4 anos não procurou acompanhamento médico até descobrir que estava com um desregulamento grave em seus hormônios, ela culpa a homeopatia… A pessoa é desleixada, abandona um tratamento no meio e não procura uma substituição (se ela tava fazer no um tratamento homeopático que não a satisfez é porque ela estava com algo que a incomodava, mas também não foi atras de outra forma de resolver) e culpa a homeopatia… O que a homeopatia tem de culpada se a pessoa é irresponsável/desinteressada com a própria saúde?

        Vejo pessoas que passam anos com dor, vão atrás de mil médicos e remédios e nada resolve, mesmo se entupindo de princípios ativos, uma regressão resolve o problema, os materialistas vão falar que é absurdo, mas isto não muda o fato d que aquelas pessoas se livraram de uma dor que as incomodavam por anos, digo isto por experiencia própria, mas como sempre minha experiencia não conta…

        Eu respeito a alopatia, acredito na ciência e seu aprimoramento constante, mas também vejo que existem alternativas que trazem benefícios, os resultados que obtive falam mais do que as campanhas materialista pelo simples fato de que a postura materialista que não me trouxe nada, mas eu respeito o livre-arbítrio de cada um, pena que parecem não respeitarem o meu. Querem falar para mim, o que é melhor para mim, mesmo a minha experiencia apontando outra coisa.

        Por que uma prótica não pode co-existir com a outra? E ainda alguém que não se interessa em ver meu ponto de vista, só se esforça para tentar provar que estou errado, sem nem se quer querer entender ou conhecer o meu lado diz que respeita as minhas “crenças”.

        (frase para reflexão) Se a homeopatia te fez mal, se a religião te fez mal, se o mundo te faz mal e por isto você acha que nada tem valor, talvez deveria se questionar se o mal não esta em como você anda interpretando as coisas…

        • tthales

          sobre o link em que a moça fala sobre o caso dela, acho que você não entendeu o ponto que ela  tentou expor: um homeopata não percebeu uma grave disfunção hormonal e o tratamento por ele ofereceu não surtiu efeito.

      • Rodrigo Lima

        Interessante. Mas me passou pela cabeça uma coisa. A empresa é uma gigante homeopática, oque isso quer dizer? Quer dizer que é uma empresa que lucrou muito com uma forma de tratamento não convencional e agora é uma empresa gigante, ta ok!. Eu só não entendi oque tem a ver a empresa processar uma pessoa por difamação ao fato de seguidores pregarem o ‘não lucro’ da homeopatia…Porque eu não entendi direito quem pregou essa forma desapegada do dinheiro, acredito que não foi a empresa processante BOIRON (que seja essa por ex) foi? Se foi, daí realmente seu post faz sentido. Caso contrário achei uma tremenda bobagem. Quantas ‘ empresas gigantes ‘ não lucram com formas de religião pelo mundo? Ah tá ok, você é cético e também acho errado e bla bla bla, eu também sou, porém não xiita como vocês….Acho que a forma de ‘ataque’ à homeopatia do post foi ruim. Atrelando uma empresa que lucra com uma forma de tratamento aberta a qualquer uma que queria investir na questão.

    • Hã-hã, Claudia. Senta lá!

      • flasHQ

        Que argumento…

  • Rafael Crimber Felippini

    Seria engraçado se não fosse tão triste.

  • Jio Freed

    Na verdade essa indústria só fez o que QUALQUER indústria que se sinta ameaçada por um blog faria.

    Se ele estivesse falando do leite da Itambé, a Itambé tentaria fechar o site. Se ele estivesse falando do Sarney, o Sarney tentaria fechar o site. Aliás, basta procurar na internet que vc vai achar casos muito similares a esse.

    Nada de dois pesos, duas medidas Kentaro. Não vamos tentar empurrar isso como uma “prova” de que a indústria homeopática é “malvada” junto com todas as outras “indústrias do mal”. Eles estão fazendo o que toda indústria ou pessoa faz quando se sente difamada. Poderiam estar vendendo o elixir dos deuses, capaz de curar qualquer doença, e, ainda assim, serem difamados.

    • Anônimo

      A crítica é ao fato de que a indústria homeopática não se vende como indústria. Se você a considera uma indústria como qualquer outra, então realmente nada disso deve surpreender.

      O detalhe que eu ressaltaria, contudo, é que praticamente todas as indústrias são submetidas às leis de proteção do consumidor, e as indústrias médicas ainda são sujeitas a regulações adicionais ainda mais rigorosas.

      Já a indústria homeopática se vê imune mesmo de comprovar que seus preceitos básicos tenham fundamento. Neste sentido, não é uma indústria como qualquer outra: é uma que desfruta de enormes privilégios.

      • flasHQ

        “as indústrias médicas ainda são sujeitas a regulações adicionais ainda mais rigorosas.”

        ainda bem, pois elas afetam diretamente a saúde de sues consumidores… o que tem de estranho nisto?

        “não é uma indústria como qualquer outra: é uma que desfruta de enormes privilégios.”

        e por que mesmo isto te incomoda?

        te garanto que se a homeopatia fosse uma fonte de perigos com pessoas morrendo por usar de forma errada, pra ter barato com seus produtos, a sociedade toda iria se movimentar para um maior controle, mas se elas só vendem água e açúcar que nada faz de bem ou mal, é uma industria “café com leite” como você diz, é natural que não se precise ter cuidados maiores com algo que não costuma prejudicar e pode até fazer bem para “quem acredita”.

        Hoje em dia, tudo que tem apelo popular vira industria, ou não existe toda uma indústria de livros com autores céticos e materialistas? Só não entendo qual o problema disto.

        Se eu pegar um post seu, falar que é seu, mas colocar frases que você não escreveu, frases esta que você não concorda, mesmo que sejam de verdades sobre a sua pessoa, você não faria um movimento para interromper este movimento? Então é errado impedir que alguém altere uma embalagem de seja qual for o produto se isto a incomoda?

        Por que não gasta energia com uma campanha contra drogas pesadas em vez de ir contra água e açúcar?

        Acho ótimo que mostrem como é feito um remédio homeopático como já foi feito aqui, como funciona o efeito placebo, acho muito legal dar estas ferramentas de conhecimento para as pessoas saberem exatamente onde e baseado em que estão se metendo, mas por que não mostra o outro lado? Você não se preocupa em mostrar o todo e deixar que as pessoas escolham, só quer provar que você entende o mundo de uma maneira e todos precisam ver o mundo por sua ótica, quem descordar dela, você irá tentar provar até o fim que ela está errada, afinal, você não pode estar errado… não é isto?

        Eu respeito muito seu trabalho, mas acho que ele é apenas uma meia verdade, se queremos um mundo melhor devemos mostrar o todo e respeitar a diversidade, sua visão é um complemento para se entender o mundo, não o manual único, não é porque alguém usa uma panela de arroz para fazer som e acha qui isto é algum efeito espiritual que não existam espíritos, quando você faz este tipo de associação, você só mostra o quão é preconceituoso com quem não compartilha a sua visão. Porque não mostra o que você acha, o que as pessoas envolvidas acham e deixa a pessoa escolher aquilo que lhe faz mais sentido? Por que simplesmente não dá a informação toda e deixa as pessoas escolherem por si? Você não se preocupa em informar e sim em provar a sua visão que tenho certeza que está certa para você, mas nem sempre é toda a verdade e sim apenas uma leitura da verdade.

        Você não sabe o que é mediunidade porque não trabalha a sua, e eu te respeito, pois também já fui extremamente materialista e dava varias explicações para as minhas impressões que negavam a mediunidade latente, mas se eu não tivesse encontrado um caminho diferente e insistisse no materialismo e não conhecesse amim mesmo, continuaria sendo ma pessoa triste e desmotivada, preconceituosa e dona da verdade, não to falando que todo materialista é assim, só to dizendo que para mim, o materialismo não resolveu, mas tenho certeza que existam pessoas que são felizes e equilibradas sendo materialistas e eu as admiro, não pelo materialismo, mas pelo equilíbrio nato, o que mostram que elas são tão mais evoluídas que eu, pois naturalmente são algo que eu tive que lutar muito para conquistar. Mas sua mensagem é que não existe a possibilidade de alguém ser melhor por outro caminho, pois é tudo enganação, seja para se aproveitar das pobres vitimas ignorantes ou porque todo o grupo entrou em uma ignorância coletiva e uns se alimentam da ignorância do outro, mas mesmo que esteja certo, o fato destas pessoas estarem felizes não tem nenhum valor? E se você estiver errado e muito do que você combate for verdade mas você não quis se aprofundar para entender esta verdade? Se o cérebro é programável e ele consegue se conectar a outras mentes e extrair impressões, o fato de chamarmos esta conexão de mediunidade em vez de telepatia ou acesso ao consciente coletivo, só não mostra que existe muito mais coisas além da pura matéria? E se estas coisas não são tão claras para a humanidade mas alguém sem querer usando “placebos” consegue extrair benefícios para esta reprogramação de maneira intuitiva por falta de elementos ou de conhecimento, não é válido nos beneficiarmos mesmo que estes elementos sejam fruto de um dogma de centenas de anos que para você (e para mim) não faz sentido (mas faz efeito, na minha visão, pois eu acredito na energia formada na água e não em moléculas de principio ativo) mas tem quem se beneficie com ela? Sua preocupação é só de quem está sendo “enganado”, mas em algum momento, você tentou se posicionar para aquele que se beneficiou? Quantas pessoas tomam remédios e não se curam? remédios com principio ativo? Pior, passaram a ter outras doenças por conta deles? Mas é um mal necessário afinal, tem quem se beneficie. Mas a falta de efeito daquele remédio em uma camada de pacientes é sempre uma possibilidade. Existem determinadas doenças que mesmo tratadas a chance de cura é tão pequena que dá a impressão que não existe cura pelo remédio, que na verdade é o efeito placebo que as cura, já que sua porcentagem de curados é a mesma do grupo controle de placebo… Não me importa que o “remédio” que eu tomei não me curou, mas me importa o fato de que tomando o “remédio” eu me curei, o fato de eu ser levado de alguma forma a cura, que o senhor não vai saber explicar, só vai falar que não foi graças ao “remédio” , mas no final, a “ritualística” foi o agente da cura, se eu precisei disto para me curar, o fato é que me curei (se me curei, é claro, ou tive o efeito procurado enfim), ão impota os gráficos ou estudos que mostrem que não foi pelo remédio ou pela ritualística, o importante é que eu me curei e estou feliz, e contra isto não vai existir prova alguma. Ai você fala que é uma experiencia individual, mas a vida é uma experiencia individual, os indivíduos fumam sabendo que tem grandes chances de terem uma doença no futuro, mas como não conhecem quem esteja doente acha que também não vai ficar e insiste até ela ficar (ou não doente) se não perceber que não vale a pena sustentar o vício. No final a experiencia própria é toda a experiencia, e a minha diz que homeopatia funcionou em algum momento em algum caso, o floral mais ainda, mas a auto consciência ainda mais, mas tudo foi importante, cada um em seu momento, inclusive ser cético foi muito importante. Não descarto nenhuma possibilidade a não ser aquelas que sei que farão mal, ou o mal é maior que o benefício (drogas, alcoolicos, situações de risco…). Você desestimula a pessoa a ter sua própria experiencia, tira a possibilidade de ela procurar algo que no meu caso deu resultado, mas sei que pode não dar a outro, assim como é possível na própria alopatia…

        Na minha visão, você criou este post só pra brincar de rivalidade com a outra coluna, para polemizar e querer mostrar que todos que tem uma visão diferente são ignorantes ou maus, parece um post de autoafirmação. Quando as duas colunas vão para esta linha só mostra que vocês são mais parecidos do que pensam, mas em algo nada positivo. No dia que um fizer o seu, sem se importar com o trabalho do outro e sim em passar uma mensagem realmente de esclarecimento e não de ataque a uma visão diferenciada, todos ganharemos mais…

  • “Alguns podem considerar que o caso demonstre apenas que “essa indústria não pratica homeopatia de verdade“, assim como horóscopos de jornal “não são astrologia de verdade“, recorrendo a uma falácia.”

    Ah, Kentaro! Está caçando confusão com o Del Debbio?

    • Anônimo

      Confusão, não, mas é uma crítica ao argumento usado por ele, sim.

      • Eu sei que você está defendendo seu ponto de vista, o que é absolutamente válido e esperado em uma discussão saudável. A afirmação que fiz anteriormente foi apenas em tom de brincadeira.

    • Anônimo

      Confusão, não, mas é uma crítica ao argumento usado por ele, sim.

    • Gustavo Macedo

      Isso também não seria a mesma coisa que eu disser: “Isso não ciência de verdade, é uma pseudo-ciência.” ou “se astrologia for provada por estatística, eu deixo de acreditar nesta”.

  • De Leon Petta

    Camarada, indústria homeopática ou não.
    O cara de meteu com a indústria farmaceutica. Ao lado de bancos, armas e minérios, são os setores privados mais poderosos do mundo, ele não achou q ia ficar de graça né?

    E antes de vc Sr. Mori, cético fundamentalista radical, sair criticando q é “homeopatia”. Tente verificar as consequencias de quem tentou enfrentar indústrias “convencionais” como a Roche ou a Bayer.

  • Nefelim73

    Já dizia o ditado popular: negar um copo d’água é pecado. Vender água como remédio deve danação infinita no inferno. E onde será que eles arranjaram este nome: oscillococcinum.

  • Guilherme Rodrigues da Silva P

    jah q homeopatia funciona pq eles nunca fizeram um anticoncepcional?

  • Poste para nós então a Máfia Branca farmacêutica e médica que faz cirurgias desnecessárias, que vende tarjas pretas sem a pessoa possuir quadro psiquiátrico, que também investe bilhões em lobby contra outros tipos de medicina que não se enquadram no método empírico dedutivo que tantos hoje em dia ADORAM como uma religião.

    E sugiro, que quando construir seus posts, seja um pouco mais idôneo. Sua forma de argumentar é evidentemente retórica e beira ao mau caráter. Termos como “Indústria Homeopática” engloba todos laboratórios que produzem este tipo de medicamento e não apenas uma só, como você erroneamente quis expor em seu post.

    Muito que você exponha o charlatão, é um trabalho que todos deveriam fazer, mas sabe Kentaro, há certos posts teus que me fazem perguntar se você não é patrocinado por alguém…

    • Anônimo

      Por favor, não questione minha idoneidade nem minhas motivações. Vamos manter a civilidade.

      • Tibério Ananias Orelano

        Curioso, pensei que fosse a premissa do ceticismo questionar…

  • Anônimo

    De novo: isto não é algo pessoal. Não confunda uma discussão sobre aquilo em que acredita com um ataque direto à sua pessoa, muito menos com um cerceamento de sua liberdade.
    E, por favor, não questione minhas motivações nem me ataque pessoalmente.

    • Anônimo

      Não te ataquei, dei minha visão que é apenas uma visão que pode sim estar completamente equivocada, mas é a impressão que eu tenho, se interpreta como ataque, respeito, afinal é sua interpretação.

      Um questionamento é feito para tentar melhor se compreender algo, se é errado questionar, fica difícil ter uma visão mais precisa de qualquer coisa.

      Desculpe por me interessar por sua coluna e querer participar. 

      • Anônimo

        Você diz que quem critica a homeopatia “não está interessado no bem estar das pessoas”, entre outras acusações, e não vê nenhum ataque pessoal?

        Por favor, amigo, releia tudo que escreveu e reflita bem a respeito.

        • Anônimo

          se eu disse isto, é porque não me é claro porque algo que simplesmente não faz nada (nem bem nem mal, segundo o que eu entendi de seus textos) é atacado quando na minha experiencia pessoal me parece algo positivo.

          Me explique qual é o mal na homeopatia e porque ela não pode co-existir com a alopatia.

          “Você diz que quem critica a homeopatia “não está interessado no bem estar das pessoas”” 
          Não, eu disse que químicos não entendem como é possível algo sem principio ativo tenha qualquer eficácia, mas pessoas (não necessariamente todas ou sequer a maioria, afinal tenho certeza que muitos assim como na alopatia veem apenas como mais um negócio) que são a favor, são porque viram seus possíveis benefícios que você pode até dar outras explicações, mas para quem se beneficia é um beneficio. Seu interesse não está no bem estar de fato, pois acha impossível em sua ótica alguém se beneficiar, logo estão todos sendo enganados, logo estão todos errados, logo todos precisam ser alertado por você, um bem feitor. Não impota se a pessoa se sinta bem, ela está errada, é um engano, tem que tentar outro tipo de tratamento menos este pois homeopatia “não equisiste”.

          Você a todo momento sugere que quem não compartilha a sua visão está errado e sou eu que faço ataques pessoais? Em nenhum momento dirigi qualquer frase minha a alguém em especifico. 

          Você dá uma visão geral, eu dou uma visão geral, eu não posso me sentir ofendido, mas você pode?  Dois pesos, duas medidas? realmente você acha que existe grandes diferenças entre nós 2?  Você me faz acusações eu as respondo, eu te pergunto coisas, você da respostas evasivas ou deturpa (talvez sem querer) o que eu digo, em vez de me atacar, me de seu ponto de vista. 

          Além, do fato que em seu intimo algo que você desacredite não deva ser divulgado, porque a homeopatia não pode co-existir com a alopatia? 

        • Anônimo

          se eu disse isto, é porque não me é claro porque algo que simplesmente não faz nada (nem bem nem mal, segundo o que eu entendi de seus textos) é atacado quando na minha experiencia pessoal me parece algo positivo.

          Me explique qual é o mal na homeopatia e porque ela não pode co-existir com a alopatia.

          “Você diz que quem critica a homeopatia “não está interessado no bem estar das pessoas”” 
          Não, eu disse que químicos não entendem como é possível algo sem principio ativo tenha qualquer eficácia, mas pessoas (não necessariamente todas ou sequer a maioria, afinal tenho certeza que muitos assim como na alopatia veem apenas como mais um negócio) que são a favor, são porque viram seus possíveis benefícios que você pode até dar outras explicações, mas para quem se beneficia é um beneficio. Seu interesse não está no bem estar de fato, pois acha impossível em sua ótica alguém se beneficiar, logo estão todos sendo enganados, logo estão todos errados, logo todos precisam ser alertado por você, um bem feitor. Não impota se a pessoa se sinta bem, ela está errada, é um engano, tem que tentar outro tipo de tratamento menos este pois homeopatia “não equisiste”.

          Você a todo momento sugere que quem não compartilha a sua visão está errado e sou eu que faço ataques pessoais? Em nenhum momento dirigi qualquer frase minha a alguém em especifico. 

          Você dá uma visão geral, eu dou uma visão geral, eu não posso me sentir ofendido, mas você pode?  Dois pesos, duas medidas? realmente você acha que existe grandes diferenças entre nós 2?  Você me faz acusações eu as respondo, eu te pergunto coisas, você da respostas evasivas ou deturpa (talvez sem querer) o que eu digo, em vez de me atacar, me de seu ponto de vista. 

          Além, do fato que em seu intimo algo que você desacredite não deva ser divulgado, porque a homeopatia não pode co-existir com a alopatia? 

          • Anônimo

            “Seu interesse não está no bem estar de fato, pois acha impossível em sua ótica alguém se beneficiar”

            Nunca afirmei isto. E você mesmo desmente, depois confirma, e repete a acusação de que aqueles que criticam a homeopatia não se importam com o bem-estar das pessoas. Além de sugerir repetidamente que seria tudo uma necessidade de “auto-afirmação”. Você repetidamente dirigiu-se à minha pessoa.

            Por favor, leia o material no site oficial do protesto, já indicado, bem como no original em inglês.

  • Anônimo

    Tentar dar conselhos morais a alguém que sugere estar sendo motivado pelo fato de “não estar faturando com os ditos ignorantes” não inspira muito.

  • Anônimo

    Tentar dar conselhos morais a alguém que sugere estar sendo motivado pelo fato de “não estar faturando com os ditos ignorantes” não inspira muito.

    • leorubas

      Homeopatia é placebo.

      • Rogério Silva Oliveira

        Existem
        estudos sérios que provam que ela funciona em animais de produção
        ou compania, em animais não creio que seja placebo.

        É apenas uma industria se defendendo do uso
        indevido da imagem de um dos seus produtos, algo super normal, se a
        industria acionou os meios judiciais legais ela esta correta, se o o blogueiro acha que tem rasão deve procurar a justiça tambem, e se estiver com a razão a justiça vai decidir isso.

      • abraaocaldas

         Pior que eu passei pelos comentários do flasHQ assim:

         |
         |
         |
         |
        V

        O cara apela para o sentimentalismo em vez de mostrar dados e provar a posição dele. Mas claro.. desde quando homeopatia tem dados concretos… nahhhhh

    • Anônimo

      mas centenas de filosofias espelhadas no mundo e história de diversas pessoas que se superaram pelo modo que escolheram enxergar o mundo não te inspira também… 

      O que te inspira é problema seu, e não quero ser rude com esta resposta, mas sim, é de sua responsabilidade aquilo que te inspira e não do agente externo.

      Acho que tem duas coisas diferentes ali e uma não é referente a outra, a princípio o interesse é saber o que motivava os incômodos alegados, fiz um questionamento baseado em uma impressão que pode até estar errada, mas até ai, qual o problema de eu sugerir o quer que seja? Basta a pessoa aceitar ou negar a sugestão. Em um segundo momento eu apontei que eu entendo (e mais uma vez é um ponto de vista, aceitar ou não é problema de cada um) que a energia dele estava sendo canalizada de maneira errada, com sentimentos que não fazem bem, pelo menos a minha experiencia diz que não, se a sua acha que ter dó e raiva é bom, de você seus conselhos baseados no que você sabe e se eu descordar continuarei dando meu ponto de vista e a pessoa que escolha o que negar ou aceitar. 

      A última coisa que eu quero é inspirar alguém que já tem um mundo criado em sua mente e não aceita ou respeita qualquer outro ponto de vista. 

      Que bom para você que você consegue ser feliz assim. Isto, eu não ouso questionar. Afinal, a felicidade de cada um só depende de cada um. Se este foi o caminho que você encontrou para ser feliz, ótimo, mas não sou obrigado a aceitar seu ponto de vista que só é real, o que você acredita ser real baseado em seus estudos.

      Divulgue mais o seu caminho em vez de se esforçar para negar os outros caminhos.

      Acho ótimo que existam pessoas que queiram entender como as coisas funcionam e queiram otimizar estes princípios, mas não entendo por que se negar algo simplesmente pelo fato disto ser contraditório a outros conhecimentos ou o esforço de se negar algo que simplesmente não acredita em vez de descobrir o que fazem estas coisas de fato através de seus resultados ou impacto nas pessoas. Acreditar em algo puramente pela fé é tão vago quanto se negar algo simplesmente porque alguém tem fé nela por não saber explicar. 

      Acho ótimo que você exponha seu ponto de vista, mas não entendo qual é o problema de se expor um ponto de vista divergente. Você é tendencioso em seu texto, sendo assim, deveria estar preparado a questionamentos contrários, não é natural? Não é através dos questionamentos e respostas que podemos nos caminhar a um entendimento mais completo e/ou satisfatório?

      Ou seu entendimento é tão completo ao ponto de não poder ser questionado e só de eu ter uma opinião contraria e questionadora eu estou errado? Ou eu não entender as coisas como você só mostra que em vez de esclarecido, eu deva ser ignorado? Homens, homens, sejam céticos ou religiosos, só aceitam aqueles que compartilham do mesmo ponto de vista… 

      Se acha que todo questionamento ou ponto de vista saindo de mim é um tipo de ataque pessoal, só lamento, mas ai é má vontade sua comigo. 

      • Anônimo

        Má vontade minha, auto-afirmação minha, nenhum interesse no bem-estar das pessoas de minha parte.

        Ponha a mão na consciência, amigo.

      • Anônimo

        Má vontade minha, auto-afirmação minha, nenhum interesse no bem-estar das pessoas de minha parte.

        Ponha a mão na consciência, amigo.

        • Anônimo

          Você é sempre evasivo e se faz de vítima, desisti de tentar te entender embora quisesse muito… Te dei oportunidade de ser convencido pela sua visão, estava aberto para sua visão, mas você prefere ironizar, muito bem, o importante é que você seja feliz do seu jeito assim como eu sou do meu, se um dia alguém com o mesmo ponto de vista quanto a homeopatia for capaz de ser claro para mim em sua posição e demonstrar que realmente a homeopatia pode ser prejudicial tanto quanto ou mais que a alopatia, eu darei minha total atenção, pois isto me interessa, podendo até mudar a minha experiencia atual que aponta o outro lado. 

          Desculpe se te chateei, desculpe se não fui claro no meu intento, desculpe se pareci agressivo eu te ofendi, continue com o seu bom trabalho porque eu continuarei atento as informações, sempre da pra extrair algo de bom em tudo.

          Acho que entendi como você funciona, não criarei mais expectativas com você, e isto não é algo ruim. 

          Até um próximo post. 

          • Anônimo

            ok, até.

          • Anônimo

            ok, até.

          • Anônimo

            ok, até.

        • Anônimo

          Você é sempre evasivo e se faz de vítima, desisti de tentar te entender embora quisesse muito… Te dei oportunidade de ser convencido pela sua visão, estava aberto para sua visão, mas você prefere ironizar, muito bem, o importante é que você seja feliz do seu jeito assim como eu sou do meu, se um dia alguém com o mesmo ponto de vista quanto a homeopatia for capaz de ser claro para mim em sua posição e demonstrar que realmente a homeopatia pode ser prejudicial tanto quanto ou mais que a alopatia, eu darei minha total atenção, pois isto me interessa, podendo até mudar a minha experiencia atual que aponta o outro lado. 

          Desculpe se te chateei, desculpe se não fui claro no meu intento, desculpe se pareci agressivo eu te ofendi, continue com o seu bom trabalho porque eu continuarei atento as informações, sempre da pra extrair algo de bom em tudo.

          Acho que entendi como você funciona, não criarei mais expectativas com você, e isto não é algo ruim. 

          Até um próximo post. 

  • Anônimo

    Tentar dar conselhos morais a alguém que sugere estar sendo motivado pelo fato de “não estar faturando com os ditos ignorantes” não inspira muito.

  • Anônimo

    “Quem é contra a homeopatia são os químicos e não as pessoas preocupadas com o bem estar das pessoas, isto tem que ficar claro”.

    Claro. Continue atacando pessoalmente aqueles que discordam de você, ao mesmo tempo em que se levanta indignado contra aqueles que ousaram questionar suas crenças, interpretando tais questionamentos como… ataques pessoais.

    • Anônimo

      Se o argumento conta a homeopatia repetido diversas vezes aqui é o fato de não existirem moléculas de principio ativo, e isto é referente a química pura e não no bem estar do paciente, acho que eu não disse nada demais. 

      Eu não tenho nada contra a química, só contra quem acha normal A ser atacado e se responde a B é porque tem interesse e se não responder é porque assume perante a B que está errado e de qualquer forma merece ser questionado mas não pode ter contra-argumentações, pois se tiver ou terá respostas evasivas ou será acusado de ataques gratuitos. 

      Sua retórica só anima aqueles que estão querendo se auto-afirmar contra a homeopatia, mas na pratica não apresenta nada de realmente relevante e consistente,afinal, parece que tem a tendencia de olhar apenas um lado da história, defender apenas um ponto de vista. 

      Posso até estar errado e sendo injusto, mas não é a sensação que eu tenho. Pelo menos eu estou aberto a ideias diferentes das minhas. 

  • Anônimo

    Sim, um conceito não pode ser julgado apenas com base na atitude daqueles que o praticam. Contudo, a PRÁTICA desse conceito, sim deve levar em conta o comportamento de todos os praticantes..
    Leia mais sobre a falácia do escocês. Ela não significa que devamos julgar todo um grupo de praticantes com base no comportamento de seus piores indivíduos, mas sim que é uma técnica retórica desonesta tentar se dissociar *totalmente* de membros indesejáveis de um grupo.
    É fácil perceber que isso só dificulta que identifiquemos falhas e perigos associados na aplicação de um conceito.

    • O problema é que em algumas vezes o praticante está tão desassociado da prática que seria um grande problema considerá-los parte do mesmo grupo. Vou seguir com o exemplo da medicina: Eu posso estudar durante 10 anos para receber um diploma de médico, e enfim utilizar as ferramentas de médico (bisturi por exemplo) para curar uma pessoa. Ou eu posso não fazer isso e usar a ferramenta de médico bisturi para tentar curar uma pessoa. Neste contexto só há uma diferença de 10 anos de estudo! Seria certo associar os erros de alguém que se diz praticante ao contexto do conhecimento em questão? “A medicina é uma fraude pois alguém que nunca estudou medicina, usando ferramentas de médicos, não conseguiu curar uma pessoa!” É mais ou menos isso que estou entendendo do seu pensamento.
      Claro que entre a medicina e a astrologia existe um fator de diferença que é determinante: Uma é um conhecimento legitimado por instituições que credenciam estes saberes, o outro não possui uma instituição legitimando, e aí que está a questão que eu entendo ser levantada pelo Marcelo Del Debbio: Como saber quem está tratando disto de maneira cientifica e quem não está. É plausível considerar que existe uma vasta referência sobre o assunto, o estudo destas referências seriam o mínimo para se falar algo, já que não há uma instituição por traz da astrologia (pelo menos até aonde eu sei). Não sei se você consegue entender o que eu estou tentando dizer, que acredito ser exatamente o foco da sua discussão com o Marcelo, mas acho que você está confundindo as coisas acreditando realmente que pode determinar o que é cientifico através destes argumentos. Alias, o conhecimento cientifico envolve pesquisa, constatação, etc… Estudando história da arte, eu percebi que muitas civilizações já exploraram estes conhecimentos de maneiras muito próximas ao que temos como ciência hoje: ou seja, observando, constatando, pesquisando, escrevendo, etc… sem se apoiar em tabus.
      Também concordo contigo que é um conhecimento duvidoso (e por isso acredito que mereça estudo mais atenção de instituições de pesquisa).

      • Anônimo

        Deixei a crítica mais clara em um comentário mais acima (ou abaixo).

        Apontar a falácia do verdadeiro escocês não significa que se advogue outra falácia, desconsiderando o todo pela parte. É apenas ressaltar que redefinir um conceito de forma a melhor servir à sua própria conveniência, excluindo por definição tudo aquilo que lhe desagrada, não é intelectualmente honesto.

        E relembrando: eu não escrevo estas colunas para encher o saco do Del Debbio. Nós temos discordâncias e se eu não mencionasse algumas delas, seria cobrado por isso. Ao mencioná-las, também sou cobrado por isso. Mas somos só duas pessoas, o que se discute é algo muito maior, e as críticas que fiz não são dirigidas apenas especificamente a ele.

        Estou pensando em escrever uma série expondo minhas discordâncias com a TdC, mas mesmo esta série de textos seria dirigida às ideias apresentadas, não à pessoa do Marcelo.

      • Anônimo

        Deixei a crítica mais clara em um comentário mais acima (ou abaixo).

        Apontar a falácia do verdadeiro escocês não significa que se advogue outra falácia, desconsiderando o todo pela parte. É apenas ressaltar que redefinir um conceito de forma a melhor servir à sua própria conveniência, excluindo por definição tudo aquilo que lhe desagrada, não é intelectualmente honesto.

        E relembrando: eu não escrevo estas colunas para encher o saco do Del Debbio. Nós temos discordâncias e se eu não mencionasse algumas delas, seria cobrado por isso. Ao mencioná-las, também sou cobrado por isso. Mas somos só duas pessoas, o que se discute é algo muito maior, e as críticas que fiz não são dirigidas apenas especificamente a ele.

        Estou pensando em escrever uma série expondo minhas discordâncias com a TdC, mas mesmo esta série de textos seria dirigida às ideias apresentadas, não à pessoa do Marcelo.

      • Se ter uma instituição credenciando o conhecimento torna este válido, é bom mudar suas crenças… A FM-USP tem um professor de Homeopatia (Marcus Zulian)… Talvez essa não seja uma das fontes confiáveis…

        • Anônimo

          Sim, a questão é bem mais complexa. A homeopatia é uma especialidade médica no Brasil.

          Medicina não é uma ciência, embora advoguemos uma medicina *baseada* em evidências.

          • tthales

            espera aí, explica melhor essa história de medicina não ser ciência

          • O que eu quis dizer é que uma grande quantidade de pesquisadores em instituições renomadas consideram a homeopatia válida. A maioria deles na área médica. Ou seja, sabem mais de medicina do que você, pelo foco nesses estudos e pela experiência clínica. Não são pessoas as quais se pode desprezar a opinião.

            Além do que, se temos já tanta certeza do que funciona ou não, podíamos reverter os investimentos em pesquisas para outras áreas, como cultura ou educação básica, mas não é isso que ocorre, justamente porque temos consciência que ainda há muito a descobrir. Seguindo o princípio de que a ausência de evidencia não é evidencia da ausência, esta tese de doutorado do IF-USP ilustra bem uma das possibilidades por onde a homeopatia poderia funcionar, por exemplo. (http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/43/43134/tde-20052008-113418/pt-br.php)

            É claro que dentro da homeopatia existe muito charlatanismo, mas como em qualquer outra área. Desqualificar todo um grupo por conta de alguns indivíduos já poderia ser considerado um erro. Mas fazer isto sem um estudo mais profundo do assunto chega a ser infantilidade. Quantos livros sérios sobre o assunto você leu? Ou quantos pacientes você acompanhou o histórico durante o tratamento? Quantos estudos decentes sobre os efeitos medicamentosos foram feitos, sem contar a manifestação na praça benedito calixto, a qual nenhum homeopata orientou e que não segue nenhum princípio da homeopatia? Se você se baseou na opinião de terceiros, por  que alguns são mais confiáveis que outros? Que tipo de ceticismo é esse que leva uma opinião em conta e outra não?

            • Anônimo

              Você alega que descartamos a homeopatia “sem um estudo mais profundo do assunto”, mas apesar de indicar mesmo o nome da praça onde realizamos o protesto em SP, parece não ter visitado o site do protesto e se informado a respeito de sua fundamentação:
              http://1023.haaan.com/

              • Debater um assunto entre pessoas de mesma opinião não acrescenta muito,me parece. Realmente, do ponto de vista químico, é evidente que raramente haverá uma molécula da substância original a partir da décima segunda diluição. Para um cético real, isso não significa que não funcionaria, pois para isso é preciso se aprofundar no assunto e verificar a eficácia prática do tratamento, com experimentos adequados. Somente demonstra como ainda não sabemos tudo, e que imaginar isso seria muita prepotência. De qualquer maneira, uma “overdose homeopática” em pessoas saudáveis não matará mesmo. Assim como muitos medicamentos alopáticos também não o fazem.

                Um exemplo interessante acontece também com a astrlogia do Marcelo del Debbio. Para poder critica-la, o mínimo que você deveria fazer é frequentar o curso que ele ministra e bota-lo em prática em um grande número de pessoas, conhecidas e desconhecidas, para depois alegar se aquele tipo de astrologia funciona ou não, lembrando que isso não seria aplicado a outros variações que talvez existam. Claro que criticar com base é trabalhoso, mas pelo menos é mais sério e honesto.

                Mas assim como eu não havia lido o site (agora já o fiz)  também me parece que você não procurou se informar acerca dos procedimentos de como fazer uma experimentação adequada (o site não mostra isso, pelo menos). Ou que tenha lido a tese de doutorado que eu mencionei.

                • Anônimo

                  A presidente da AFHB chegou a alegar que haveria efeitos, e uma representante de um curso de homeopatia presente no protesto em SP alegou ver efeitos da “overdose”, com o detalhe de que os efeitos que ela alegou ter visto foram aqueles do preparado que ela pensou que tivéssemos tomado. Quando revelamos que não ingerimos todos os mesmos preparados e que as pessoas que ela identificou como apresentando efeitos da Belladonna não haviam tomado Belladonna, ela simplesmente mudou o discurso.

                  A homeopatia é ilógica, mesmo os cuidados tomados para lidar com água destilada e com os recipientes são ineficazes se os pressupostos da homeopatia forem verdadeiros, uma vez que uma única molécula de contaminante em qualquer uma das fases de diluição acima de 12C devastaria todo o processo. E este é apenas um dos fundamentos, por princípio, absurdos da homeopatia.

                  O mesmo se aplica à astrologia praticada e ensinada pelo Del Debbio. Há diversas falhas fundamentais em pressupostos, que devo abordar um outros textos.

                  Se você leu o site, deve ter visto que o protesto não foi nem jamais pretendeu ser um experimento científico. Foi uma demonstração. Ela foi fundamentada na literatura científica que, esta sim, permite concluir além de dúvida razoável que ingerir diluições acima de 12C é o mesmo que ingerir pura água ou açúcar.

                  Em tempo: li a tese doutorado que você indicou. A metodologia parece adequada, e os resultados são sim intrigantes. Contudo, os resultados obviamente devem ser replicados e submetidos a uma melhor análise. Antes que se retruque que exigir maior verificação desses resultados seja indício de dogmatismo ou rejeição a priori, note-se que mesmo trabalhos publicados na Nature (vide Benveniste) acabaram por revelar que os resultados eram artefatos derivados de falhas em controles que não haviam sido consideradas pelos experimentadores. Uma tese de doutorado está, certamente, ainda mais vulnerável a falhas.

                  Sempre lembrando que a memória da água seria uma descoberta que contrariaria, ou no mínimo revolucionaria a física e a química. Exigir cautela em resultados isolados e enorme rigor em sua verificação não é nada mais que o mínimo apropriado. Não é bias, é bom senso.

                  • O primeiro parágrafo se encaixa naquilo que já havia falado. Tem, sim, muitos profissionais desqualificados dentro da homeopatia, talvez até mais do que na alopatia, proporcionalmente falando. Mas qualquer médico convencional pode te dizer das atrocidades que acontecem nas faculdades e hospitais, sem que isso venha a tona. E quando vem, o erro não recai sobre a técnica, e sim sobre o profissional.

                    Com relação ao segundo parágrafo, não há qualquer embasamento para se dizer isso, porque nem mesmo sabemos qual o mecanismo de funcionamento da homeopatia. Como podemos dizer que uma molécula estragaria o processo se não há experimentos neste assunto especificamente (contaminação da diluição). E se a retenção de uma memória inicial anulasse as informações posteriores, por exemplo, ou ainda se ocorressem situações que nem sequer imaginamos que poderiam existir… É um tanto estranho em um assunto tão inexplorado sair presumindo que seria desse ou daquele jeito.

                    Aguardo o seu texto sobre astrologia,mencionado no terceiro parágrafo. Pode não parecer, mas respeito muito o seu trabalho aqui, é uma crítica bastante relevante e que trabalha a formação de conceitos, assim como os textos do Marcelo.

                    Já no quarto parágrafo, qual a literatura científica foi tomada por base? Existe uma quantidade relevante de pesquisas que comprovam o efeito da homeopatia, e se a crítica feita a eles é que podem ter se originado de falhas, os que comprovam que não funciona deveriam estar submetidos ao mesmo rigor e critérios. Não me parece justo poder escolher os artigos nos quais eu confiaria, ainda mais sem conhecimento sobre o assunto. Você, neste caso, não possui formação médica e nem respondeu quais livros sobre homeopatia foram lidos.

                    Concordo plenamente com você nos paragrafos quinto e sexto. Mas isso deveria ser aplicado de maneira mais ampla, desconfiando dos testes que comprovam a eficácia de antibióticos ou que concluem que outras técnicas, incluindo a homeopatia, não funcionam.

                    Precisamos continuar essa discusão em outro local, os textos estão ficando esmagados no canto da página!

                • Anônimo

                  A presidente da AFHB chegou a alegar que haveria efeitos, e uma representante de um curso de homeopatia presente no protesto em SP alegou ver efeitos da “overdose”, com o detalhe de que os efeitos que ela alegou ter visto foram aqueles do preparado que ela pensou que tivéssemos tomado. Quando revelamos que não ingerimos todos os mesmos preparados e que as pessoas que ela identificou como apresentando efeitos da Belladonna não haviam tomado Belladonna, ela simplesmente mudou o discurso.

                  A homeopatia é ilógica, mesmo os cuidados tomados para lidar com água destilada e com os recipientes são ineficazes se os pressupostos da homeopatia forem verdadeiros, uma vez que uma única molécula de contaminante em qualquer uma das fases de diluição acima de 12C devastaria todo o processo. E este é apenas um dos fundamentos, por princípio, absurdos da homeopatia.

                  O mesmo se aplica à astrologia praticada e ensinada pelo Del Debbio. Há diversas falhas fundamentais em pressupostos, que devo abordar um outros textos.

                  Se você leu o site, deve ter visto que o protesto não foi nem jamais pretendeu ser um experimento científico. Foi uma demonstração. Ela foi fundamentada na literatura científica que, esta sim, permite concluir além de dúvida razoável que ingerir diluições acima de 12C é o mesmo que ingerir pura água ou açúcar.

                  Em tempo: li a tese doutorado que você indicou. A metodologia parece adequada, e os resultados são sim intrigantes. Contudo, os resultados obviamente devem ser replicados e submetidos a uma melhor análise. Antes que se retruque que exigir maior verificação desses resultados seja indício de dogmatismo ou rejeição a priori, note-se que mesmo trabalhos publicados na Nature (vide Benveniste) acabaram por revelar que os resultados eram artefatos derivados de falhas em controles que não haviam sido consideradas pelos experimentadores. Uma tese de doutorado está, certamente, ainda mais vulnerável a falhas.

                  Sempre lembrando que a memória da água seria uma descoberta que contrariaria, ou no mínimo revolucionaria a física e a química. Exigir cautela em resultados isolados e enorme rigor em sua verificação não é nada mais que o mínimo apropriado. Não é bias, é bom senso.

              • Debater um assunto entre pessoas de mesma opinião não acrescenta muito,me parece. Realmente, do ponto de vista químico, é evidente que raramente haverá uma molécula da substância original a partir da décima segunda diluição. Para um cético real, isso não significa que não funcionaria, pois para isso é preciso se aprofundar no assunto e verificar a eficácia prática do tratamento, com experimentos adequados. Somente demonstra como ainda não sabemos tudo, e que imaginar isso seria muita prepotência. De qualquer maneira, uma “overdose homeopática” em pessoas saudáveis não matará mesmo. Assim como muitos medicamentos alopáticos também não o fazem.

                Um exemplo interessante acontece também com a astrlogia do Marcelo del Debbio. Para poder critica-la, o mínimo que você deveria fazer é frequentar o curso que ele ministra e bota-lo em prática em um grande número de pessoas, conhecidas e desconhecidas, para depois alegar se aquele tipo de astrologia funciona ou não, lembrando que isso não seria aplicado a outros variações que talvez existam. Claro que criticar com base é trabalhoso, mas pelo menos é mais sério e honesto.

                Mas assim como eu não havia lido o site (agora já o fiz)  também me parece que você não procurou se informar acerca dos procedimentos de como fazer uma experimentação adequada (o site não mostra isso, pelo menos). Ou que tenha lido a tese de doutorado que eu mencionei.

    • Gabriel Nunes

       Kentaro, apenas um pitaco no meio da discussão: acredito que a falácia do escoês não se aplica corretamente nessa situação. Ela se refere basicamente a excluir PESSOAS que têm atitudes desagradáveis de um grupo específico, por exemplo, justificar que “Um católico que não segue os mandamentos, não é um verdadeiro católico”, o que até faz sentido, pois conheço muitos ateus que são infinitamente mais “cristãos” do que a maioria dos religiosos que conheço.
      A questão é que essa falácia não se aplica à PRATICAS em si. Dizer que um fulano “não é um astrólogo de verdade porque pratica errado”, sim, concordo. Porém, no seu argumento, você diz que é uma falácia dizer que “hosóscopo de jornal não é astrologia de verdade”. Mas não é falácia, é um fato. Conforme a idéia dada em outro comentário, se em algum lugar a medicina é mal aplicada por alguém, não significa que A MEDICINA é errada. Mas médicos poderiam SIM, usar o argumento de que quem está utilizando “não é um verdadeiro médico”. A não ser que a pessoa em questão seja um médico credenciado. NESSE CASO, a falácia seria de fato, falácia, pois tentaria esconder a existência de membros incompetentes no grupo.

  • Guilherme Rodrigues da Silva P

    se eles tivessem certeza q isso funfa jah teria anticoncepcional homeopatico

  • Anônimo

    O objetivo maior da medicina não é o conhecimento. É a saúde e o bem-estar.

    Isso inclui o desenvolvimento e aplicação da ciência médica, mas a medicina é um campo mais amplo. Converse com um médico, ou pesquise na rede, é algo fundamental que deve revelar muito sobre o que é ciência, quais suas aplicações e limitações.

    • tthales

      Nesse aspecto eu concordo que a medicina, assim com a
      engenharia, não são ciências no sentido de que seus principais objetivos não são
      a geração e o aprimoramento de conhecimento. Quando fiz o comentário estava
      pensando no cara que se formou em medicina, mas escolheu trabalhar com
      pesquisas do que ir para um consultório ou hospital, entretanto eu compreendi o
      porque de medicina não ser uma ciência.

  • Anônimo

    Questionar o caráter das pessoas não é ceticismo.

    Vamos discutir argumentos, não o meu caráter, OK?

    • Anônimo

      Como discutir ou questionar quaisquer coisa se sempre dá respostas evasivas? 

      Mais uma vez, desculpa por me interessar por sua coluna… 

      • Anônimo

        O cara diz que a forma como eu argumento “beira o mau caráter”, que preciso ser “um pouco mais idöneo” e que devo estar sendo “patrocinado por alguém”.

        Se a discussão é difícil, não é culpa minha.

        • flasHQ

          a culpa é sua se suas respostas são evasivas e não está aberto ao dialogo independente de se sentir ofendido (com razão ou não). 

          Pare de culpar os outros pelas suas próprias decisões de não dialogar, se somos ignorantes (e não estou falando que você nos chamou de ignorantes, só estou dizendo que na possibilidade do caso ser de sermos ignorantes e até rudes em nosso modo de expressar), alguém inteligente como você deveria ter a paciência de nos esclarecer e deixar claro os pontos questionados. Afinal, você iniciou o assunto, se estamos questionando é porque nos interessamos em seu ponto de vista, afinal, mais fácil seria simplesmente ignorar sua coluna, não somos seus inimigos, pelo menos eu não sou, então porque não dá a devida atenção aos que prestigiam sua coluna, mesmo que com um ponto de vista diferente? 

          Não diga que não vai responder porque alguém sugeriu que sou isto, que deu a entender aquilo e porque afirmou aquele outro, se é mentira ou equivoco, justifique por que e dialogue, em vez de simplesmente usar como justificativa para não responder de fato.

          Não me trate como seu inimigo, e sim como alguém que se dá ao trabalho de querer te entender, apesar de todas as limitações sejam minhas ou impostas. 

    • Ceticismo se questiona tudo que envolve um determinado assunto, inclusive as pessoas que os produzem, não é o que a Academia Real de Ciências faz há uns dois séculos? Não quero te julgar, mas quero e posso julgar a forma como você produz um texto e a forma equivocada com a qual você utiliza a linguagem. Todos os teus posts estão calcados com tuas emoções pessoais sobre tudo que está ausente do método empírico e isto reflete na forma como você constrói seus textos e utiliza os termos. Quando você utiliza o termo “Indústria” em maiúsculo, você se refere ao setor e não a uma indústria em específico, como é o caso. Isto demonstra que seu objetivo não é informar, e sim impor sua visão pessoal de mundo. Leio tua coluna e todas as outras do Sedentário porque sei filtrar o que é parte do teu caráter influenciando na passagem da informação e o que de fato é fato e geralmente me agradam. Ceticismo é sim questionamento de caráter porque o maior cético é aquele que questiona a si próprio, sua construção mental (mindset), sua percepção e sua consciência. Minha intenção não é te ofender, e sim enriquecer mais o blog. Se você se sentiu ofendido, repito: Se questione, quem sabe você esteja cometendo os mesmos erros que você acusa os outros de cometer.

      Vou deixar bem claro: Teu trabalho de quebrar os charlatões é algo que todos deveriam praticar. Mas seria muito bom você ir atrás dos médicos, laboratórios e convênios da Máfia Branca. Muuuito mais nocivo e ofensivo do que os “meros medicamentos de açucar e água”, tarjas pretas que com certeza provocam danos ao cérebro e consequentemente a mente.

      Quer uma sugestão ? Ao invés de ficar preocupado com as pessoas que gastam dinheiro com homeopatia, por que não faz um post explicando a excitotoxicidade do aspartame e do glutamatomonossódico que MATAM muito mais ?

      Mais ciência e menos sensacionalismo.

  • Anônimo

    ‘o tratamento por ele oferecido’. Erro de digitação hehehe

  • Gustavo Macedo

    Erro médico ocorre todos os dias. Basta ler as notícias. É gente que vai fazer exame e perde algum membro, ou alguma cirurgia e o médico esquece alguma coisa dentro ou faz a cirurgia em outro local. Isso tem aos montes.

  • Anônimo

    Mas segundo a mesma, ele fazia exames constantes (em uma laboratório de medicina alopata) e não tinha números até então alarmantes (talvez o tratamento estivesse indo como deveria ir) mas ela não teve paciência em dar continuidade e ficou anos sem fazer os exames. Pelo menos é isto que ela passou em seu texto. 

  • Gustavo Macedo

    “Efeito Placebo” o classic.

  • Anônimo

    Fritas acompanham?