Quatro jovens mortos em “rituais satânicos”

16 set 2008 | por em Dúvida Razoável às 0:26

 Quatro jovens mortos em “rituais satânicos”

“A polícia na cidade russa de Yaroslavl prendeu um grupo de ‘góticos’ acusado de matar e comer quatro adolescentes em um sangrento ritual Satânico. Os oito supostos Satanistas, de 17 a 19 anos, teriam atraído as vítimas a festas na floresta nos limites da cidade de Yaroslavl, antes de induzi-los a beber e então esquartejar seus corpos. Policiais encontraram os braços e pernas das vítimas em uma vala, vestidos com símbolos Satânicos, e investigadores dizem que cada vítima foi esfaqueada 666 vezes – um número considerado um sinal do demônio”.

Do Telegraph: Goths arrested on suspicion of murdering and eating teenagers in Satanic ritual

 Quatro jovens mortos em “rituais satânicos”
Vítimas


No tablóide The Sun há as fotos de dois dos acusados e da cruz invertida no local em que os corpos foram encontrados.

Embora a mídia explore o “Satanismo” em tais crimes e o parlamento russo tenha considerado há algum tempo a repressão à cultura “emo (no que foi abordado com humor pela rede), é interessante notar que apenas o Telegraph mencione que um dos oito suspeitos já passou por uma instituição psiquiátrica.

No Brasil, há dois anos nove crianças em São Gabriel da Cachoeira, Manaus, teriam se suicidado por influência do culto “satânico” liderado por um professor. No ano passado, um grupo de jovens também participava de rituais com um “vampiro” de 27 anos em Presidente Prudente, São Paulo – neste caso, nenhum sofreu violência física além de terem seu sangue sugado pelo “vampiro”.

É comum agrupar tais casos de suicídios e mortes relacionados com idéias “satânicas”, mas o que você raramente verá é o agrupamento destas trágicas mortes com outras vítimas de crenças mais aceitas socialmente. E que, em números absolutos, geram muito mais vítimas.

Basta uma simples pesquisa para ver que as mortes provocadas por “exorcismos”, por exemplo, são extremamente numerosas e comuns, e no entanto, tal prática é endossada ou permitida por muitos religiosos e autoridades. No Brasil, por exemplo, quase toda madrugada rituais de exorcismo estilizados são exibidos pela TV.

 Quatro jovens mortos em “rituais satânicos”

Não consta que o parlamento russo proíba o exorcismo. De fato, ele ainda é praticado pela Igreja Ortodoxa.

Ainda mais ironicamente, a própria repressão ao “Satanismo” mata mais que o Satanismo em si mesmo. O combate muito pró-ativo a tais “forças do mal” mata centenas de pessoas anualmente, principalmente em regiões pobres e supersticiosas da África, Ásia e Oriente Médio. Ainda se queimam “bruxas”.

Não, não estamos defendendo o Satanismo. Pelo contrário, este é evidentemente um agrupamento de idéias idióticas, que crianças vulneráveis podem abraçar sem defesa.

No entanto, mais importante e efetivo que coibir o “Satanismo”, é educar e prevenir a todos, jovens e adultos, contra qualquer “-ismo” prejudicial. Isto porém não interessa a vários “-ismos” absurdos predominantes em nossa sociedade, que em nome de “Deus” podem matar muito mais que os tolos adoradores de “Satã”.

Conhece o Exorcismo de Emily Rose? Esqueça o filme. Na vida real, a garota foi morta por omissão de socorro adequado e pelas práticas absurdas do exorcismo. Os padres não comeram seu corpo para completar os rituais de exorcismo, mas uma jovem foi vítima da mesma forma. Perversamente, “em nome de Deus”.

 Quatro jovens mortos em “rituais satânicos”

E o caso vira um filme em que tudo isso é invertido. Enquanto houver a crença estúpida em deus, haverá a crença estúpida no diabo, e as muitas vítimas de tudo isso.

O problema não é o diabo, ou mesmo deus. É a crença estúpida.

Atualização: Eu acabo de escrever isso, e leio:

Boato de bruxaria causa tumulto em jogo de futebol no Congo
KINSHASA, Congo (AP) — Acusações de que um jogador de futebol estava usando bruxaria em um jogo no leste do Congo provocaram um tumulto que matou 13 pessoas, uma estação de rádio patrocinada pela ONU informou nesta segunda-feira.
A maioria das vítimas tinha entre 11 e 16 anos, a Radio Okapi disse. Foram sufocadas enquanto turbas em pânico corriam para as saídas durante a confusão no domingo em Butembo, província de Kivu do Norte.

313 Comentários