A dura vida do viajante ignorante

Não entendeu a piada? É compreensível. Para serem entendidas (e divertidas) as piadas precisam de referências culturais. Se você não entende a referência não acha nenhuma graça. O mesmo acontece durante uma viagem. Imagine um cara que nunca leu nada sobre arte, como diabos ele vai curtir o Museu do Louvre? A Europa é um exemplo clássico. O camarada sonha conhecer o Velho Continente, mas chegando lá fica entediado porque simplesmente nada daquilo tem significado para ele.

Esse princípio explica o fato de pessoas adultas e sem filhos passarem férias na Disney. Eles adoram porque aquilo faz sentido. Passaram a vida inteira assistindo filmes como o Rei Leão e a Bela Adormecida, essas são suas referências culturais. Em lógica similar funciona o comportamento da dondoca que foi a Londres e não visitou o Museu Britânico, mas ficou três horas na loja da Louis Vuitton. É questão de interesse.

Até mesmo na alimentação a referência é importante. Há um episódio dos Simpsons muito ilustrativo em relação a isso. A família viaja para o Japão e depois de horas dentro do avião Homer está com fome:

Homer: Estou com fome.
Lisa: Eu também! Vamos a um autêntico restaurante japonês!
Homer: A privada recomendou um lugar chamado Americatown.
Lisa: Pai, nós não viajamos meio mundo para comer num restaurante americano!

Homer não atende aos apelos de Lisa. Segue decidido a comer comida americana no Japão. Chegando lá descobre que as refeições são caríssimas e as receitas imitações ruins dos pratos servidos nos EUA. Para entender a bizarrice desse comportamento basta pensar em comer uma feijoada no Japão e esperar que ela seja tão boa quanto no Brasil.

Apesar do patriarca da família Simpson ser reconhecidamente um idiota, conheço muita gente que viajou e se comportou exatamente como ele. Se o cara passa o ano inteiro comendo arroz e feijão provavelmente vai querer fazer justamente isso enquanto viaja. Acontece o mesmo com seus hábitos culturais. Se ele não se diverte indo a museus na cidade onde mora, por que isso seria legal em Paris?

Não estou dizendo com isso que só pessoas com determinado conteúdo devem viajar. Sustento apenas que pessoas com determinado conteúdo se divertem mais durante uma viagem. Elas basicamente estão preparadas para entender a piada.

E não é tão difícil, basta um pouco de estudo. Não custa – por exemplo – ler um livro básico sobre a Civilização Inca antes de visitar Cuzco e Machu Picchu, ainda mais se isso for tornar sua incursão dez vezes mais satisfatória e interessante. Por isso antes de partir reserve um tempo para conhecer seu destino. Leia livros, veja filmes e aprenda o que puder. Eu garanto que a sua viagem fará muito mais sentido.

Na próxima semana volto com um relato interessante sobre minha incursão à Sodoma moderna, a bela capital Amsterdã. Prostíbulos, night clubs, cofee shops e também ótimos museus.

Abraço!

Pedro Schmaus

Leia mais: Cuzco e Machu Picchu

Facebook: Pedro Schmaus

  • daniel

    Muito legal, tem gente que viaja para os estados unidos e na primeira oportunidade vai ao Mc Donalds.

    • Rod

      Se parar pra pensar a culinaria americana e só fast food

      • Thales Leite

        Bobagem, tem diversos tipos e pratos, inclusive caracteristico de cada regiâo

      • Gabriel

        Cara, na boa!! Vai estudar um pouco!! A Gastronomia cajun é americana e nao tem nada de fast food! Pratos como Jambalaya, Gumbo , a simples santa trinidad,,etouffée. Ou a cozinha criolla de Luisiana tipo ostras rockefeller ou red beans and rice, isso pra gente nao falar dos bolos e sobremesas!!!
        Então compañero se vc parar pra pensar, faça bem feito

      • Marcus Malacarne

        Eu também pensava isso, inclusive a primeira vez que viajei pra lá a turismo, comi apenas em fast food. Porem um ano depois voltei para estudar (por 4 meses), e com essa experiência consegui aprender a viver um pouco como um americano, e percebi que isso não significa se alimentar exclusivamente em fast food.

  • Hugo Tácito

    Se for fazer uma excursão com várias pessoas cuidado para não ficar soltando todos os detalhes que você sabe sobre um assunto, principalmente sem ser perguntado. Pois daí você se torna um chato de galochas. Belo post.

  • almiro

    Muito bom, acho que tem a ver também com o porquê de muitas piadas, que tem esta característica no idioma original, ficarem sem sentido quando dubladas para o português, em filmes americanos.

  • Genildo

    So pra constar… o erro a q se refere esta piada possivelmente se refere ao Jogo Diablo qndo do seu lançamento. Milhões de pessoas foram afetadas e n podiam jogar, nem mesmo o modo single… acredito sinceramente q seja isso

    • Teo

      Valeu

  • brunomocsa

    Legal seu comentário, mas oq vc nao levou em consideração é o fato que a pessoa quer simplesmente viajar para se divertir não importa se isso faça algum sentido ou não.
    Mesmo uma pessoa indo comer feijoada no japão, ou ir a museus na europa mesmo nao indo aqui, se isso representar algum divertimento para ela, mesmo que seja estranho, é só isso que importa. Não complique a vida.

  • audrey

    tema bastante inteligente e interessante, parabéns !!!

  • pablo

    eu vejo isto quando vamos para praia com amigos , na hora de comer alguma coisa , o povo quer cachorro quente e pizza , meu estamos na praia vamos comer peixe frutos do mar , hahahahahhahaha

  • Lucas

    Agora, por favor, explique a piada.

    • Maia

      A Piada é referência a Diablo III, que quando lançado num dava acesso ao jogador e exibia a mensagem Error 37! Tem Vários Memês que fazem referência a este episódio!

  • Drew

    Excelente. Compartilho da sua idéia.

  • Paulo

    Eu sou assim, não faço questão nenhuma de ir em museu, acho chato, prefiro beber, comer, conversar, ouvir música, coisas que faço em casa e quando visito outras cidades, bebo e como comida local, converso com os nativos e tento vivenciar a vida do local, mas se alguém me chamar pra ir no museu eu vou também, mesmo que seja só pela companhia. Bom, acho que cada um tenta aproveitar ao máximo do seu jeito e se mantiver a mente aberta tenho certeza que qualquer lugar novo vai ser muito bom.

    • Ed

      Esse é o ponto. O museu é só um exemplo.

  • Bob

    Em mais de dois anos esse foi o post mais interessante do S&H. Muito bom mesmo. Parabéns.

  • Bruno

    Cada um viaja do jeito que quer, pra onde quer.
    Bizarro uma coluna onde o cara fica falando que o jeito dele de viajar é o mais legal ou é o “certo”.
    Tem gente que gosta de história, tem gente que gosta de matemática e tem gente que gosta de dançar e cantar.
    A motivação de viajar é pessoal.
    Se o cara sai do Brasil e vai até Machu Picchu só pra ver a paisagem, porque ele curte montanha e quer ver aquele monte de pedra, ótimo pra ele.
    Imaginemos que ele está pouco se *udendo pra história daquele lugar. Direito dele. Ele está lá para ver a paisagem, curtir a natureza, fazer um trekking legal, conhecer gente diferente na trip.
    O cara não precisa ser uma filial da Barsa ou da Wikipedia.
    Porque que nesse mundo tem que ter manual pra tudo!?!?! Se você vai viajar, faça assim que é o certo!
    Tá loco… é tudo pasteurizado!
    Se o cara sai de casa, viaja 5 mil km mas só se sente bem se comer a mesma comida todo dia, PROBLEMA DELE!
    Se o cara sai de casa, se enfia no meio do mato, mas mesmo assim tem nojo de encostar a bunda em algum lugar pra cagar, PROBLEMA DELE.
    Essa sua coluna só visa a segregação em grupos: “sou um mochileiro que quer dar pinta de intelectual. Vamos segregar os “modinha”. Os caras não podem ser mochileiros pq eles só querem sair de casa e esquecer da rotina, tem que estudar, ler sobre o lugar, pra depois poder alugar o ouvido dos amigos que não querem ouvir essa porcaria”
    O teor da sua coluna deveria ser o de ENCORAJAR/ESTIMULAR as pessoas a estudar sobre os lugares e não desdenhar de quem não faz ou não quer fazer isso.
    Ignorante é você.

    • Fábio

      Concordo!

  • Renata

    Perfeito 🙂

  • Joao

    Eu acabei de dizer isso pra minha mãe!

  • Famscrow

    Acho que fazemos isso por costume e um certo receio. Pensa só ir em um lugar novo e experimentar um prato típico bem temperado… “piriri” na certa.

  • Sem sono

    Pedro, pensei exatamente a mesma coisa quando fui com um grupo à China… caminhando pela Praça da Paz Celestial, parei exatamente no ponto da famosa cena que o manifestante obstrui a passagem dos tanques, no Massacre de 1989… nessa hora, impressionado, olhei prá um colega e falei…”Cara, exatamente aqui é aquela cena no manifestante parando o tanque de guerra!” e ele me responde…. “Que cena? Ah, foda-se, vamos logo pro mercadão chinês comprar muamba…”

  • Nervouspe

    Ótimo texto!!

  • André

    que texto ruim.

  • funfras

    Resumindo pra quem não quis ler tudo:

    “Eu sou mais culto e minhas viagens são mais legais que as suas.
    Eu sei viajar e você não”

  • Gabriel

    Ainda não entendi a piada…

  • Julio Matouk

    concordo plenamente, mas vc podia te explicado a piada do coringa no final né?

  • luca

    lucamoraes

  • lucamoraes

    “A dura vida do viajante ignorante”, não precisava mesmo esse título.
    Concordo muito com o que o Bruno falou. Esse ano fiz uma viagem de apenas 8 dias para ir a um determinado festival de música em Chicago. Tanto lá quando aqui mesmo no Brasil reparei muita gente que simplesmente não entendeu que o motivo da minha viagem era basicamente viajar o continente para ir a shows. Ainda mais indo somente para uma única cidade que poucas pessoas aqui no Brasil sabem alguma coisa a respeito (como se visitar os EUA sem ir pra nova york ou Los Angeles fosse um absurdo.)
    Fiz o que era importante para mim, Sou estudante de Design mas infelizmente não tive tempo para visitar os grandes museus da cidade ou até mesmo para experimentar a chicago style pizza, minhas prioridades eram outras. E isso não torna um frequentador de museu ou degustador refinado da gastronomia internacional melhor do que qualquer outro.

  • Luis Felipe

    Me lembro muito bem desse dia !!! as 4 da manhã, horas e horas esperando o jogo abrir e aparecia a mensagem Error 37! Diablo3.
    O quadro é muito bom, e essa diferença pra quem viveu o momento e entende o significado do quadro é genial… passa totalmente o que o texto explica. muito bom.
    Ctz eu ficaria muito mais feliz em ver um quadro desse na parede do que um qualquer do Louvre…
    falta de cultura ? sim ! infelizmente não tenho nem dinheiro nem cultura para gostar de pinturas clássicas …

  • Marcel Brandão

    Parabéns, Um dos melhores textos que li nos últimos anos.

  • Roberto

    Pois se eu fosse pra Grecia ou pra china, preferiria passar fome