teoriaconsp1.jpg

Um Continente de Plástico


Olá crianças,

Entre o Havaí e a Costa Californiana existe um novo continente emergindo dia após dia. Desde a década de 30, ele se torna cada vez maior e, atualmente, já possui mais de duas vezes o tamanho do Texas.
Seria a tão famosa Atlântida, emergindo para 2012? Seria uma uma rocha kriptoniana, resultado de algum cristal jogado ao mar por Lex Luthor? Seria R´lyeh, morada do Grande Cthulhu, erguendo-se do mar?

Não… este verdadeiro continente de lixo é chamado de “Great Pacific Garbage Patch”, ou em português, “O Grande Depósito de Lixo do Pacífico”. Uma área gigantesca em proporções completamente absurdas, que pode ser avistada até pelo Google Earth, maior do que as regiões Sul e Sudeste somadas e com profundidade de até 15m em alguns locais (o plástico possui várias densidades, o que torna as camadas de detritos bastante profundas, como verdadeiros “icebergs” em alguns locais), formada inteiramente de tudo o que você puder imaginar que seja feito de PLÁSTICO.

Desde que Leo Hendrik Baekeland inventou a Bakelita em 1909, a IG Farben desenvolveu o PVC no final da Primeira Guerra Mundial e a DuPont patenteou o Nylon em 1939, cerca de 99,9% de todo o plástico que já foi produzido no Planeta NÃO foi reciclado. Foi sendo continuamente jogado em latas de lixo, que por sua vez foram jogadas em lixões, que acabaram caindo em rios, que eventualmente caíram no mar. Nestes mares, existem correntes marítimas que levaram este lixo plástico para bem longe das pessoas… mas o grande problema é que existem as famosas “Correntes Marítimas”, que acabam jogando todo este lixo para lá e para cá no mar… e esse plástico foi flutuando, flutuando… até que, por força dos círculos criados por estas correntes, ele acaba ficando preso em uma determinada região do Oceano Pacífico… e foi se acumulando por décadas e mais décadas e mais décadas… até os dias de hoje.

Acho que com isso você deve ter uma noção do tamanho do problema que foi criado. Esta não é exatamente uma “novidade” para as otoridades, pois o lixão já havia sido descoberto bem antes de 1997, fotografado durante as manobras americanas no Pacífico. O grande problema é que esta área do planeta fica em águas internacionais, ou seja, na “terra de ninguém”. Cada país toca o foda-se e acha que o problema não é dele e, enquanto isso, o continente de lixo foi crescendo, crescendo, crescendo…

Em 1997, o velejador Charles Moore, capitão do veleiro Alguita, havia participado de uma competição no Havaí e resolveu experimentar uma nova rota mais ao norte. Ele sabia que estava entrando na “zona morta”, mas o que encontrou lá não saiu mais de sua mente – e transformou-se em sua razão de viver. Eis uma matéria sobre ele, que saiu no Le Monde:

“Charles Moore conserva os seus achados mais preciosos num armário de ferro no fundo do seu jardim, perto do oceano Pacífico, em Long Beach, Califórnia. Há dez anos que, a bordo de um catamarã batizado Alguita, este homem vem caçando obstinadamente uma presa singular, o plástico encalhado no fundo do oceano. (…)

O seu interesse no plástico resulta de um evento casual. Em 1997, ao retornar de uma competição de veleiros que o conduziu de Los Angeles até Honolulu, o navegador tomou a decisão de passar por uma rota habitualmente evitada pelos marinheiros, pois ela atravessava uma zona de altas pressões, sem vento, onde as correntes se enroscam no sentido das agulhas de um relógio: o Giro do Pacífico Norte. “Dia após dia, eu não consegui ver nenhum golfinho, nenhuma baleia, nenhum peixe sequer; tudo o que eu via ali era plástico“, recorda-se.

Charles Moore apaixonou-se por este lugar esquecido. Ele criou uma fundação, fez com que ela fosse financiada por doadores privados e, com a ajuda de cientistas especialistas na poluição da água, desenvolveu um método de quantificação dos detritos, antes de retornar para aquela área. Os primeiros resultados das pesquisas foram divulgados pela publicação especializada “The Marine Pollution Bulletin” em 2001. A equipe recenseou 334.271 fragmentos de plástico por km2 em média (e até mesmo a quantidade máxima de 969.777 fragmentos por km2 em certos lugares), para um peso médio de 5 kg/km2. A massa de plástico é seis vezes mais elevada do que a massa de plâncton colhida no local. O Giro atua como uma armadilha para as partículas.

O lugar onde as amostragens foram colhidas, que é tão grande quanto o Texas, é batizado de Eastern Garbage Patch, a “Porção-lixo do Leste” do Pacífico. Qual é a superfície total desta vasta “lata de lixo”? “Isso, nós ainda não descobrimos”, responde Charles Moore. “A água está sempre em movimento, e, com isso, a poluição fica muito difícil de medir. Eu percorri 150 mil quilômetros a bordo do Alguita pelo Pacífico Norte, e encontrei plástico por todo lugar”.

A Imagem desta tartaruga diz tudo. Presa em um destes aros que ficam na boca de uma garrafa de 2 litros quando pequena, ela foi crescendo e se deformando aos poucos, até se tornar esta monstruosidade, que foi encontrada pela tripulação do Alguita. além deste exemplo, dezenas de milhares de peixes morrem a cada dia por ingestão de pellets (aquelas bolinhas de plástico que são usadas para forrar caixas de eletrodomésticos) pensando que são ovos, peixes e tartarugas morrem por ingestão de saquinhos plásticos que confundem com medusas e pássaros acabam doentes ou mortos por ingestão de pecinhas de plástico que confundem com peixes ou outros alimentos.

Assustador, heim?
A mais recente viagem do Alguita permitiu constatar um agravamento dos níveis de poluição. “Foi verdadeiramente chocante constatar que em cada colheita que nós trazíamos para a superfície, a rede estava sistematicamente lotada de partículas e objetos de plástico”, observa Jeffery Ernst, 22 anos, que acaba de obter o seu diploma de biologia marinha e que se alistou como voluntário para integrar a tripulação do Alguita. “Os fragmentos, que são colhidos por meio de um grande jereré sofisticado, deverão ser selecionados e classificados em 128 categorias diferentes, em função do seu tipo (fio, filme, espuma, fragmento, granulados), do seu tamanho e da sua cor.”

O que fazer?
O próprio Moore é bastante pessimista diante do quadro, dada a imensidão da tarefa. É impossível filtrar o mar e a massa de plástico, já aglutinada em diversas porções, forma algo comercialmente inviável de reciclagem, devido à deterioração. Ele tem uma metáfora bastante boa para descrever o atual estado de coisas: “o mar é como um banheiro sem descarga. Nós podemos parar de usar a privada, mas não podemos tirar o que já está lá“.

A NOAA _ National Oceanic and Atmospheric Administration, que já tem há alguns anos um programa de monitoramento de resíduos marinhos, administra um tímido programa de remoção de resíduos ao norte do Havaí _ porém, o programa é centrado na busca e remoção de redes de pesca abandonadas, também conhecidas como “ghostnets“, porque elas apesar de abandonadas nunca param de pescar, levando à morte milhares de animais marinhos.

Em uma matéria do SFGate do ano passado, Holly Bamford, oceanógrafa e chefe do serviço de resíduos marinhos da NOAA, reagiu de forma previsível para qualquer burocracia pega no contrapé, questionando o tamanho e o volume do lixo total existente no Giro do Pacífico. Entretanto, ela informou que o governo americano pretende iniciar pesquisas com aviões de controle remoto que fotografarão a área _ mas o programa só deve começar em um ano e meio, e só terá resultados daqui a dois anos. E, evidentemente, ainda não se sabe muito bem como proceder para retirar os detritos existentes.

É claro que a abordagem mais prática seria aplicar regulações mais estritas sobre o que se pode jogar ao mar ou não.
Existe uma convenção internacional _ “Convention on the Prevention of Marine Pollution by Dumping of Wastes and Other Matter“, de 1972, mais conhecida como Convenção de Londres _ regulamentando o tipo de material que pode ser jogado ao mar, mas apenas para embarcações, aeronaves e plataformas, e não a partir da terra, o que reduz bastante sua abrangência já que esta é a maior parte do lixo atirado ao mar.

Mas até onde sei não existem iniciativas mais organizadas e sérias para lidar com o problema do lixo não-biodegradável em mar alto, muito menos de limitação do despejo de plásticos no mar.
Se alguém conhece, por favor sinta-se a vontade para informar ou mesmo linkar a fonte na caixa de comentários deste post.

Bem… não são apenas as grandes religiões que mentem para vocês. Os cientistas e os governos também varrem a sujeira para debaixo do tapete (ou para debaixo do mar). Quem sabe se em 2012 todo esse lixo não será devolvido às nossas praias?

Mais informações neste link:
Plastic in The Seas and Lakes

————————————–
Cursos de Dezembro
– 20/12 – Kabbalah
– 21/12 – Astrologia Hermética

Informações: [email protected]

Estava conversando com o Gabriel da loja Pendragon e acho que teremos um espaço para cursos em Brasília em janeiro. Precisamos só ver se temos alunos interessados para formar uma turma. O Mozart também disponibilizou uma sala de faculdade para cursos no Rio de Janeiro. E sei que tem um grupo se mexendo em Belo Horizonte. Então se você mora próximo de alguma destas cidades e está a fim de estudar ocultismo nas férias, entra em contato pelo email.

—————-
Reuniões da FRA (Fraternitas Rosacruciana Antiqua) para estudos
As 2as feiras, 19h30
Rio de Janeiro – r. Sabóia Lima, 77 – Tijuca – tel. (21) 2254-7350
São Paulo – r. José Libero, 156 – Planalto Paulista – tel (11) 5594-7770

——————————–
E para quem quer textos mais ocultistas, meu blog pessoal.
(E com RSS agora!):

Bibliografia Ocultista 01
RPG Wiki – A Wikipedia do RPG.
A Arca da Aliança, Doktor Jones
Arcano 6 – Os Enamorados
Exercícios Práticos 2
Egrégora, o Coletivo de Pensamentos
Arcano 5 – Hierofante – Vav
Bruxaria, Paganismo e Magia Sexual
Hieros Gamos e Magia Sexual
Arcano 4 – Imperador – Heh
Fernando Pessoa escreve sobre a Maçonaria
O Cérebro, os Rituais e o Tempo
Chakras, Kundalini e Tantra – parte III
Arcano 3 – Imperatriz – Daleth
Magia Sexual

Twitter oficial do autor da Coluna Teoria da Conspiração.

  • Douglas S.

    Olá MDD,

    Muito nobre sua iniciativa de falar sobre o Pacific Trash Vortex. Conheço um pouco a área de reciclagem de plásticos e as alternativas técnicas disponíveis realmente não são nada viáveis.
    Uma das coisas mais básicas sobre plásticos, e de total desconhecimento da população, é que existem MUITOS tipos de plásticos diferentes. E eles são imissíveis, ou seja, assim como a água e o óleo, eles não se misturam, não dá para reciclar dois diferentes juntos.
    É fácil (ou deveria ser) de identificar cada material pelo número que consta normalmente em algum canto do objeto plástico, dentro do sinal universal de reciclagem. 1 = PET, 2=PEAD, 3=PVC, 4=PEBD, 5=PP, 6=PS, 7=Todos os outros.
    Isso significa que é impossível coletar aquelas porcarias todas boiando, picar e fazer coisas novas (reciclar). Seria necessário separar todos os objetos, UM a UM primeiro. Além disso, aquela coisa boiando lá, se for trazida para a terra por algum governo benevolente (ha ha ha), será de posse do país que, obviamente, não pode mais devolver de onde tirou, caso não consiga reciclar.
    450 anos é o tempo “teórico” de degradação do plástico. Isso porque não existe plástico de 450 anos para ver se as bactérias conseguiram degradá-lo para ter certeza. Estudos pouco divulgados apontam, infelizmente, para a conclusão que nenhum plástico é degradável em condições normais, como no aterro sanitário. No mar, nem pensar.
    Poucos estudos existem atualmente sobre aquela mancha plástica flutuante (que leva 10 dias para ser atravessada por um cargueiro, 10 dias de plástico) é resultante dos depósitos provenientes de fontes anteriores a 15 anos. Sabendo que o consumo de plástico mundial tem uma curva exponencial (cresce incrivelmente, para quem não entendeu), os resíduos dos últimos 15 anos ainda estão para chegar lá. Isso sem contar o ainda vamos mandar para lá.
    Atualmente, as duas únicas opções que seguramente surtem efeito são: Tenha duas lixeiras em casa, uma de lixo orgânico e outra de lixo seco. Mesmo que não tenha separação de lixo no seu bairro ou na sua cidade. Separe. Com certeza há catadores nos lixões e aterros que irão “coletar” esse lixo separado sustentar sua familia. Segundo, reduza o consumo, levando a sua sacolinha de casa ao mercado (use uma reforçada, que não rasgue) e reutilizando potes, sacos, embalagens, e o que mais for possível.
    Tenha certeza que na próxima encarnação o problema estará maior! E ainda será seu.

    (Desculpe pelas considerações longas, MDD)

    Douglas S.

  • Fabiano

    Salve Marcelo,

    Putz que merda né cara… que venha 2012.

    Forte abraço,
    Fabiano

  • nervo

    Sobre a tartaruga, creio que não seja um aro de uma garrafa plástica de refrigerante, pelo tamanho ela já é bem velhinha, ou seja, este aro entrou bem antes das garrafas plásticas atuais existirem.

    Tenho uma solução simples para o problema, fazer como o pessoal do Titicaca, utilizar o plástico para criar ilhas ou porque não – um novo continente.

  • ludmila torquetti

    simplesmente triste…

  • Henrique Petraconi

    Ao ler esse artigo tive novamente a sensação de estar vivendo em um planeta que está acabando.

  • Lairson

    bom post, um dos melhores até agora na minha opinião. esse papo de águas internacionais só existe para problemas, na hora de querer mais territorio aquatico para a perfuração de petroleo ou outras atividades economicas fica fácil falar de quem é.

  • Folli

    Primeiro!

    Excelente texto como sempre!

  • Sisenando

    Não achei nada Google Earth…

    Alguém?

  • terugo

    triste, lamentável

    há algum tempo li matéria que dizia haver um estudante descoberto bactéria que decompõe plástico. Em vez de milhares de anos, o serviço é feito em alguns meses. Não seria solução isso? Feito controladamente e com constante vigilância, talvez resolvesse.

    a matéria:

    http://educacao.ig.com.br/noticia/2008/06/12/estudante_descobre_bacteria_que_decompoem_plastico_em_3_meses_1354670.html

    até a próxima

  • Graveto

    No Brasil, o Ibama vem fazendo um trabalho muito bom junto as empresas de embarcações que prestam serviço ao mercado de petróleo, sendo mais restritiva que o Anexo V – Regras para prevenção da poluição por lixo provenientes dos navios da Marpol 73/78 – Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição Causada por Navios. Pelo ao menos estas embarcações, e no Brasil, não tem alijado resíduos ao mar, com exceção a resto de alimentos triturados.
    Agora, como na maioria das vezes, assuntos relacionados a Meio ambiente são tratados por leigos e/ou curiosos no assunto, fica meio difícil acreditar em algumas coisas. No caso deste mar de plástico, não há muita documentação científica, artigos, etc. a respeito, apenas matéiras deitas por ambientalistas (ecochatos). Que pelo tanto que já fizeram, perderam um pouco da credibilidade. Por exemplo, senão me engano, esta foto da tartaruga é fake.
    Não estou desmistificando o assunto, mas a maioria das notícias como esta, são sensacionalistas. O problema com lixo no mar é real e sério, mas não sei se chega a ser este mar todo.

    Agora, pode ser tudo teoria conspiratória. heheheh

  • Gilmar

    Marcelo, é a terceira vez que tento mandar este comentario e sempre falha e ele acaba se perdendo, mas vou tentar mais uma vez.
    Eu estudo história, mas um ramo que sempre me interessou, mas que eu tinha ja deixado de lado por falta de informação de qualidade, é a mitologia.
    Na escola não tinhamos acesso, os professores não tinham o minimo interesse e eu sempre me contentei com o que encontrava na biblioteca.
    Com sua coluna, voltei a sentir a vontar de pesquisar mais sobre o assunto, até porque tem coisas que voce escreve, como fatos históricos e datas que eu questiono, e gostaria de discutir como forma de crescimento mútuo, mas, me falta leitura mais aprofundada.
    Bom chega de papo e vamos as perguntas.
    Agora no ano de 2009 vou me inscrever em uma academia de ninjutsu da Bujinkan (onde pratiquei por alguns meses, mas por motivos alheios a minha vontade precisei parar).
    La aprendi varios exercicios de respiração e meditação que me ajudaram a acabar com minha ansiedade, causadora de uma gastrite ja antiga.
    Tambem, ja me matriculei em uma academia de kung fu para aprender chi kung por indicação sua, pois após ler o primeiro post onde você citava esta técnica, um amigo me convidou para estuda-la, mas é claro que foi um simples “acaso”.
    Após ler o livro “A arte cavalheiresca do arqueiro zen” de Eugen Herrigel, senti muita vontade de conhecer o budismo e tambem o xintoismo, religiões que eu tive contato no Dojo de ninjutsu.
    Voce pretende fazer uma matéria sobre estas duas religiões?
    Apesar de saber que não é sua area de estudo, gostaria – se for possivel – de conhecer mais a respeito dos deuses e genios do japão e china, bem como suas lendas; em especia sobre Tengu.
    Vou tentar comentar mais por aqui.
    obrigado pela caridade de compartilhar seu conhecimento conosco.
    Boa sorte em seus projetos para o próximo ano.
    Até breve.

  • Cayo

    Pirmeiro…

    Tenso

  • Gilmar

    Desculpe pelos erros de português.
    nem deu tempo de revisar pois estou no trabalho.

  • Ultrajante… Para resumir em uma palavra. Porque todo este plástico não foi reciclado? Provavelmente porque as patentes não têm muito a ganhar com isso. Isso me causa “vergonha alheia”.

  • Gilmar

    Quanto ao post, realmente é assustador.
    Eu trabalho numa ong que da ensino de qualidade a crianças carentes, sendo o principal doador uma empresa de aquecimento solar bem famosa no país.
    A empresaria tem uma conciencia socio-ambiental muito grande (sem puxasaquismo), pois alem da ong (que tem como objetivo chegar a marca de 420 crianças de familias de baixa renda estudando da 1ºserie ao ensino médio) pretende fazer uma empresa de reciclagem de plastico até o fim de 2009.
    São atitudes como essa que me fazem acreditar que ainda podemos ajudar o planeta, basta tirar a bunda da cadeira e se mobilizar.

  • É incrivel como eu participo disso -não só eu, mas todos- e nunca havia ouvido falar desse continemte que criamos…isso acaba com um sonho de “fazermos” um mundo melhor… criamos cada vez mais uma “coisa” nova, e esquessemos que o mudar tem se ser no todo, não apenas no meu video-game ou no meu computador..tenho nojo de ser humano…

  • André

    Realmente é preocupante, mas o planeta vai sobreviver. Ele sempre sobrevive.

  • Impacto

    Realmente chocante, não tinha ideia de que as coisas haviam chegado a este nível…

  • FELIPE

    chocante saber disso,e o peor é saber que os governantes achando que não é problema deles.E nem nós

  • solução superman.

    coloca tudo num foguete e envia pro sol

    ahauehauehauehaeah

  • Juliano Machado

    Absurdo!

    Não precisamos ir tão longe para ver a quantidade de poluição e desrespeito ao meio ambiente, moro no Rio Grande do Sul, na cidade de Tramandaí, a UFRGS (universidade federal do RS) possui um museu e laboratório marítimo aqui na cidade, certa vez retiraram uma CASA COMPLETA das lagoas da região! Quando digo completa, é completa mesmo, com direito a televisão, sofá, mesa, cadeira! Cumpre salientar que essas lagoas é que fornecem a água que tomamos! Maravilhoso não?
    Quem morar por aqui, e estiver de férias, recomendo a visita ao local. Eles possuem um leão marinho (acho que é leão marinho, sei que o nome é gordo) que ficou cego porque os pescadores o retalhavam quando chegava perto das redes. Além de um pote cheio de plástico que retiraram do estômago de uma tartaruga!
    Creio que todos devem ter um pouco de consciência ambiental e cuidar de seu próprio lixo, atitudes simples revertem casos como este.

    Excelente artigo, se me permites enviarei seu artigo para meu mail list (citando a fonte é claro)!

  • Claudinei

    Hehehe, sou o primeirão. Valew Marcelo, li todos os seus posts e tenho que lhe dizer muito obrigado, pois através do seu empurrãozinho eu, hoje, posso dizer que estou mais “iluminado”.

  • Schimidt

    As coordenadas citadas na entrada da wiki

    http://en.wikipedia.org/wiki/Great_Pacific_Garbage_Patch

    “The Great Pacific Garbage Patch, also described as the Eastern Garbage Patch or the Pacific Trash Vortex is an area of marine debris in the central North Pacific Ocean located roughly in an area between 135° to 155°W and 35° to 42°N. The patch is characterised by exceptionally high concentrations of suspended plastic and other debris that have been trapped by the currents of the North Pacific Gyre.”

    Não mostram nada no Google Earth, alguem ai tem as coordenadas corretas?

  • Ex-Capitão planeta

    É senhores, por favor façam sua parte para salvar o planeta, para gerações futuras, nossa sobrevivencia e blá blá blá… gostaria muito de ajudar, mas eu vou fazer a minha parte é para usar o máximo de recurso possível, comer o máximo de bacalhau possível antes da extinção, aproveitar bem antes que acabe… Tá eu até tenho pena dos bixinhos, mas fazer o que? eu tó com fome! viva o petróleo, e a soja! Há mas ainda bem que existem grupos de ecologicos! ok, ainda bem, mas vcs já pensaram que é uma ótima forma de ganhar dinheiro? a natureza tá pouco se fudendo, não existe desiquilíbrio ecológico para a natureza, o desiquilibrio está é para a espécie humana, e demais animaizinhos fofinhos e raros que não estão adaptados! Agora vou nessa, gastar um pouco de água potável lavando o carro! tem coisa mais inútil?

  • Felipe Ghost rider

    Tenho interesse de participar do seu curso caso venha a Brasilia.
    Aguardo sua visita ao “avião”.
    Abraço.

  • Consigo traduzir o que sinto em algumas poucas palavras: choque, lamento, tristeza e esperança, sim, esperança, pois apesar de tudo ainda acredito que possamos melhorar um “pouco” e talvez minimizar toda a catástrofe que está por vir.
    Acredito que, cada pessoa fazendo um pouco, possamos gerar um grande resultado.

  • A raça humana logo vai acabar \o/

  • Danilo

    É cara, se retirassemos esse “continente de lixo” dos mares, o nível diminuiria (nem que um pouco) e a reflexão dos raios de sol (coisa que não vi sendo abrangida) seria a esperada para a região, reuzindo (retardando?) os efeitos vigentes do aquecimento global. Agora quem vai se interessar em ter um trabalho Hercúleo (ainda que unidos os países, seria coisa de anos e anos de trabalho pesado) pensando em nossos netos por um problema criado por nosso avós??

  • Adriano

    Antes de mais nada:
    Muito bom texto (como sempre),
    Segundo: De início me encabulei sobre o porque de alguma empresa ainda não ter se disponibilizado para reciclar tal lixo! Seria uma boa fonte de material reciclável, e tudo junto, seria só pegar, reciclar e ganhar dinheiro, simples assim!
    Mas como foi dito, ele não é mais aproveitável. O que fazer com ele??
    Espero que a bactéria comentada pelo terugo (aí em cima) trabalhe bem, caso contrário estaremos fadados a sermos soterrados pelo nosso próprio lixo…
    Até mais, abraço!

  • Bolívar

    “Quando o sol se derramar em toda sua essência
    Desafiando o poder da ciência
    Pra combater o mal
    E o mar
    Com suas águas bravias
    Levar consigo o pó dos nossos dias
    Vai ser um bom sinal…”

    As Forças da Natureza (João Nogueira / Paulo Cesar Pinheiro)

  • Vitor Vitali

    Eu perdi a fé no ser humano a um bom tempo… Por muitos motivos diferentes.

  • Guilherme

    Como assim 150mil quilômetros??

    Alguém perdeu a noção de distância ou de tempo?

    Os valores da quantidade de lixo fornecem uma média de 1 fragmenento de plástico a cada 3m² nas áreas dispersas, ou de 1 fragmento por metro quadrado nas áreas onde há mais lixo. Enfim, deve ser uma área muito grande, mas dá pra reduzir seu tamanho sem muito esforço como medida paleativa.

  • Leno

    Meu professor falou disso, ate as imagens sao iguais.

  • Bruno Chaves

    Nenhum governo ou instituição vai fazer a limpeza desse lixo, não é como a amazonia, ou os pandas, baleias ou tigres, limpar uma area imensa no norte do pacifico, quem se importa?? Quem esta la pra ver? Não causa nenhuma comoção ou apelo nas pessoas….Uma bolsa com mensagens de salvem a amazonia ou os pandas despertam muito mais compaixão nas pessoas que acabam gastando em produtos supostamente ecologicos…

    http://www.youtube.com/watch?v=X_Di4Hh7rK0

  • Douglas S.

    @ Guilherme
    “Enfim, deve ser uma área muito grande, mas dá pra reduzir seu tamanho sem muito esforço como medida paleativa.”

    E daí? Do que adianta fazer um montinho? Fazemos como alguem propôs mais acima, usamos para fabricar umas ilhas ou um novo continente. Talvez poderiamos colocar um parque de diversões lá, fazer um aeroporto e colocar um shopping de souvenirs. Vai ficar lindo!

    Douglas S.

  • Edson Santos

    Sobre isso deixo George Carlin falar…
    veja o video hehe…
    http://br.youtube.com/watch?v=X_Di4Hh7rK0

  • Rafael

    Acabei de finalizar o curso de Técnico em Meio Ambiente e esse agromerado de residuos plasticos no pacifico foi um dos temas apresentados como trabalho escolar, outro tema foi dos patinhos amarelos, que ate server para controle de marés

    Depois do curso cheguei a conclusao é simples: elimine a raça humana do planeta q tudo se resolve naturalmente.

  • Wagner

    Eu tinha lido um breve artigo sobre isso, e nele não citava a sua impressionante e desastrosa extensão.
    O que intriga é o quanto vai juntar e pra onde vai tanto lixo.
    Se livram de um problema e geram vários…….

  • Leonardo

    Pra depois não dizerem que o provável fim, ou recomeço, de 2012, é algo feito por forças externas. O homem cava a sua própria cova, ele só quer colocar a culpa posteriormente, em Deus, nos ETs, nos asteróides, no caco de vidro, no cabelo que apareceu no ovo, no…

    Abraços.

    A.Z

  • Seu nome

    Já tinha lido um breve artigo sobre esse assunto, e não citava esse desastroso e extenso estrago.
    O que intriga é pra onde vai e como vai aumentar esse lixo.
    Se livram de um problema e geram outros !!

  • Pepeto

    Fiz um retângulo com as coordenadas da wikipedia no google earth, mas não encontrei nada dentro da área, porém, é curioso que uma imagem do oceano apareça logo abaixo. As coordenadas são as seguintes:
    31°36’31″N 146°01’46″W
    Só que a fotografia dessas coordenadas não mostram nada, só a superfície do oceano com espuma com uma nuvem no canto superior esquerdo.

  • Marta

    O fato é que muito se fala e pouco se faz..
    A idéia de fazer um novo país com esse lixaredo todo, me encantou….além do que, poderíamos para lá transferir todos os políticos corruptos ….

  • meu Deussssssssss…isso é totalmente repugnante!! como uma coisa dessas nunca foi falada por ninguém! isso é gravíssimo! me revolta!

  • kahlil

    O SER HUMANO É O CANCER DO PLANETA TERRA

    resta saber se ele consegue a cura

  • Juliano Machado

    Alguém por acaso conseguiu as coordenadas no google earth?
    As ditas pelo Pepeto eu tinha achado já, mas creio que deve ser aquilo ali mesmo!

    Caso alguem saiba por favor informem nos comentários!

  • Thiago

    Enquanto palavras como “reciclável”, “biodegradável” e “verde” sejam no máximo valor agregado, só resta o boicote mesmo.
    http://www.vhemt.org/pindex.htm também ajuda.

    Gilmar, se você ta iniciando no kung fu atrás de chi kung, tenha paciência pois chi kung normalmente só e ministrado depois da preta, até lá tem chão que vc n faz idéia..

  • David R

    o mais interessante é que todo mundo aqui comentou sua repugnação e vão na esquina daqui a pouco comprar sua coca de 2,5 litros.

    e depois ficam na esperança de 2012 mudar tudo sozinho.

    bela comédia.

  • chains

    é como disse o raulzito:

    “Buliram muito com o planeta
    E o planeta como um cachorro eu vejo
    Se ele já não aguenta mais as pulgas
    Se livra delas num sacolejo”

  • Douglas Samuel

    Deixa a coordenada no google earth para nós, Marcelo.. tem muita gente que só acredita vendo

  • Fábio

    Realmente pra quem tem um minimo de conciencia é revoltante, sem duvida um dia a natureza irá cobrar o devido preço pela nossa cultura consumista, egoista e alienada.

    E o pior é que não acho que vá demorar muito não.

    Mas fazer o que, todos temos de evoluir nem que seja na marra, se não é por amor vai pela dor mesmo.

    Paz.

  • Gabriel

    É bem aquilo.
    Ninguém está ligando muito para o Planeta, estamos ligando mesmo é para nossa sobrevivência.
    Até porque, espécies desaparecem aos montes todos os dias.
    E a espécie humana não é o pior dos males do Planeta. Ela que já passou por coisas bem piores.
    E sem querer prever por apocalipse nem nada do tipo, mas vamos ser uma civilização que se extinguiu como tantas outras em varias partes do Universo.
    É inevitável.
    Fico horrorizado com tantas desgraças que aconteceu e acontece nessa nossa civilização. Mas não sou hipócrita para ficar colocando camisa de Greenpeace, sendo que não do a mínima para o Planeta. E se algo rege as leis do Universo – alguns dizem ser Deus, outros o chamam de “Mãe Natureza” e os mais “céticos” de “Grande Elétron” – sei que ele também não dá a mínima para mim.

  • christina

    é absurdo o descaso com que os governos e a maioria da população trata a natureza…
    depois não vai adiantar chorar o leite derramado…

  • Eduardo

    Como Biólogo gostaria de agradecer a disponibilização da informação para os leitores, pena, esta ser somente a ponta do iceberg (literalmente)…

    Como diria o crítico George Carlin “O planeta vai bem obrigado, um cataclisma aqui, outro ali.. e ele (o planeta) recupera o seu equilíbrio, os seres humanos estão F…*&¨%@$”

    Não concordo completamente com a opinião dele, todavia tb não está totalmente errada…

    “Homem conhece-te a ti mesmo…”

    Obrigado e Parabéns sempre MDD…

  • L.C.L.

    Então quer dizer que nós sujamos o oceano? Não… não pode ser. Humanos… poluindo? Mas que absurdo! E pensar que os governantes nunca me avisaram, os malditos!

    É muita informação pra mim… Vocês não podem ver, mas eu estou fazendo uma cara de chocado com essa descoberta.

  • Este lixo deve estar lá por algum motivo,lógico que foi cusado por humanos,mas isto é um mero detalhe socio-cultural consumista alienado..
    Mas por que uma aglutinação justo neste ponto do planeta,como que as correntes marinhas continuam mandando todo este lixo para lá?!
    A natureza está tramando alguma coisa!..Aguardem!

  • Guilherme

    @ Douglas S.
    E daí? Do que adianta fazer um montinho? Fazemos como alguem propôs mais acima, usamos para fabricar umas ilhas ou um novo continente. Talvez poderiamos colocar um parque de diversões lá, fazer um aeroporto e colocar um shopping de souvenirs. Vai ficar lindo!

    O que eu estou falando é que um montante de lixo assim ainda está muito disperso. Mas e portanto é relativamente fácil reduzir o tamanho dessa área. Porque eu não vou lá tirar o lixo do mar, e acho que nem você. Talvez alguma boa ONG o faça, e a primeira coisa a fazer não é ficar pescando lixinho por lixinho, mas sim juntar tudo e depois levar embora ou tomar outra atitude.
    Pra fazer um shopping center em alto mar com uma densidade superficial de 5kg/m² ainda falta muuuuuuito lixo. Melhor tomar outra providência.

  • Bruno

    Até que enfim temos a possibilidade de termos algo em Brasilia. Fico muito feliz com a noticia. Ótimo texto.

  • Alex Nunes

    Mas o que vai acontecer em 2012?

  • Rafael

    Não da pra enviar todo esse lixo pro espaço ou pra Marte?

  • luke

    Hum…
    Eh triste ver como tudo demorou bilhões de anos pra ter uma harmonia tão linda e o homem em menos de alguns milenios destruir…

  • Cara … show de bola… tenho um Blog que fala de assuntos ambientais … e ontem estava em uma loja de conveniencias e ví a capara da SUPERINTERRESSANTE e ela trás este assunto na capa… e hoje um amigo o (Michel de Palmas/TO) meu amigo me mandou este seu post … fiquei até meio assim pq … ha sei lá tinha acabado de ver algo sobre isto … achei até bem interressante mesmo o assunto .. e desde ontem já pensava em escrever algo sobre…

    Mas a forma que vc escreveu este arigo foi MUITO bom … parabéns pelo artigo .. mas n~~ao pelo conteúdo do artigo … fico chocada com tudo que ac]parece todos os dias … é muito complicado … mas estamos aí para procurar soluções .. eu até énso em algumas… mas são mínimos perto do que acontece …

    Abraços
    Daiane Santana

  • […] O mar vai virar lixão, doi do coração! […]

    🙂

  • 1. jah reproduzi o texto no acaocaixapreta.blogspot.com, repassei por email, ichat e se tivesse decorado mandava por megafone!

    2. na sequencia vi um video do GEORGE CARLIN!

    3. to indo comprar gasolina pra confeccionar os coqueteis molotov (se eles querem petroleo eh isso q vão ter!!!)

    4. volto só amanhã pra ler no jornal o q deu!
    ahuahuahuahuahuahuahuahuahu

    “The first soap was made from heroes’ ashes,
    like the first monkey shot into space.
    Without pain or sacrifice,
    we would have nothing.”

  • Wilton

    Mas uma vez fomos enganados, sempre somos sempre a população é a ultima a saber, é dificil lutarmos contra coisas que nos mesmo nao fizemos mas tenho noção de que se nos nao começarmos ja a tomarmos cuidado nosso planeta apos muitos anos acredito que se acabara, acho que deveriamos deixar de lado este processo de modernização se continuarmos com este padrao de cada ano explorar mais lucrar mais nunca conseguiremos dar um geito nisso.

    Se vc que começar a mudar isto divulgue esta ideia e comece parando de utilizar esta sacolinha de supermecados é estas mesmo é uma vilâ muito perigosa para nosso solo e aquiferos.

  • Wilton

    difícil lutarmos contra coisas que nos mesmo não fizemos mas tenho noção de que se nos não começarmos já a tomarmos cuidado nosso planeta apos muitos anos acredito que se acabara, acho que deveríamos deixar de lado este processo de modernização se continuarmos com este padrão de cada ano explorar mais lucrar mais nunca conseguiremos dar um jeito nisso.

    Se vc que começar a mudar isto divulgue esta idéia e comece parando de utilizar esta sacolinha de supermercados é estas mesmo é uns vilãos muito perigosos para nosso solo e aqüíferos.

  • luanna franco

    Moro em Goiânia, uma das cidades mais arborizadas da América latina. E a maior ironia é que não há lixeiras, a não ser nas praças. Eu me pergunto: será que é tão difícil assim zelar por nossa casa? Gostaria de fazer mais pelo meu planeta, mas si todos nós fizéssemos nossa parte, e cobrássemos dos nossos representes, talvez não precisasse chegar a esse extremo! É sempre importante ressaltar, o planeta vive sem nós, seres humanos ( ele se renova), mas nós não vivemos sem ele!!

  • luanna franco

    Estava eu lendo os protestos, bem, fiquei um pouco pasma. É esssa a palavra? Não, há uma melhor, desesperada! Será que é tão caótica a situação dos seres humanos, a ponto de não saber, ou melhor, não si interessar pela situação que a humanidade si encontra?? Gente vamos nos informar, para nos salvarmos por que não é uma questão: a o planeta supera. Isso nos envolve também, si não pelo próximo por nós!!

  • fake

    parece verdade,
    o texto eh tao enfatico e apelativo que acaba sendo hiperbolico..
    eu to me pergutando aqui por que eh que o Green Peace nao fez cartazes do tipo “use uma sacola de papel e salve duas tartarugas” em relacao a esse problema, fora que ha um problema de escassez de fotos dessas regioes onde ha acumulo de plasticos, e ha,ainda, uma falta de coordenadas pra constatar a veracidade do problema
    existe saida para esse plastico: fazer estruturas de casas que podem ser destruidas por furacoes hehe
    ou barcos…
    ou jogar em vulcoes ..
    canetas Bic..

    se o plastico demora 200 anos pra se decompor, e faz 100 anos que a grande producao de plasticos comecou, ainda restam 100 anos pra fazer uma reciclagem, n? isso considerando que tudo que esta la foi produzido ha 100 anos!
    reciclai-vos e multiplicai-vos (lucrai-vos) =)
    isso se fosse verdade geraria uma disputa por materia prima entre as grandes empresas uma vez que ja esta tudo separado e que transporte por barco eh barato em relacao aos outros…

  • Rafael Pim

    Interessante.
    Eu, como Biologo Marinho, desconhecia do assunto. Vou pesquisar.
    Abraços
    Rafael.

  • pedreiro

    1) não consegui achar no google…alguém pode dar as coordenadas?
    2)”o plástico possui várias densidades, o que torna as camadas de detritos bastante profundas, como verdadeiros “icebergs” em alguns locais”
    Caracas,essa foi fodz….o gelo nao tem várias densidades e faz iceberg…bola fora, doctor strange.

  • Eu não consegui ver os plásticos no google earth. O que pode ser? Por não ser assinante somente?
    Abraços e o melhor blog é esse.

    @MDD – Eu dei uma arrumada no meu texto. Acho que é muito difícil ver do google porque a área se assemelha a uma “sopa de pedaçoes de plástico e lixo” e, do espaço, isso ficaria confundido com espuma ou ondas.

  • Gilmar

    MArcelo eu estava lendo na internet a pouco e li a respeito de um livro chamado “codigo de órion”.
    Voce conhece?
    Ele fala do fim do mundo em 2012, dizendo que ele descobriu sobre inscrições egipsias e maias falando sobre o fim nesse ano.
    Aqui vai o link para ler a sinopse caso voce nao conheça.

    http://www.batunes.net/download-o-codigo-de-orion-o-fim-do-mundo-em-2012.html

    aQui vai o link direto para baixar.

    http://w14.easy-share.com/1702081288.html

    Ja ouvi falar de algumas histórias sobre 2012 acontecer algumas mudanças no plano astral, mas esse livro me parece é um amontoado de teorias sem fundamento para vender mais.

  • fake

    Pedreiro, vc disse que
    “o gelo nao tem várias densidades e faz iceberg…”
    na verdade tem sim, a pressao aumenta com a profundidade, o que faz com que a densidade do gelo aumente com o aumento da profundidade na agua..

  • Impressionante, mas nada fora do esperado – se referindo ao lixo, não a coluna. O ser humano sempre soube que polui, mata e destrói, mas assim como nossos políticos, nós aproveitamos o agora e o depois que outros cuidem.

    Enquanto os engravatados dizem “vamos nos preocupar com esses 4 anos de mandato e fazer nosso pé de meia” nós dizemos “vamos viver tudo o que temos para viver e fazer um pé de meia para os filhos. Eles que se virem mais adiante”.

    Já havia visto o vídeo de Carlin (até postei no meu blog um tempo atrás) e concordo 110% com ele. A Terra não precisa de ajuda, nós é que precisamos. Então vejo sim um apocalipse no fim do túnel, mas não um de fogo, selos e dragões de 7 cabeças, mas sim um simples apocalipse de plástico e concreto.

    Vamos nos afundar em nosso lixo e destruição e quando o último ser humano respirar pela última vez, o planeta vai seguir aí, vivo, leve e aproveitando a vida como ela deve ser.

  • Pessimista

    De quem é a culpa?

  • Paulo Craici

    Assunto de extrema importância DD
    Abraços

  • WicCaesar

    Se não fosse composto apenas de plástico arriscaria dizer que era a ilha para onde os irmãos Baudelaire acabaram indo no livro O Fim (Desventuras em Série).

  • Eron

    Isso ai é ARG de Lost!

  • nitrosal

    GOOGLE EARTH COORDENADAS:

    Verifiquem: 31º33’41” N – 146º04’34” O.
    Nota-se que seste espaço, a qualidade da foto no mar é mehorada, justamente para perceber os vários detritos de plático boiando no mar.

  • Raquel

    alguem sabe o que houve com a tartaruga?ela ainda tá viva? 🙁

  • Saiu uma materia no fantastico sobre isso, ai o link pra qm qser ver o video:

    http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1003242-15605,00.html

  • Junior

    Excelente artigo!

  • Essa informação deveria ser passada na TV

  • Caro Marcelo,

    Inaugurei um blog sobre sustentabilidade e gostaria de pedir se posso reproduzir, na íntegra (incluindo as imagens) esse artigos (claro, darei os devidos créditos no blog).

    Abraço

  • Lara Legaspe

    Assustador…

  • Stephanne I.

    Eu estava pensando em ser ambientalista e depois de ver esse absurdo
    vi que se os jovens nao tantarem fazer alguma coisa hj amanha pode ser tarde
    de mais. Amei a iniciativa. Parabens!

  • Lelalima

    Adorei