Problemas de primeiro mundo

“Problemas de primeiro mundo” é um meme bem popular lá fora que ridiculariza algumas reclamações do nosso dia-a-dia que são absurdas perto de problemas de verdade enfrentados por habitantes de lugares subdesenvolvidos. Nessa produção colocaram habitantes do terceiro mundo para ler algumas dessas reclamações deixando-as ainda mais absurdas.

Via: Treta.

Sacerdote da Santa Igreja do Culto ao Nintendinho, Ryu se declara um rapaz casto e introvertido, no fundo desculpas para seus constantes fracassos com as mulheres. Adora surfar, mas não sabe nadar e sonha em conhecer uma praia. Ex-modelo, ex-feirante, ex-atriz, ex-torcedor do Mixto, Evel na verdade é um extraordinário colecionador da série telecurso 2º grau, sabe de cor e salteado todas as lições de química e marcenaria contemporânea. Amante da boa cozinha, não dispensa um churrasco de gato no boteco da Zuleide. Adora aventura e sempre que pode arrisca-se no truco indoor, desde que o ambiente seja refrigerado. "Onde há flor não há envido!"

  • Tiago

    Discordo. Cada um com seus problemas. O fato de haver pessoas sofrendo no mundo nao vai fazer dos meus problemas nem mais faceis nem mais dificeis. Eles permanecem iguais.

    • conheço pessoas de 15 anos que tem uma opinião parecida
      mas eu dou um desconto para eles, ainda não conhecem nada da vida …
      agora, ouvir “cada um com seus problemas” de uma pessoa adulta é ridículo
      mas sei lá, o bom ou o mau caráter vai de cada um
      espero que você tenha 15 anos

    • Doug

      Devia ser obvio pensar que não existe felicidade qdo há sofrimento. O fato de uma bala perdida atingir um parente é resultado do nosso egoismo. Preferimos ir ao shopping a se reunir para ajudar.

    • “cada um com seus problemas?” Isso não é uma opinião seria de alguém sensato. Você precisava passar alguns meses cortando cana para aprender a valorizar a sua vida e de outras pessoas.

  • Eu realmente não entendo o porque eu não posso reclamar dessas coisa e desfrutar de pequenas mordomias sem me sentir culpada,porque tem alguém passando fome do outro lado do mundo,não insensibilidade nem nada do tipo,mas puta que pariu,não faz parte da minha realidade.

    • jose

      verdade isso,
      esse video é apenas para provar que existem coisas mais importantes com oque se preocupar do que com os probleminhas bobos do nosso dia a dia, mas, eu ficar com pena dela nao vai fazer diferença nenhuma, eu nao posso ajuda-los em nada entao nao vou ficar com remorso por um video

      • Que falta de senso de realidade. Se vc mora no Brasil, vc vive em no terceiro mundo. Os grandes problemas estão por toda a parte, na educação , na saúde , nas ruas…”O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.”
        Albert Einstein

    • ninguém está falando para você se sentir culpada por nada, só estão apresentando uma nova perspectiva.
      você adora saber o que a demi lovato está vestindo mas quando vê algo desse tipo se sente ofendida.
      na MINHA opinião além de insensibilidade você também tem algum tipo de “alienação seletiva”

    • Doug

      Uma vez Joseph Campbell perguntou a um meste Hindu: Vc ja atingiu o nirvana? Mestre: Só chegarei a tal nível qdo a última alma da terra tb alcançar tal feito!

    • Eu te explico o porque vc não entende: vc é uma burguesa com ideias nazi-fascista! Se cuida, Hitler e Mussolini pensavam como vc.

  • WILLIAM HADDAD

    que tapa na cara…de pessoas que reclamam de coisas atoas como se fossem assim o último biscoito do pacote…..

  • MacNamara

    voces querem ter o direito de reclamar? pqp
    vcs tem que agradecer pq o papai de vcs bancam tudo e ficarem quietos.

  • Clodoaldo

    A questão do vídeo na minha opinião é reflexão. Pararmos para pensar e enxergarmos que no fundo nossos problemas não são nada, pois nos adaptamos ao nosso modo de vida, rotinas. As dificuldades que são frequentes para nós comparadas ao modo de vida de pessoas com um baixo orçamento e em péssimo estado social, equiparando a isso não significam nada. Esse é o ponto deste vídeo, se nos sentimos culpados ou não, é um mero detalhe. Questão é olharmos essa questão antropológica muitas vezes esquecida.

  • Tiago

    Exato, pessoal que comentou. Os nossos problemas de primeiro mundo não deixam de ser problemas porque tem uma criança na África passando fome. Isso é lógica.

    Agora, cada um pode construir um significado diferente com o vídeo que vê. Por exemplo: Se eu me preocupo porque esqueci o celular quando fui ao banheiro, eu estou investindo uma energia idiota em algo quase sempre irrelevante. Ou seja, se as pessoas vão continuar achando os problemas pequenos que temos relevante, ótimo. Mas eu não pretendo investir energia e paciência em coisas que não são construtivas (mas que alimentamos no cotidiano).

  • meyer

    Acho que cada um reclama do que quiser e quando quiser. Todos temos esse direito.
    O que não adianta é fingir se importar com crianças famintas e a miséria, criticar os outros que reclamam de banalidades e não fazer nada por ninguém. Se vai criticar pelo menos esteja numa posição melhor que a outra para fazê-lo.
    O vídeo nos ensina a refletir sobre tantas reclamações, mas pouca gente(ou ninguém) vai vender seu computador para doar pra uma família carente ou ajudar crianças carentes.
    Eu ajudo instituições dentro da minha cidade, mas não me acho no direito de criticar quem não o faz. Cada um faz aquilo que achar que deve.

  • “…Pras pessoas de alma bem pequena.Remoendo pequenos problemas(…)Senhor, piedade
    Pra essa gente careta e covarde
    Vamos pedir piedade
    Senhor, piedade
    Lhes dê grandeza e um pouco de coragem. ” (Cazuza)