socialismo

Um experimento socialista

socialismo

Um professor de economia em uma universidade americana disse que nunca havia reprovado um só aluno, até que certa vez reprovou uma classe inteira.

Esta classe em particular havia insistido que o socialismo realmente funcionava: com um governo assistencialista intermediando a riqueza ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo.

O professor então disse, “Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas.” Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam ‘justas’. Todos receberão as mesmas notas, o que significa que em teoria ninguém será reprovado, assim como também ninguém receberá um “A”.

Após calculada a média da primeira prova todos receberam “B”. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.

Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos – eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Já aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Como um resultado, a segunda média das provas foi “D”. Ninguém gostou.

Depois da terceira prova, a média geral foi um “F”. As notas não voltaram a patamares mais altos mas as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por ‘justiça’ dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram aquela disciplina… Para sua total surpresa.

O professor explicou: “o experimento socialista falhou porque quando a recompensa é grande o esforço pelo sucesso individual é grande. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros para dar aos que não batalharam por elas, então ninguém mais vai tentar ou querer fazer seu melhor. Tão simples quanto isso.”

1. Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando a prosperidade do mais rico;
2. Para cada um recebendo sem ter de trabalhar, há uma pessoa trabalhando sem receber;
3. O governo não consegue dar nada a ninguém sem que tenha tomado de outra pessoa;
4. Ao contrário do conhecimento, é impossível multiplicar a riqueza tentando dividi-la;
5. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.

Texto adaptado por: Rodrigo Campanini Rubio

  • Paulo Marques

    Discussão do século passado…

    Por favor, leiam sobre o Projeto Vênus ou outros sistemas políticos com ideias atuais.

    • Flávio

      “Fundamental para o projecto é a eliminação da economia vigente baseada em dinheiro, em favor de uma economia baseada em recursos.”, não era assim antes de inventarem a moeda?

      • João Alberto

        Dinheiro é simplesmente uma ferramenta pelo qual permite a troca de diferente recursos: http://www.youtube.com/watch?v=BbwO-3ZLHxQ

      • *Seu nome

        May

      • May

        Antes de inventarem a moeda, as pessoas trocavam o que produziam pela produção de outrem

      • Lincon

        Antes da moeda era o escambo, numa economia baseada em recursos isto também não existe. Nele é agregado tecnologia aliado ao trabalho, no qual este é motivado pela evolução pessoal e da sociedade(principalmente). Nossas vidas seriam muito mais fáceis e cerca de 80% dos empregos que existem hoje, deixariam de existir, a tecnologia tomaria conta de alguns e outros seriam realmente desnecessários como Políticos, polícia, advogados e etc. Pena o mundo não estar preparado para um sistema assim, imagine você chegando num parque no qual deseja tirar fotos, haveria um posto onde você pegaria uma câmera fotográfica para tirar suas fotos, neste mesmo local você poderia descarrega-las e envia-las para seu e-mail ou um espaço na nuvem, ao término você deixa a câmera para outras pessoas utilizarem…chegando na sua casa poderia acessá-las normalmente, não necessitando possuir uma câmera. Desta forma elimina-se a necessidade de criação de diversas outras câmeras(o que gera gasto de recursos desnecessários) o que é melhor para o planeta… Claro, este é um exemplo muito básico, caso queira saber mais basta estudar! ^^

        • Lolwut

          Acessá-las com o que? ainda precisaria de um computador, mesmo que a câmera fosse pública. As pessoas sempre consumiram e acumulara coisas, até os animais fazem isso. Comunismo simplesmente não funciona, isso já foi mais do que visto na prática.

          • Marcos

            E o capitalismo funciona ?

    • Carol

      Quem dera este tipo de discussão tivesse ficado no seculo passado.

  • Diego

    Perfeito, isso é o que acontece com as bolsas miserias do PT, da grana pro povão, mas não ensina como conseguir.

    • leandro

      Opa, mais ou menos, não defendo o governo, mas só lembrando que é pré requisito ter os filhos matriculados na escola, e acho q isso ensina algo, não ?

      • Jonas

        esse pré-requisito foi feito no governo fhc com a bolsa escola em 2001

      • Mário

        Leandro está certíssimo! Existem condicionalidades aplicadas a família beneficiada, como a assiduidade dos filhos nas escolas. É preciso também que o responsável familiar cadastrado (normalmente é a mulher) compareça periodicamente as reuniões familiares com assistentes sociais e psicólogos dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), justamente para monitorar o desempenho familiar quanto ao crescimento da renda, desempenho no trabalho, qualificação profissional etc. Não é “assistencialismo”, as famílias são acompanhadas por Assistentes Sociais, os indivíduos devem progredir economicamente e profissionalmente, para assim alcançarem uma renda per capita superior ao exigido para ser elegível ao benefício do Bolsa Família. Por esse motivo foram criados outros benefícios que a renda atingindo até 3 salários mínimos, o cidadão inscrito pode concorrer (mediante vestibular) a vagas em universidades como a PUC e outras, e também a isenção de taxa em concurso público federal. Isso tudo que postei está no sitio do MDS, como qq informação como de receita de bolo. As pessoas costumam muito a criticar, responsabilizar, culpar, mas poucos procuram pesquisar. Informação é tudo que podemos obter sem qq custo, mas é necessário que tenhamos discernimento para filtrar o que certo e o que é errado. Como o Leandro, não defendo governos ou políticos, defendo o que pode dar certo.

  • José Roberto

    E se o professor continuasse o experimento até o fim do curso? Você acha que todos continuariam acomodados até reprovarem? Eu acho que não.

    O caminho natural – o próximo passo – seria todos se esforçarem um pouco para garantir pelo menos o mínimo. Os preguiçosos seriam cobrados pelos outros alunos e pelas suas consciências. A classe se uniria em torno de um objetivo em comum e avançaria em conjunto.

    Em seguida, os que garantissem as melhores notas não seriam vistos com inveja ou desprezo, mas sim com respeito por fazerem a parte dos outros. Apenas por não se contentar em estar só na média.

    Por fim, não seriam mais necessárias provas…

    • Tiago

      Caro, de acordo com o texto, a classe toda reprovou. O experimento continuou ate’ o fim do curso.

    • Flávio

      “esforçarem um pouco para garantir pelo menos o mínimo”, não preciso dizer mais nada.

    • Rafael Nunes

      O mais provável seria que todos iriam reprovar novamente. Termos como “cobrados pelas suas consciências”, “Objetivo comum” e “avançar em conjunto”, infelizmente não existe no mundo fora dos livros. O resultado seria uma classe onde os mediocres continuariam mediocres e os bons alunos se tornariam mediocres.

    • Waldeir Martins Vaz

      Você certo jovem, o professor apenas usou mecanismos para provar a a idéia (ou convicção dele). Porquê ele não a usou o mesmo parâmetro para o capitalismo? 1º As notas seriam dinheiro 2º Estes dinheiro em detenção de poucos e há muitos anos 3ºUma parte da classe seria a menos favorecida e não haveria um fácil acesso ás notas (dinheiro) ou um forte impedimento a este acesso 4º Lhe dou o final do estudo, a parte menos favorecida teria que roubar e matar para conseguir suas notas. Estou certo?

      • carlospiramo

        Eu pensie em algo proximo, substituir as notas por dinheiro mas, um numero limitado de dinheiro estaria disponivel e não ter limitação de quanto de dinheiro(nota) cada um poderá conseguir e, ainda, determinar que os dinheiros poderiam ser acumulados ao longos dos anos de estudo, permitindo que esse dinheiro possa ser passado a outrem de acordo com sua convicção. mas lembrando, que a cada ano somente um numero limitado de notas (dinheiro) estaria disponivel e, também, um número limitado de oportunidades (notas extras – bonus – premios) seriam dados aqueles que tivessem as melhores notas, no geral e no individual. será que ao menos 50% seriam aprovados? ou a minoria rica (com maior acumulo de notas) teria um dominio sobre as oportunidades.

    • Danilo

      A história está ai pra provar o contrário.

    • Lia

      “Em seguida, os que garantissem as melhores notas não seriam vistos com inveja ou desprezo, mas sim com respeito por fazerem a parte dos outros.” Sério? E seria justo fazerem a parte dos outros enquanto os outros não s esforçam o suficiente??

    • carlos

      O próximo passo seria a revolta. Os alunos exigiriam avaliações baseadas no mérito individual.

      Essa história já foi vista na URSS, Alemanha Oriental…socialismo só se mantem com ditadura.

    • Felipe

      Na verdade se o professor continuasse com essa ideia no próximo ano/semestre todos reprovariam novamente, aconteceria o seguinte, os que se esforçavam trocariam de Universidade, aqueles que viviam as custas dos outros desistiriam do curso e o professor seria demitido. Assim, os esforçados seriam aqueles que mudaram o pensamento ideológico e foram para o Capitalismo, viver bem, e o professor e os outros seria os países socialistas e o povo deles que no final só se ferraram na economia.

    • golin

      BURRO

  • Douglas Miranda

    Quando definimos socialismo em tirar de um para da pra outros acho que não entendemos uma corrente filosófica e textos praticados sobre ideal e que portanto são planos teóricos que podem nos ajudar a entender e repensar a sociedade. Não sei se estou a frente do meu tempo, mas sou o único que percebe que essa briga entre socialismo x capitalismo, cristãos x ateus e etc, não levam e nem nunca levarão ninguém a nada? Precisamos de um misto de todas essas teorias e enfim… não tenho a resposta, mas grande feito desse Professor foi apenas mostrar o óbvio: o problema de uma sociedade são as pessoas que compõe essa sociedade. O capitalismo e o Socialismo não funciona no seu plano ideal porque ambos são utópicos, o livre comércio não regula nada “a mão invisível” do Adam Smith não funciona no seu ideal de trazer prosperidade a toda sociedade, e no caso do socialismo o post já mostrou o problema. Mas podemos analizar toda essa sociologia sem partidarismos e descobrir o que se adapta melhor para cada sociedade.

    • André Carvalho

      José Roberto, desculpe, aí depois vc cai da cama… Opinião brilhante é do colega Douglas…

    • Flávio

      “Não sei se estou a frente do meu tempo”, ou muito atrás, te recomendo ler e estudar um pouco de Aristóteles, Platão entre outros.

    • Juninho

      parece papo de americano anti socialista, a democracia e o capitalismo é um sistema isento de imperfeições, tmb acredito que n

      • Paulo

        O capitalismo não é isento de problemas, alias tem problemas a beça. Mas os outros sistemas propostos mostraram que tem mais problemas e mais graves…

    • João Alberto

      O Capitalismo não é utopia é um sistema natural que surgiu na relação entre as pessoas. Adam Smith apenas mostrou que as nações que alcançaram a prosperidade foi por meio do capitalismo. Para entender o tema veja: http://www.youtube.com/watch?v=PC_qFEwMBi8

      • Douglas Miranda

        Massa valeu por acrescentar… Não duvido que por meio do capitalismo poderemos ter êxito em um sistema o mais justo possível. Mas percebo que a principal diferença pra dar certo ou errado é o individuo que reflete a sociedade em que vive. Conheço Platão, Aristóteles entre outros, mas estudarei mais ele, já que pelo meu comentário conseguiu perceber que posso estar muita atras. Respondendo o Flávio… Mas enfim, boas discussões… infelizmente boa parte com preconceitos e partidarismo mas legal ver em um blog tão popular esse tipo de assunto.

      • Luis Felipe

        “Não é despropositado que os ricos tenham de contribuir para as despesas públicas, não apenas em proporção aos ganhos, mas até mesmo acima dessa proporção”. Não, a frase não é de Karl Marx. É de Adam Smith, o pai do capitalismo.
        Não é necessário eliminar a meritocracia ou mesmo os pilares do capitalismo para prover um estado de bem estar social com ideais socialistas. Os países Escandinavos estão aí para provar.

        • Douglas Miranda

          Curioso você dizer isso porque também já fiz essa relação com os países escandinavos. A impressão é que enquanto discutimos o Certo x Errado, os caras utilizam o que for melhor de cada corrente para a própria cultura. E conseguiram um sistema muito interessante, talvez o mais um humano e justo da terra no momento. Essa discussão é importante em larga escala para evoluirmos.

  • Rafael Pontuschka

    Metáfora ridícula. Talvez pra tocar no tema do incentivo à inovação até que vá lá. Mas tem sido usado e abusado erroneamente como forma de justificar a impossibilidade de qualquer forma de repartição igualitária de riqueza, ou até de programas de transferência de renda. Fazer isso é um atestado de ignorância.

    Sou leigo no assunto, mas levanto aqui alguns pontos como crítica a essa fraca metáfora, ou melhor, às fracas conclusões expostas.

    1. O socialismo não se baseia na divisão de bens, mas no planejamento centralizado da produção. Essa talvez seja uma das principais diferenças entre capitalismo e socialismo. O capitalismo tende ao mercado sem planejamento central e o socialismo almeja planejar a produção.

    2. No capitalismo mesmo se todos se esforçarem não é possível que todos tirem notas A.

    3. E mais. Alguns tiram A sem se esforçarem, ou herdam a nota A dos pais, etc. Outros se esforçam e tiram F. Outros nem conseguem fazer a prova por não terem recebido educação adequada e outros nem recebem prova, pois não há espaço na sala.

    4. Notas não são riqueza. O dinheiro é utilizado das mais diversas formas. Enquanto alguns passam fome, outros comprar ferraris.

    5. Há divergências sobre a questão de como estimular a produtividade e inovação.

    6. A sociedade é muito desigual. O professor não é justo, não dá ponderações nas provas iguais para todos. Não há condições iguais para todos de concorrência. É uma corrida onde uns começam na frente.

    Meu texto foi escrito às pressas. Mas talvez mais pra frente escreva com mais calma e elabore melhor os argumentos.

    Dá desgosto de ver como se utilizam desse texto pra atacar programas de transferência de renda e concluir que quem não tem dinheiro é pq é preguiçoso ou burro demais e os ricos são esforçados e muito eficientes.

    Não é difícil ver que o mundo não é simples assim.
    Ridículo!

    Se o intuito é gerar debate, seria melhor ter uma introdução antes. Se era só propagar essa ideia, meus lamentos à esse blog que eu tinha certa estima.

    • Rodrigo

      To com vc amigo!!!

    • Renato Fabriga

      Perfeito, Rafael. Assino embaixo de tudo o que você disse.
      Este é um pensamento neoliberal sobre o socialismo. Aí não dá.

      • João Alberto

        Quem são os Neoliberais?

        Neoliberais são aquelas pessoas que aceitam o Estado gigante, previdenciário e regulador de tudo, em resumo, socialista, mas que sabem que as leis de mercado não podem ser abolidas. Gente como FHC e a social-democracia européia, como Angela Merkel. Essa gente sabe que precisa administrar a moeda e as finanças públicas respeitando as leis econômicas, mas querem fazer do Estado um instrumento de distribuição de renda. O problema é que a inércia dos gastos públicos é inadministrável. Chega uma hora que o edifício desaba. Estamos vendo isso acontecer agora. A crise atual é a falência do neoliberalismo socialista. O PT não é neoliberal porque desacredita nas leis de mercado, achando que pode fazer o que quiser com a moeda e o gasto publico.

    • gabriel

      Parabéns pelo seu comentário!

    • Daniel

      1. Planejamento centralizado da produção? Essa é a maior burrice de todas que socialistas incorrem, se temos empresas e fábricas que não conseguem otimizar sua própria produção, são menos eficientes que dirá um grupo de burocratas planejando toda produção de um país. O mercado é regulado pela oferta e procura e se é tão fácil assim prever as necessidades do indivíduo então vai aplicar na bolsa de valores que vc vai ter um sucesso danado.

      2. Isto é simplesmente impossível pq as pessoas tem capacidades e aspirações diferentes. O capitalismo não é livre de falhas mas esperar igualdade entre todas as pessoas tb é utópico pq as pessoas não são iguais. Algumas pessoas nem querem tirar A e se contentam com um C ou D. Na analogia a nota A seria uma combinação de competência, ganância e sorte.

      3. Exato, o fator sorte também é determinante no capitalismo mas até onde fatores externos podem segurar o sucesso de alguém que realmente se esforce no capitalismo? O desejo de igualar as chances de todos não é exclusividade de socialistas, todos querem isso.

      4. Nem sei o que vc quis dizer aqui, por acaso alguém passando fome é culpa de quem tem dinheiro pra comprar uma ferrari?

      5. Com certeza a melhor forma de estimular a produtividade e inovação não é atraves do socialismo. Ou vc tem dúvida que receber os mesmos incentivos produzindo mais ou menos vai fazer as pessoas produzirem mais e melhor. Não faz sentido.

      6. Repito tudo q esta na 2. Esta nem precisava

      • João Alberto

        Perfeito Daniel

    • Flávio

      Planejamento Central, ou seja, todo o poder no Estado. Após diversas tentativas fracassadas do socialismo ainda acredita que isso possa dar certo? O capitalismo é cheio de falhas mas, ainda assim, é o melhor sistema que temos.

      O mundo é cruel e desigual? Sim é! Pra você, pra mim e pra todo mundo! Agora pare de chorar, aceite a realidade e faça algo! O capitalismo ainda é o melhor sistema para que alguém mude de classe social, é só comparar os regimes nos mais diversos países do mundo!

    • Fabio

      Assino embaixo. Inclusive na parte dos “meus lamentos à esse blog que eu tinha certa estima”. Blog esse que eu pretendo excluir dos meus favoritos depois de concluir esse comentário.

    • Paulo

      A metáfora é completamente válida. Mas vc tem alguns pontos interessantes a discutir:
      1- estamos falando do socialismo teórico ou de qualquer tentativa de implementação prática que já aconteceu no planeta? Na prática o planejamento centralizado era focado em interesses do governo e não do povo.

      2- No capitalismo o resultado é premiado e não o esforço. Eu não dou nota 10 para os meus alunos que viraram a noite estudando, dou nota 10 para quem acertou todas as questões da prova.

      3- No mundo real as coisas são assim mesmo. Tem gente que é mais inteligente que outras e que vai tirar 10 com mais facilidade que outra. O papel do governo aí é garantir que todos sem exceção tenham uma educação de base forte e completa que possibilite a todos terem chances reais de competir no mercado de trabalho. É aí que o governo brasileiro mais dá bola fora.

      4- E no que isso influencia o caso em questão? Todos querem dinheiro e topam se esforçar por ele. A questão aqui é se o dinheiro ser resultado do esforço individual gera resultados melhores ou piores de ser resultado do esforço coletivo.
      E notas também são usadas para diversas coisas, no meu tempo de estudo os melhores estágios só eram oferecidos para aqueles de melhores notas. O mesmo com as bolsas desempenho.

      5- Há divergências sobre qual a melhor alavanca a se usar, Mas não foge muito do modelo pavloviano de estímulo e repressão. Para isso a fábula aqui foi uma ilustração perfeita.

      6- Já ouvi essas reclamações de vários amigos que cursaram faculdade em áreas mais humanas e artísticas, provavelmente é verdade. No meu caso eu fiz um curso de exatas e cada questão tem uma ou mais respostas certas e a opinião do professor sobre o aluno não afeta em nada a nota.

      Não estamos em um mundo perfeito, muitas vezes quem é pobre não o é por preguiça, mas sim por não ter tido as mesmas oportunidades. A solução do problema é oferecer OPORTUNIDADES e não DINHEIRO. Por isso sou contra quase todos os programas de transferência de renda. Eles atacam o sintoma preservando a doença.

      Por mim tinham que tributar fortemente todas as igrejas e investir 100% deste imposto em instituições de educação. Qualquer bolsa-whatever deveria estar condicionada a nota dos filhos em exames padronizados nacionalmente. Isso iria colocar os pais na linha de frente para estimular o estudo dos filhos,

      ps: eu sei que imposto não pode ter destinação fixa, é outra coisa que deveria mudar…

  • Igor

    Bullshit! O mundo não funciona em um sistema de trocas simplista no qual o nível de esforço é recompensado proporcionalmente. No mundo real, aqueles que se esforçam menos obtém as melhores notas, e a maioria, aqueles que mais se esforçam, recebem as piores. Uma comparação adequada ao socialismo seria se cada aluno tivesse o direito de escolher a disciplina desejada (aquela com a qual ele mais tem afinidade) e trabalhasse apenas naquela disciplina para distribuir a nota para os outros alunos da sala. Nesse caso, as notas dos alunos em cada matéria dependeria dos esforços dos melhores alunos em cada uma dessas matérias, e não em um senso de organização generalizado como no sistema proposto.
    Por outro lado, o capitalismo é um sistema ainda mais falho do que o tal modelo socialista proposto. Veja bem: numa sala com 50 alunos, cada um é responsável por sua própria nota, mas apenas 25 desses alunos possuem livros didáticos. Além disso, 5 alunos, entre os quais 2 dos que possuem livros didáticos, possuem deficiências de algum tipo e não conseguem ter acesso ao conhecimento da mesma forma que os outros estudantes. Dos 25 que possuem livros didáticos, 10 têm aulas particulares com os professores nas horas extras. Desses 10; 2 possuem pessoas que realizam todo o esforço por elas, fazendo, inclusive, suas provas. Dessas 2 pessoas, 1 é filha do diretor da escola, e por isso não precisa nem se dar ao trabalho de pensar em estudar.
    Eu prefiro uma reprovação coletiva do que pessoas vivendo da luxúria em cima das minhas costas.

    • Manfra

      Esse comentário foi mais interessante e ilustrou 100 vezes melhor os dois sistemas do que o post em si, parabens rs

    • Flávio

      “No mundo real, aqueles que se esforçam menos obtém as melhores notas, e a maioria, aqueles que mais se esforçam, recebem as piores. Uma comparação adequada ao socialismo seria se cada aluno tivesse o direito de escolher a disciplina desejada (aquela com a qual ele mais tem afinidade) e trabalhasse apenas naquela disciplina para distribuir a nota para os outros alunos da sala.”

      Desculpe mas não vivemos no mesmo mundo. Direito de escolha num país socialista? Realmente não vivemos no mesmo mundo!

    • thom

      interessante igor, querer viver na miséria coletiva ver todo mundo se fudendo, do que ter a chance de não se fuder “nota 10” pro seu comentário

    • Emerson Luís

      “Uma comparação adequada ao socialismo seria se cada aluno tivesse o direito de escolher…” – No socialismo não há direito de escolha, o indivíduo existe em função da coletividade.

      “Nesse caso, as notas dos alunos em cada matéria dependeria dos esforços dos melhores alunos em cada uma dessas matérias, e não em um senso de organização generalizado como no sistema proposto” – Vivemos em uma realidade interdependente.

      “Por outro lado, o capitalismo é um sistema ainda mais falho do que o tal modelo socialista proposto” – Pois, é: a democracia liberal é o menos pior sistema de governo que o ser humano é capaz de criar no mundo real.

      “Eu prefiro uma reprovação coletiva do que pessoas vivendo da luxúria em cima das minhas costas” – Isso é egoísmo, falta de visão ou ambos? Os pobres nas democracias liberais vivem muito melhor do que a maioria das pessoas nos países socialistas (exceto os membros do partido, claro!). E “luxúria” é desregramento sexual, não confunda com “luxo” (ostentação de riqueza).

      * * *

  • eder

    Garanto que o S&H sabe ter argumentos muito melhores.

  • Thiago

    Levando em consideração que esse experimento fosse válido, a classe normal (sem o experimento) não seria um exemplo de capitalismo. Numa classe todos tem acesso ao mesmo professor no mesmo ambiente, ou seja, tem igualdade de condições com ensino de mesma qualidade e mesma quantidade. Quando isso acontece nas diferentes classes sociais no capitalismo? Eu mesmo respondo. Acontece quando se tem ensino público de qualidade, ou seja, socialização do ensino, onde ricos e pobres teriam a mesma chance.

    • thom

      mano, esse post so mostra que uma sociedade hipoteticamente perfeita, o socialismo, acabaria com isso, se liga jumento

  • glauber

    cade a fonte?

    • guircosta

      Quando, no passado, encaminhavam essa mensagem com o nome da Texas Tech University, fui ao blog da cadeira de economia e encontrei várias perguntas a respeito do tema, e uma postagem do chefe da cadeira, que disse que aquele experimento jamais teria sido realizado e que, na sua visão, era uma analogia que não pertencia ao campo da Economia. Como a história começou a ficar desmistificada, tiraram o nome da universidade. Fácil, não? Os sistemas econômicos têm que ser discutidos e chocados entre si, mas essa discussão deve ter bases científicas sérias, não há espaço para melindres e enganações.

  • Carlos

    O Sistema não é falho(socialimso) a pessoas que são burras……..

    • João Alberto

      O Socialismo é falho em sua essência, já que não considera o problema da escassez dos recursos e destrói o dinheiro e a informações que ele traz consigo.

  • Antonio

    Creio que já de ante-mão o professor já sabia o resultado desse experimento, é previsivel que a uma simulação socialista dentro de um ambiente capitalista, onde todos pensam como capitalista, e já tem todos ideias capitalitas enraizadas em suas cabeças vá da errado.

  • Renato Leite

    Isso é só um texto ou é um experimento realmente realizado?
    A diferença entre esse suposto experimento é que ele apenas mediu a meritocracia. Porem sabemos que os ricos não são ricos somente por serem esforçados, e sim por terem em suas mão os meios de produção. Assim diferenciando as pessoas que obtem lucro do que as pessoas que obtem salario. Se esse experimento realmente foi feito a nota F vai para o professor, que ignorou varios conceitos tanto dos sistema capitalista, quando do sistema socialista.

  • Luiz Luz

    Nossa! Q estupidez!
    Quer saber oq é socialismo? Vá ler o “Manifesto” do Marx e Engels. Essas historinhas mentirosas, além de não te ensinarem nada, vão e fazer ter uma idéia totalmente equivocada da concepção de socialismo.
    Quer entender de relatividade? Leia Einstein.
    Quer entender de psicanalise? Leia Freud.
    Enfim, não leia esses arigos ridiculos de gente q não fa idéia do q diz.

    Na moral, vergonha alheia desse textinho.

    • João Alberto

      A ideal essencial do comunismo é extinguir a propriedade privada. O texto aplica exatamente na cerne do comunismo, quando transforma a nota em um bem comum.

  • hugo

    sugiro um experimento capitalista, onde um aluno que tire uma nota mais alta, abaixa a nota dos alunos q tiraram uma nota menor q a dele, proporcionalmente. no final do semestre teremos 2 ou 3 aprovados com A+ e o resto da turma com F-

    • João Alberto

      Isto não tem nada ver com o capitalismo! Para o aluno com o pior desempenho, uma solução capitalista seria estudar mais. Não interessa se o aluno com melhor desempenho precisa estudar pouco, o bom desempenho dele nada tem a ver com o baixo desempenho dos colegas. Pessoas não são iguais, isto é natural.

  • gush

    primeiro erro, definição erronia de socialismo, erro dois, o motivo do socialismo ter falhado é completamente diferente, erros três é que é improvável isso ter ocorrido em qualquer faculdade, professor não pode dar nota a torto e a direito, quarto erro, nota não é pagamento e sim avaliação, e o quinto erro é a falta de evidência disso realmente ter acontecido. Onde este texto foi escrito? existe o relato de ao menos algum aluno ou da faculdade comprovando que todos os alunos receberam a mesma nota?

    • João Alberto

      1º Então,gush, defina o que o socialismo.
      2º Justamente por isso que socialismo não funciona, o Estado não pode distribuir recursos a torto e direita.

      • gush

        1º. já foi definido de forma correta acima. Se socialismo fosse distribuição de capital, ninguém fugia de cuba, ou ao menos ninguém teria o poder para impedir isso. Tanto o poder quanto o capital não são distribuídos e sim concentrados na mão de administradores públicos, e então remanejados como estes acham melhor. Por isso deu errado.
        2. Socialismo não funciona, mas pq não funciona? Pq concentra ainda mais poder na mão de administradores públicos que mesmo com todas as boas intenções (o que é raro), vão tentar facilitar tudo eliminando características auto-reguladoras do mercado como competição, oferta e demanda, tentando controlar tudo artificialmente, o que não é humanamente possível.

  • Katz

    Moral da história. O homem é naturalmente egoísta e milagrosamente altruísta.

  • Luiz

    Esse texto é a coisa mais absurda que eu já li nos últimos tempos. A utilização de premissas ilógicas e a omissão de pontos importantes chegam ao ponto de chamar o leitor de idiota. O texto toma por base a divisão entre ricos e pobres. Os ricos são tratados como pessoas que trabalham e os pobres são vagabundos. E o Socialismos viriam para retirar o dinheiros oriundo do trabalho honesto do rico para sustentar toda a ociosidade dos pobres. Minha intenção não é defender, nem explicar aqui o Socialismo, mas vamos por partes. NENHUMA pessoa se torna rica simplesmente pelo seu esforço, a não ser que ganhe na mega-sena. Geralmente um rico empresário que possui sua fábrica, ou mesmo um escritório pequeno, tem funcionários. Digamos que UM funcionário trabalhe 8 horas por dia e produza por dia 5 iphones. Por semana serão 25 iphones, por mês 100 iphones. Digamos que o salário do funcionário seja dois mil reais mensais e mais dois mil reais de outros gastos diversos com o funcionário( plano de saúde, aposentadoria,…). Total de gastos do funcionários é de quatro mil reais por mês. Ele produziu 100 iphones que são vendidos a mil e novecentos reais cada, totalizando quase duzentos mil reais por mês. 200 mil – 4 mil = 196 mil reais de lucro para a empresa. Isso foi chamado por Karl Marx de “mais-valia”. É assim que uma pessoa fica rica. Lembrando que muitas vezas as empresas tem isenção de impostos e subsídios fiscais. No Capitalismos meus amigos as pessoas ficam ricas através da exploração dos mais fracos, os pobres. O Socialismo não é nenhum Hobin Hood. Creio eu hoje em um Capitalismo Social onde todo esse lucro excessivo das grandes corporações seja revertido em parte para a grande maioria trabalhadora da população. Em forma de investimento em saúde, educação e todas as obras sociais que torna a vidas dos desamparados menos humilhante. Não culpe o Socialismo pelos erros de governantes corruptos. Culpem-se pela omissão.

    • Henrique

      Esta é que é a coisa mais absurda que li aqui até agora. Nota-se que você não tem a menor noção do que compõe o custo e o lucro de um bem. Papo de sindicalista tosco. O preço de venda de um produto é composto (de maneira bem simplificada) da matéria prima, dos salários, das utilidades (energia, água, etc), da depreciação dos equipamentos, dos impostos, e finalmente domlucro do empresário. A parcela do custo com o funcionário (salários e encargos trabalhistas) representa normalmente menos de 5% do custo total de uma empresa de manufatura de bens. Assim, dos seus 200mil reais que o empresário obteve da venda dos seus iphones em que o funcionário “explorado” recebeu 4000 reais, pelo menos uns 190mil reais foram os outros custos, sobrando 6mil para o dono “explorador”. A empresa tem lucro, e o dono fica rico, se possuir eficiência e vender uma grande quantidade de aparelhos, mas isto vai depender de quanto o mercado esta a fim de pagar, o que vai influenciar também nos custos de produção, aumentado em toda a cadeia produtiva, tornando-se um ciclo, em que a porcentagem relativa entre os vários custos acaba não variando muito.

    • João Alberto

      Mais-valia é uma grande falácia.
      O Professor Matt Zwolinski no vídeo a seguir explica porque o capitalismo na verdade tende a proteger os interesses dos trabalhadores. Zwolinski ainda argumenta que mesmo que o capitalismo fosse explorador, aumentar o controle e regulação política iria na verdade piorar o problema.

      http://www.youtube.com/watch?v=vdAaN1QBSi0

  • eppendorfi

    Alunos americanos batendo o pé dizendo que o socialismo funcionaria??? Acho que perdi algo no caminho…

  • Vinícius

    Bem, isso é óbvio que não aconteceu de verdade. não vou nem falar aqui das falhas comparativas ao socialismo porque outras pessoas já fizeram aqui. mas uma coisa me chamou atenção: Como já comentaram também, isso seria o resultado de um experimento socialista num ambiente com pensamento capitalista. se os alunos de fato concordavam que o socialismo é mais vantajoso e de fato concordaram com o experimento, ninguém ia ficar puto com o B. todo mundo ia ficar feliz, porque é uma nota bem razoável considerando a média. o que poderia acontecer é uma ajuda dos melhores a melhorar as notas dos piores, porque essa é a ideia do socialismo. se assim eles fizessem, a próxima nota seria ainda melhor. o que esse “experimento” (que obviamente é só um texto inventado por algum capitalista sem noção) prova, é que o socialismo (que nem é um socialismo, na verdade) não funciona com pensamento capitalista. uma adaptação e mudança de paradigma é necessária.

  • Carl Johnson

    O texto todo tem caráter DEMOCRÁTICO/capitalista ( POLÍTICO E ECONÔMICO ), o mesmo visto por olhos “neutros” OU socialistas, passa claramente a exibir a ideia de PASSAGEM/mudança de um governo democrático/capitalista para um socialista.
    Nós vimos qual foi o resultado disso. As pessoas que não se esforçavam com a forma social mais elástica que conhecemos, logicamente, jamais iriam se esforçar sem que fossem pressionadas. Pressão que provavelmente aconteceria se mais provas fossem feitas.
    Sabendo que esse modelo social nunca daria muito certo em qualificação de aprendizado, esse professor se aproveitou da insistência dos seus alunos, e, sendo um patriota mergulhado na guerra fria, chamou seu próprio povo e alunos de desleixados, ao expor pro resto do mundo os malefícios relaxistas de toda sociedade democrática/capitalista.
    Por fim, ele termina com 5 regras de uma nação formada por pessoas do tipo “meus alunos”, que tentam passar para o socialismo.
    Acredito que quando vc não tem o que comer, vc vai e planta. Quando seu vizinho, tambem com fome, ve vc ali, ele tende a fazer o mesmo
    . Veja só… vc não tem mais um vizinho abusado e desleixado, ele agora é mais humano!
    SOCIEDADE COMUNISTA/SOCIALISTA NA MAIS PURA NECESSIDADE DE CONVIVER SEM FRESCURA. CADA UM FAZ O SEU E TODOS SE DÃO BEM ( SEM TIRAR NOTAS BAIXAS!!! ).

  • Leonardo

    É s&h… Publicar esse tipo de asneira de facebook mostra que o nível tá feio. Um monte de gente passa por aqui, divulgar esse tipo de texto porcaria, distorcendo o conceito do socialismo, fica feito, que papelão. Senso comum puro.
    Mas fiquei contente de ver a reação da maioria. O pessoal viu que é asneira, não engoliram de cara como se fosse verdade. Olha, exceto por uns e outros alienados aí, gostei de ver a reação dos comentários. Povo tá pensando, lendo….

  • Jonas Renan

    Tenho uma versão bacana desse…

    Um professor de economia em uma universidade soviética disse que nunca havia reprovado um só aluno, até que certa vez reprovou todos os bons alunos de uma sala, passando apenas os preguiçosos.

    Esta classe em particular havia insistido que o capitalismo realmente funcionava: com um governo mínimo garantindo a manutenção do status quo ninguém teria mais do que o esforço que colocou ali, tudo seria meritocrático e justo.

    O professor então disse, “Ok, vamos fazer um experimento capitalista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas.” No início do ano, todos teriam a ultima nota que tiraram no segundo grau. A medida que o ano passava, a nota seria multiplicada por um fator que dependia não só do desempenho do estudante, mas também da sua nota anterior Quanto maior a nota anterior, maior o fator de multiplicação. Da mesma forma, quanto maior o esforço, maior o fator. Em ambos os casos, aqueles que estivessem acima da média, subiriam 10%, os que estivessem na média, se manteriam, e os que ficassem abaixo da média cairiam 10%. Assim, todos poderiam não só chegar a ter um A, como aqueles que foram bons alunos no passado não perderiam o esforço que acumularam até ali.

    Após calculada a média da primeira prova metade da turma teve sua nota aumentada e a outra metade diminuida. uns poucos se mantiveram na mesma.

    Quando a segunda prova foi aplicada, os que vieram de escolas mais puxadas no ano anterior estudaram ainda mais – eles precisavam tirar notas boas para conseguir passar. Já aqueles que tinham estudado em escolas mais fáceis no ano anterior resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas, e estudaram somente o suficiente para ficarem na média. Como um resultado, a segunda prova manteve os mesmos alunos com A, e aqueles que mais se esforçaram, continuavam sem nota suficiente para passar.

    Depois da terceira prova, os alunos que tiveram piores notas no ano anterior estavam em estado de esgotamento, precisavam ficar acima da média a qualquer custo ou seriam reprovados. Não houveram desavenças entre os alunos, os sortudos, que vieram de escolas fáceis, nem mesmo iam Às aulas. Perder 10% nessa prova significava quase nada para eles. A busca por ‘justiça’ dos alunos eram descartadas como “preguiça”, e falta de vontade, já que bastava que estudassem para passar. Portanto, todos os alunos que estudavam e compareciam nas aulas repetiram aquela disciplina. Para sua total surpresa.

    O professor explicou: “o experimento capitalista falhou porque quando a recompensa é grande o esforço pelo sucesso individual é grande. Mas quando o status quo de desigualdade elimina todas as recompensas de uns e elimina todo o esforço de outros baseado em critérios arbitrários e aleatórios como “nota de um ano anterior”, então não adianta mais vai tentar ou querer fazer seu melhor, o destino já está decidido de antemão. Tão simples quanto isso.”

    1. Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando seu esforço, sem lhe dar nada em troca;
    2. Para cada um recebendo sem ter de trabalhar, há uma pessoa trabalhando sem receber;
    3. Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. Por sorte, os alunos de escolas mais difíceis no ano anterior estavam ocupados demais estudando para se darem conta disso.

    • caio

      Outra versão:

      Um professor de economia em uma universidade soviética disse que nunca havia reprovado um só aluno, até que certa vez reprovou todos os bons alunos de uma sala, passando apenas os preguiçosos.
      Esta classe em particular havia insistido que o capitalismo realmente funcionava: com um governo mínimo garantindo a manutenção do status quo ninguém teria mais do que o esforço que colocou ali, tudo seria meritocrático e justo.

      O professor então mandou todos a um gulag.

      Fim. kkkkkkkkkkkkkkkkk

  • rubens

    a maioria da pessoas não entendem. por isso esse texto ta virando mais um meme. Mas so pra ilustrar algumas coisas, no socialismo as horas de trabalho necessárias para produzir os bens são divididas entre toda a população capaz de trabalhar, de forma que todos TENHAM que trabalhar, esse princípio se chama “escala móvel de horas de trabalho”, e a produção não é limitada pelo o que é vendável, mas pela necessidade dos indivíduos, é um modelo de super-produção no qual o trabalho é obrigatório. Ou seja, nada a ver com o “experimento” ai do texto. Esse modelo ai é um metáfora do reformismo que o PT defende.

  • Waldeir Martins Vaz

    O professor apenas usou mecanismos para provar a a idéia (ou convicção dele). Porquê ele não a usou o mesmo parâmetro para o capitalismo? 1º As notas seriam dinheiro 2º Estes dinheiro em detenção de poucos e há muitos anos 3ºUma parte da classe seria a menos favorecida e não haveria um fácil acesso ás notas (dinheiro) ou um forte impedimento a este acesso 4º Lhe dou o final do estudo, a parte menos favorecida teria que roubar e matar para conseguir suas notas. Estou certo?

  • Carlos

    Poxa S&H postando historinha ridicula com argumentos estupidos… Me ajuda ai, le qualquer teorico do socialismo… ah neim!

    • João Alberto

      Me ajuda aí vc Carlos, refuta as idéias do texto. Garanto a vc que todos os “grandes pensadores” do comunismo já foram refutados.’

  • Alexandre K.

    O mais divertido é ver os FFLCHs divagando. Dá para se ver a fumaça nas entrelinhas…

  • Phillipe

    Uma experimento de sala de aula para fundamentar anti-socialismo? Não me parece muito sagaz. A não ser para tornar frívolo um debate sério.

  • Pedro Germano Leal

    Vou me ater às conclusões (que partem de uma premissa falsa, fantasiosa):

    1. “Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando a prosperidade do mais rico”;

    Nenhuma medida de justiça social tira a “prosperidade do mais rico”. Se só 1% da população americana detém 40% das riquezas do país, numa pirâmide absurda, como é que dar aos mais pobres um mínimo que lhes permita o livre exercício de seus direitos pode ser considerado “tirar a prosperidade” dos ricos? Mesmo que este número baixasse de 40, para digamos, 25% (em patamares parecidos com duas décadas atrás), essa redistribuição de renda não afetaria os mais ricos, que continuariam a ser estupidamente ricos – e mudaria a vida dos mais pobres.
    No mais, esse argumento é o mesmo que os escravocratas usavam para defender a escravidão. Afinal, não se pode dar a liberdade a alguém se eles iam ter tirados sua “prosperidade” e seu “direito”. rs

    2. “Para cada um recebendo sem ter de trabalhar, há uma pessoa trabalhando sem receber;”

    O que ocorre aqui é uma inversão da lógica: quem trabalha, mesmo, são os operários – os pobres. Os donos dos meios de produção não precisam trabalhar e, para cada um deles, um milhão de pessoas passa fome no mundo.

    3. “O governo não consegue dar nada a ninguém sem que tenha tomado de outra pessoa;”

    Quando o estado diminui o imposto dos mais ricos, portanto, ele toma o dinheiro do cidadão mais pobre.

    4. “Ao contrário do conhecimento, é impossível multiplicar a riqueza tentando dividi-la;”

    Aí está um erro básico de quem não conhece economia. Se fulano guarda seu dinheiro debaixo do colchão, ele não gera dividendos. Mas se esse dinheiro for utilizado para ajudar 10 pessoas a criarem suas empresas, por exemplo, essa riqueza será multiplicada. Basta ver o impacto do bolsa família na população brasileira: graças ao mercado interno aquecido nós fomos poupados de uma crise econômica catastrófica (por muito menos, durante a crise dos tigres asiáticos, passamos por uma grave crise – o dólar chegou a 4 reais, tivemos que pedir dinheiro emprestado ao FMI, a juros exorbitantes, e vendemos várias companhias nacionais para poder ganhar o empréstimo).

    5. “Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la,”

    Essa é uma falácia do homem de palha. Nenhum modelo ou política socialista sugere que o sujeito não trabalhe, ou que seja sustentado. O que se busca (por exemplo, com o direito trabalhista – que é uma conquista do socialismo e não foi dada de graça) é que ele receba justamente pelo seu trabalho, mesmo que isso interfira nos lucros dos donos do meio de produção.

    6. “e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.”

    Essa é uma falácia do apelo ao absurdo. Ela exagera uma premissa notadamente falsa a ponto de torná-la inaceitável. Isso não tem nada a ver com distribuição de renda. Veja-se o caso dos países do norte europeu, incluindo o Reino Unido, que têm uma consistente política de assistência, e nem por isso são pobres, ou chegaram ao fim da nação.

    • Tomaz Goiana

      É sempre bom ler uma pessoa capaz de argumentar.

  • Diego

    Sedentário e Hiperativo perdendo um leitor e com gosto.

    Sendo socialista ou não, capitalista ou não, qualquer regime precisa de pessoas INCORRUPTÍVEIS e isto é que é utópico. Logo, não é possível mensurar se o Socialismo dá ou não dá certo em uma nação, enquanto existir a corrupção. Logo, este “texto-análise” é uma falácia.

    1 – Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando a prosperidade do mais rico; Ok, mas posso ludibriá-lo, explorá-lo até a última gota a ponto dele implorar de joelhos por uma oportunidade. FUCK LOGIC

    Recomendo, ao dono do blog ou o responsável por este post inútil falacioso, o filme “Capitalismo, uma história de amor” de Michael Moore.

    • Beretta

      Diego, o texto é válido e coloca uma situação previsível. Trabalhar em políticas que visam igualdade de oportunidades e desfavoreçam diferenças sociais é uma coisa, e ainda estamos dentro do capitalismo. Protestar por um sistema socialista é realmente algo insano, algo movido por demagogia.

  • Tomaz Goiana

    JURO QUE NÃO ACREDITO NO SOCIALISMO, mas não posso concordar que um texto pobre desses retrate o socialismo. Fiquei muito decepcionado com o nível do autor desse post.
    Como seria uma classe capitalista? Provas adequadas ao quanto cada aluno pode pagar? Quem desse mais dinheiro para o professor faria as provas mais fáceis enquanto os menos “abonados” deveriam estudar como loucos para resolver provas impossíveis. Por fim os alunos seriam listados, de acordo com suas notas, em ordem decrescente independente da diferença entre eles.
    E o professor diria que aqueles que não tem livros e não podem pagar por professores particulares, aqueles que sequer assistiram à todas as aulas, pois não tinham dinheiro para o ônibus são mais preguiçosos e por isso não obtiveram sucesso.
    Tá mal escrito, mas acho que consegui me expressar.

  • Diego Maka

    Com certeza quem escreveu isso tem uma visão bastante distorcida da realidade. Quem é rico não necessariamente se esforçou mais que o pobre. Quem é rico é rico injustamente, e quem é pobre também. Ninguém deveria ser rico. Para um ser rico, outro precisa ser pobre, afinal, os recursos são limitados no mundo. E quem é rico? O cara que teve a sorte de descobrir a manha de como vender gelo, ou o cara que aprendeu a como fazer uma boa politicagem, ou simplesmente o cara que herdou os negócios de família e aprendeu a não fazer besteira com eles. O sistema social atual não valoriza quem lhe presta os serviços melhores e mais úteis, mas sim quem aprendeu a usar o sistema em benefício próprio. Vamos parar de escrever bobagem sobre escolhas, afinal, diferente do que a tradição cristã pensa, não somos livres para fazê-las, as fazemos de acordo com o nosso aprendizado, e também não temos muita escolha sobre o que e como aprendemos ao longo da vida. Não é possível que ainda se pense que o pobre só é pobre porque ele quer. Por outro lado, quem escreveu esse texto não escreveu por maldade, só não aprendeu direito a entender a sociedade como ela realmente é. Isso se o texto for uma ficção, pois, se não, esse tal professor pode entender de economia, mas não entende nada de comportamento humano.

  • Poppi

    Eu acho que são comentários orquestrados por uma UJS ou PT, não está seguindo uma tendencia natural, pois está anormal essa sequencia de defesas, será que é do grupo do Poppi (assessor do Gilberto Carvalho)

  • Carol

    Simplesmente perfeito.

  • vinicius xavier

    Eu amo o Capitalismo e quero que vocês se fodão.

  • vinicius xavier

    vai la pra cuba e depois vem aqui e fala alguma coisa bando de alienados que não passam de retardados não existe nada mais lindo q a liberdade e o poder de livre iniciativa, foda-se seu socialismo e viva o capitalismo 😀

  • carlos

    O socialismo já naufragou em “trocentos” lugares…e sempre que implantarem o socialismo ele naufragará. Ir contra a lei do mercado é como ir contra a lei da gravidade, impossível.

    Ainda tem gente em plenos anos 2000 que não enxerga isso.

    Distribuição de renda nao combina com socialismo, distribuição de miséria sim

  • João Facundo

    Cara, que texto maravilhoso! Eu nunca tinha imaginado que toda a complexidade da vida em sociedade pode ser reduzida a “notas de uma sala de aula”, cara esse professor é um GÊNIO! Quero me matricular nessa faculdade, AGORA!
    O tipo de lógica desse texto é triste, os tolos acham que socialismo é igual a parar de trabalhar porque o governo vai dar tudo…

    • Caeolina

      Cada um com suas idiossincrasias… Péssimo texto, pobremente escrito e fundamentado. Me pareceu uma tentativa fúnebre de explicar a uma criancinha desinformada que reza a matemática que dois mais dois são quatro, e nada mais.

  • Firmino Phelps

    Rapaz, gostei do texto, bastante pratico, para entender o socialismo, principalmente para uma classe contaminada pelo capitalismo!! hahaha

  • Carlos

    Por mais que seja mentira, exprime um ponto de vista…

  • Leonardo

    totalmente falso, histórinha baseada em achismos: ta aqui um video real http://www.youtube.com/watch?v=u6XAPnuFjJc . O Chamado comunismo falhou simplesmente porque era autoritário, agora pegue a comuna de paris ou espanha de 1936, Ucrânia de Makhno e veja o que é realmente um movimento socialista.

  • Ukyo

    De fato, também não entendi a razão do S&H ter publicado este texto ridículo. Completamente descontextualizado, sem as devidas nuances exigidas no debate de um tema complexo como esse. Os autores do blog são bem cuidadosos com uma série de outros temas. Não deveria ter entrando de forma tão leviano nesse debate…

  • Shlomo

    Teoria dos Jogos. Isso se chama “tragédia dos comuns”. Mas duvido que um professor usasse pra explicar “socialismo”… Como diria a Wikipédia: “carece de fontes”.

  • Flávio

    Quais foram os grandes exemplos de países/comunidades socialistas que deram certo? Cuba? China? URSS? Venezuela? Estes são os exemplos que ilustram o socialismo? Preciso dizer mais algo?

  • Ivo

    li um monte de argumentos aqui, positivos e negativos ao texto, entao vou dar meu ponto de vista:
    – Crianças, os teóricos do socialismo foram justamente isto – teóricos, somente nas CNTP o socialismo é possível
    – o mundo nao é justo, a natureza nao é justa, quem trabalha mais vai ganhar mais
    – pode-se ser rico por herança ou por influencia, mas NENHUMA fortuna é mantida sem trabalho, se o rico controla os modos de produção, ele está gerando trabalho, o seu trabalho É gerar o trabalho
    – não se enganem, não existe nenhuma nação socialista no planeta, nenhum governo socialista deu certo e o welfare state nao é o melhor dos mundos, uma hora o esquema cai, pois o recurso que está sustentando esta estrutura nao consegue atender a expansão da população (isto está sendo comprovado claramente na Europa, onde todos os países que utilizaram este sistema estão em GRANDE crise – França, Espanha, Portugal por exemplo.
    Fico muito feliz em ver um debate neste nivel, ainda mais em um site pontuado pelo humor, é sempre muito bom ver um debate saudável

    • Luis Felipe

      Quem gera emprego não são os patrões. Quem gera emprego, na verdade, é a “classe média consumidora”, ao comprar produtos. Por isso a redução da desigualdade é hoje tão necessária. Se ao gerenciar recursos os “patrões” gerassem postos de trabalho, os EUA estariam afogados em empregos, dado que 1% da sociedade americana gerencia 40% dos recursos do país.
      Os países onde a cultura de bem estar social é mais forte são os escandinavos e eles estão super bem em relação ao resto da Europa. A Islândia está inclusive se recuperando de uma forte crise originada por sua guinada rumo a políticas liberais na década de 90, que agora foram devidamente abandonadas.
      Não é necessário acabar com o capitalismo. O que precisa mudar é a mentalidade atual de que a humanidade deve servir ao capitalismo, quando o correto seria justamente o contrário: que o capitalismo sirva à humanidade.

  • RBarros

    O texto é medíocre. Chamar isso de socialismo é uma grande falácia. As conclusões do professor estão completamente equivocadas, pois ele atribui a culpa do fracasso geral ao socialismo, quando na verdade o verdadeiro culpado é o INDIVIDUALISMO.

  • Ivo

    ah, e ao amigo que falou sobre o Projeto Venus, muito bonitinho, mas enquanto nossa matriz energética se chamar petróleo, isto nao vai acontecer

  • Gil

    Ridículo isso. Essa é uma idéia limitada e retrógrada de socialismo.
    É por causa de raciocínios simplistas e posturas individualistas como esta que o mundo está essa merda!

  • Alexandre

    Duvido muito que esse história tenha acontecido… mesmo que a turma falhasse e reprovasse, média F chega a ser ridículo… me lembrou os 100% de votos na eleição do Saddam.

  • Lucas
  • André Vieira

    Olha, eu já vi muita merda! Mas isso é ridículo, no mínimo reacionário! Posso comparar esse tipo de historinha com aquela do soldado que não sabia que tinha motor no carro e em nome de jesus fez um regimento assistir um carro sem motor andar, fazendo assim todos chorarem! O princípio socialista e comunista vai além desse tipo de proposta! Além de estar totalmente equivocado na aplicação!

  • Leonardo

    incrível que tem gente que fala sobre comunismo, socialismo e nunca ouviu falar da Comuna de Paris que foi um governo que durou semanas porém fez mais que todos seus antecessores:

    O governo revolucionário foi formado por uma federação de representantes de bairro (a guarda nacional, uma milícia formada por cidadãos comuns). Uma das suas primeiras proclamações foi a “abolição do sistema da escravidão do salário de uma vez por todas”. A guarda nacional se misturou aos soldados franceses, que se amotinaram e massacraram seus comandantes. O governo oficial, que ainda existia, fugiu, junto com suas tropas leais, e Paris ficou sem autoridade. O Comitê Central da federação dos bairros ocupou este vácuo, e se instalou na prefeitura. O comitê era formado por Blanquistas, membros da Associação Internacional dos Trabalhadores, Proudhonistas e uma miscelânea de indivíduos não-afiliados politicamente, a maioria trabalhadores braçais, escritores e artistas.
    Eleições foram realizadas, mas obedecendo à lógica da democracia direta em todos os níveis da administração pública. A polícia foi abolida e substituída pela guarda nacional. A educação foi secularizada, a previdência social foi instituída, uma comissão de inquérito sobre o governo anterior foi formada, e se decidiu por trabalhar no sentido da abolição da escravidão do salário. Noventa representantes foram eleitos, mas apenas 25 eram trabalhadores e a maioria foi constituída de pequenos-burgueses. Entretanto, os revolucionários eram maioria. Em semanas, a recém nomeada Comuna de Paris introduziu mais reformas do que todos os governos nos dois séculos anteriores combinados:
    O trabalho noturno foi abolido;
    Oficinas que estavam fechadas foram reabertas para que cooperativas fossem instaladas;
    Residências vazias foram desapropriadas e ocupadas;
    Em cada residência oficial foi instalado um comitê para organizar a ocupação de moradias;
    Todas os descontos em salário foram abolidos;
    A jornada de trabalho foi reduzida, e chegou-se a propor a jornada de oito horas;
    Os sindicatos foram legalizados;
    Instituiu-se a igualdade entre os sexos;
    Projetou-se a autogestão das fábricas (mas não foi possível implantá-la);
    O monopólio da lei pelos advogados, o juramento judicial e os honorários foram abolidos;
    Testamentos, adoções e a contratação de advogados se tornaram gratuitos;
    O casamento se tornou gratuito e simplificado;
    A pena de morte foi abolida;
    O cargo de juiz se tornou eletivo;
    O calendário revolucionário foi novamente adotado;
    O Estado e a Igreja foram separados; a Igreja deixou de ser subvencionada pelo Estado e os espólios sem herdeiros passaram a ser confiscados pelo Estado;
    A educação se tornou gratuita, secular, e compulsória. Escolas noturnas foram criadas e todas as escolas passaram a ser de sexo misto;
    Imagens santas foram derretidas e sociedades de discussão foram adotadas nas Igrejas;
    A Igreja de Brea, erguida em memória de um dos homens envolvidos na repressão da Revolução de 1848, foi demolida. O confessionário de Luís XVI e a coluna Vendôme também;
    A Bandeira Vermelha foi adotada como símbolo da Unidade Federal da Humanidade;
    O internacionalismo foi posto em prática: o fato de ser estrangeiro se tornou irrelevante. Os integrantes da Comuna incluíam belgas, italianos, poloneses, húngaros;
    Instituiu-se um escritório central de imprensa;
    Emitiu-se um apelo à Associação Internacional dos Trabalhadores;
    O serviço militar obrigatório e o exército regular foram abolidos;
    Todas as finanças foram reorganizadas, incluindo os correios, a assistência pública e os telégrafos;
    Havia um plano para a rotação de trabalhadores;
    Considerou-se instituir uma Escola Nacional de Serviço Público, da qual a atual ENA francesa é uma cópia;
    Os artistas passaram a autogestionar os teatros e editoras;
    O salário dos professores foi duplicado.

  • Romulo

    Isso que dá um site de humor se meter a falar de política… SÓ MERDA!!!

  • Otávio Neves

    Notei que vários dos colegas, principalmente aqueles com um certa simpatia pelo comunismo, estão lendo o texto de forma equivocada, ou “inserindo” trechos que não estão no texto.

    Primeiramente, em lugar algum do texto diz que o mais pobres ão preguiçosos e nem dá a entender isso. O texto diz, de forma muito clara, que no capitalismo seu sucesso depende exclusivamente do seu esforço, enquanto no socialismo a população é atingida por uma espécie de anomia.
    Um ponto que está claro é que tal experimento não ocorreu, uma vez que dificilmente um professor teria liberdade para aplicar este método de avaliação.

    Sobre os sistemas econômicos, creio que o principal defeito da aplicação do comunismo é convencer a população a afastar determinados defeitos intrínsecos ao ser humano (inveja, ganancia, etc…), o que é utópico.

    Ademais, cabe olhar para a história e notar que os setores mais fortes dos regimes comunistas eram justamente aqueles nas quais existia alguma espécie de competição (por exemplo os setores militar e aeroespacial).

    A certeza que fica é que tal discussão é datada, visto que todas as tentativas de aplicar um regime comunista falharam.

  • Ze Rules

    Esse texto é uma bosta, comparar um sistema socio-politico com uma imbecilidade de um professor e seus alunos preguiçosos é demência….

  • Rafael

    hmm…então quer dizer que os ricos são ricos porque se esforçaram para isso? hmmm….SAUHSAHUSAHUSAHUSAHUHUSAUHSAUHSAUHSAUHSHUAUHSAHUSAUHSAUHSUAHUSAUHSAHUUHSAHUASHUSAHUASUHUHASUHSAHUSAHUHUASHUSAUASHUUHASUHASHUSAUHUHSAUHASHUSAUHSAUHSAUHUASHHUSAUHSAUHASHUHUSA…E quem é podre é pq mereceu? HUSAHUSAHUSAHUSAHUSAUHUHSAUHSAUHSAUHUHASUHSUHASHUSAUHSAHUUHSAU

  • Edgard

    Texto ridículo. A concentração de renda não é causada pela premissa de que ricos trabalham mais e por isso possuem maior riqueza. É o contrário, o rico possui maior riqueza porque toma dinheiro do operário, a famosa mais-valia.

  • Luis Felipe

    “Não é despropositado que os ricos tenham de contribuir para as despesas públicas, não apenas em proporção aos ganhos, mas até mesmo acima dessa proporção”. Não, a frase não é de Karl Marx. É de Adam Smith, o pai do capitalismo.
    Não é necessário eliminar a meritocracia ou mesmo os pilares do capitalismo para prover um estado de bem estar social com ideais socialistas. Os países Escandinavos estão aí para provar. Possuem a melhor qualidade de vida do planeta graças a um sistema que não permite a criação de grandes disparidades entre seus habitantes. É o “socialismo” que deu certo. Lá, não há o 1% que tira apenas AAA++++ (especulando com os estudos dos outros) nem os 50% que só tiram F-. Todos (vá lá, há uma ou outra raríssima exceção) circulam entre B- e B+. Aposto que os alunos dessa história fictícia adorariam estudar em um sistema assim.
    O problema do mundo atual é que a humanidade serve ao capitalismo, e não o contrário, como deveria ser. É possível mudar. Sigamos os escandinavos.

  • Tadeu

    Experiencia socialista ??? esse texto é extremamente falho !! Experiencia socialista aconteceria se o professor deixasse de existir e aplicar prova. Assim com o conhecimento adquirido pelos alunos atraves de seus estudos e pela troca de conhecimento do grupo eles poderiam comer, beber, criar coisas !!! O experimento socialista não existe se ainda existe o governo presente e cobrando resultados !!!

  • Iago Macedo

    Ah, interessante! Não sabia que o socialismo se baseava em distribuição igualitária de renda. Cara, vão dar uma lida rápida na coisa antes de falar, pelo amor de deus, até um artigo do wikipédia consegue esclarecer isso. O nome disse é anacronismo e radicalismo, sem noção.

  • Júnio

    Socialismo é diferente de Comunismo. No caso do exemplo deste texto aí, do tal “professor” de sei lá qual “universidade americana”, o tema apropriado seria “Comunismo”… Comunismo tá por fora mesmo… (…) Bom, o Socialismo, na essência, tem à ver com condições de igualdade. Não tem à ver com distribuição de produtos iguais… Por exemplo: todos os cidadãos teriam direito aos mesmos – e bons! – sistemas de educação, saúde, direito a moradia, etc.. (…) Um filho de um bilionário poderia ser colega de sala de um filho de um pedreiro… Teriam chances iguais de progredir intelectualmente e, por conseqüência, socialmente… (…) Um riquíssimo empresário poderia ser hospitalizado num mesmo hospital que seus empregados… (…) As pessoas poderiam ter direito, no mínimo, a uma moradia básica, com as condições básicas de dignidade… (…) Enfim, todas as condições e estruturas socias deveriam ser igualitárias, para que as consequências, essas sim, equalizassem o cenário social… Socialismo, de fato, é extremamente complexo… É uma TOLICE absurda analisar o assunto tão superficial e equivocadamente, como esse tal “professor”, dessa sei lá qual “universidade americana”, fez.

  • Ivan Ilitch

    Realmente é mais fácil criticar o socialismo quando primeiro o caricaturizamos em uma simplificação extrema. Em nome da defesa da ideia de meritocracia o autor, em uma análise rasa, define que o ser humano é incapaz de se aplicar em nome do bem comum. Então somos todos irracionais e ignorantes ou é só uma questão de entendermos que só estamos bem quando o meu próximo também está? Neste caso, eu fico com o ser humano.

  • André HP

    Falar é fácil! Creio que 99% dos que comentaram aí não dividiriam de mão beijada um trabalho com alguém que não fez praticamente nada sem se sentir um pouco explorado. Não precisa tratar o texto como uma metáfora para provar que um sistema não da certo, pois nossos próprios comportamentos perante estas situações provam.

  • Ivan Ilitch

    Lamentável a escolha do autor pela análise rasa e caricatural do socialismo somente para louvar a meritocracia do neoliberalismo. Vivemos em uma época onde o acesso a informação, sendo o Sedentário um dos blogs pioneiros, já não é mais totalmente pautado pela mídia tradicional, que possui sua própria agenda. Portanto é temerária a estratégia do autor em contar com a desinformação do povo para sustentar uma crítica superficial que não resiste ao mínimo escrutínio.

  • Melques

    Até agora o post mais besta e descabido que vi por aqui… Nem é por ser uma anedota de direita ou coisas assim (e por não me colocar nesta posição e tal).. Mas sim que, poxa, se é pra fazer algo crítico, favor construir algo menos bobo e nada haver…

    Brasil tem um problema muito sério de despolitização… Ao que parece neste post não há uma noção do que se é o tal “socialismo”, como pensam ou como a buscam de fato. Passa longe de discussão sobre cultura e quase que até esqueceu de fingir que passa por situação político-econômica… É somente uma anedota rebaixadora de um esteriótipo extremamente descabido do que seria a busca por tal estrutura política-social.. .
    Não estou dizendo que todo mundo tem que ser especialista em tudo e coisas assim.. Mas quando é para se lidar com coisas importantes, é interessante haver uma atenção maior como também alguma busca minimamente mais relevante sobre o que se está falando. Essas coisas influenciam a visão de pessoas e milhares delas devem ter curtido pra caramba e nem passa pela cabeça de como é bobo e descabido tal post (Embora esta seja a visão predominante).. Se for para “politizar” algo, mesmo que em um site de humor, ao menos que se leve a sério como este tipo de coisa deve ser levado. As discussões políticas iriam muito mais pra frente se as pessoas tomassem este cuidado e dessem o valor merecido à este tema (ao invés de ficar preso stagnadamente nos jargões comuns de “ah.. Temos que pensar política, por isto só sei falar sobre dinheiro na cueca, de xingar tudo e postar indignação sobre corrupção no facebook”… Sem atenção pra isto, tudo se torna discurso vazio…). ..

    PS: (Pô… Galera dos comentários também poderiam dar uma olhada melhor e parar de falar que PT é esquerda.. ¬¬ PT tem uma política de “centro”, joga para os dois lados e não buscando mudar o status quo da sociedade de uma forma radical, mas sim manter a estrutura com um toque de assistencialismo…
    Isto está longe de ser socialismo ou ao menos “esquerda” (já que posturas de esquerda não é somente ligada ao marxismo)…

  • Arthur

    muito simples fazer uma projeção dessas baseadas com um pensamento economico contrario. As ideias praticadas pela sala, são de pessoas nascidas, criadas e educadas sob as leis e ideais capitalistas. Como já foi dito pelo José Roberto, um semestre é muito pouco para se converter uma vida de hábitos contrários. Pois senão, Cuba teria abdicado do modo socialista/comunista logo após da queda do socialismo Russo. E não venham com essa de ditadura opressora, porque duvido que os Estados Unidos, tão próximo geograficamente de Cuba, não ajudaria uma revolução popular lá, ou vocês acham que o exercito cubano é tão foda a ponto de dar medo aos primos americanos? Lembrando que não estou dizendo que o sistema politico de cuba seja perfeito, apenas usei-o como exemplo pra contrapor essa besteira expelida pelos dedos do senhor Rodrigo Campanini Rubio.

  • Ivan Ilitch

    Lamentável a escolha do autor pela análise rasa e caricatural do socialismo somente para louvar a meritocracia do neoliberalismo. Vivemos em uma época onde o acesso a informação, sendo o Sedentário um dos blogs pioneiros, já não é mais totalmente pautado pela mídia tradicional, que possui sua própria agenda. Portanto é temerária a estratégia do autor em contar com a desinformação do povo para sustentar uma crítica superficial que não resiste ao mínimo escrutínio..

  • Christian

    Texto fraco. Direitoso e individualista.

  • Francisco

    Não entendo porque a turma de miolo mole que fica aqui defendendo o socialismo não se muda para Cuba, Coreia do Norte ou China. Fácil é pregar o socialismo vivendo de mesada do papai…

    • Luis Felipe

      Incrível como o pessoal sempre coloca Cuba e Coreia do Norte como exemplos, mas se esquece que Haiti e Somália são países capitalistas. Dinamarca, Suécia, Noruega e Finlândia se fazem valer de boa dose dos valores socialistas e têm a melhor qualidade de vida do mundo.

    • leonardo

      ridículo é ver pessoas criticando o que não sabem, se vc tem vários direitos trabalhistas então dê graças a deus que existiu a Comuna de Paris (se é que vc trabalha, pq geralmente quem critica o socialismo são banqueiros, empresários e donos de indústrias em geral). Pensa pq vc não ganha igual os trabalhadores na China, simplesmente pq houve e ainda há uma luta contra o capitalismo pleno (o que existe hj é um capitalismo de estado, quer o capitalismo pleno vá pra Somália). Pow cara, para com esse argumento de Cuba E Coreia do Norte, só para constar Comunismo é um meio para se atingir o fim (Socialismo), os anaquistas pregavam socialismo como meio e fim, enquanto os comunistas (Gênios como sempre) queriam a centralização do poder para depois descentralizá-lo… Bakunin falava: Se um pau está batendo no povo, não irá fazer nenhuma diferença se chamar esse pau de “pau do povo”

  • Thiago Viana

    Conversinha atrasada.
    Com a complexidade do atual capitalimo global.
    Marx é legal, só!

  • Monolito.

    Qnd vc treina qualquer animal, vc deve recompensa-lo com alguma iguaria, para que ele continue repetindo esse processo ao ponto de atingir a perfeição.
    Se não houver isso, ele simplesmente não fará, ou vai fazer, sem o mesmo foco.
    Se o socialismo fosse vigente geral atualmente, todos teriam acesso, mas estaríamos na época do celulares tijolões e pagers e as pessoas ainda morreria de AIDS.
    Capitalismo infelizmente segrega, mas é o que melhor extrai conteúdo e ideias da pessoas.

  • Rogério

    Fatos:
    • Os russos foram o primeiro povo a adotar o socialismo;
    • Os russos abandonaram o socialismo.

    Conclusão: Se socialismo fosse tão bom, os russos continuaram com ele. Mesmo que a decisão de mudar de sistema partisse apenas do governo, o povo russo lutaria pela volta do sistema antigo. Isso aconteceu? Não!

    • Luis Felipe

      Dinamarca, Suécia, Noruega e Finlândia se fazem valer de boa dose dos valores socialistas e têm a melhor qualidade de vida do mundo.

  • demetrius

    O texto é ótimo, só esqueceram de mencionar que vingança, inveja, preguiça, baixa estima e acima de tudo disputa são sentimentos criados pelos valores capitalistas, só isso.

    quem escreveu isso, a Assessoria do JP Morgan?

  • Gabriel

    Quem é John Galt?

  • cezar

    Não vou nem discutir que socialismo não é a mesma coisa que redistribuição de renda… apenas proponho que o professor faça o “experimento capitalista”: um numero limitado de pontos (nota para passar de ano)*(n de alunos). e questões de prova a mais difíceis que permitam alunos acumular pontos perdidos pelos outros. o que será que aconteceria?

  • guilherme

    Fácil falar né bando de bumbunzinho de apê. Vai ser preto, pobre de canela cinza pra ver se tirar um “f” como o exemplo RIDICULO da matéria, não vai ser alguma coisa de quem tem que pegar na porra do cabo da enxada pra trabalhar. Outra, quero as fontes deste acontecimento. Simplesmente copiar e colar um link sobre esse assunto mais sério e politizado não cola. Não que eu seja a favor deste tipo de governo, mas que esse capitalismo selvagem em que vivemos não é o melhor isso é nítido. Falam que “só não estuda favelado porque não quer” “tem que ensinar a pescar ao invés de dar o peixe” “bandido bom é bandido morto” é coisa das nossas avós ou de quem nunca sentiu o cheiro e a verdade da rua ou da vida. Ou seja, os bumbunzinhos de apartamento. Agora o mano Waldeir ali embaixo mandou MUITO.

  • Danilo Campos

    Só uma consideração. O texto é simplista porque era para ser. Ele cumpre o objetivo dele que é meramente comercial. Uma propaganda não precisa esclarecer e discutir sobre todos os aspectos daquilo que apresenta, apenas os pontos fortes que tornam o produto atrativo. Este blog está de parabéns ao inserir um assunto tão importante apesar de não ser este o propósito principal dele. Àqueles que ficaram desapontados com o texto não compreenderam o objetivo dele. Sintam-se livres para criar algo comercial como este enaltecendo os pontos fortes do socialismo, mas não desqualifiquem pessoas (como muitos fizeram aqui) apenas porque elas não pensam como vocês. Cada um é livre para manifestar suas ideias onde e da forma que melhor lhes convém.

  • Renato

    Texto ridículo.

  • Kauê

    Desculpem o comentário de um leigo, mas achei isso meio que uma falsa alusão, já que fora do experimento, num “sistema capitalista de avaliações”, para que alguns alunos tirassem notas altas, outros nao precisariam tirar notas baixas.

  • Orlando Campos

    Seguinte, acho que o problema nao eh o sistema socialista em si.O problema eh que o ser humano ainda nao estah preparado para viver nesse sistema, ou seja, os niveis de desigualdade social, economica e, sobretudo cultural atuais nao permitem que os homens sequer imaginem uma sociedade igualitaria. Essas revolucoes que houve no passado, por exemplo a Comuna de Paris de 1871, a Revolucao Russa de 1917, a Chinesa de 1949, e assim por diante, nao passam de sementes que foram plantadas e que vao germinar definitivamente num futuro ainda muito distante da humanidade atual. Sao como experiencias que estao sendo feitas num laboratorio ateh que anos depois de iniciadas resultem num produto novo realmente efetivo e eficaz. Mas nao deixam de ser validas, pois a humanidade do futuro vai, com certeza, aprender com os erros e acertos das experiencias do passado… Eh isso o que eu, resumidamente, penso sobre esse assunto…….

  • Pedro

    Engraçado, vejam como era URSS na prérevolução e apenas 20 anos depois.

  • ANDRE

    Nem dá pra discutir sobre esse experimento pois é falso! Isso não existe e nunca vai existir. Tudo estória bem contada que até parece meia verdade, mas não passam de absurdos.

  • Thor

    No nosso modelo Capitalista ocorre essa injustiça, para cada deputado que trabalha às vezes 8h, 12h por semana, para ganhar 27.000 mais “auxílios” absurdamente elevados de moradia, combustível, alimentação, aluguel de veículos e tantos outros benefícios desnecessários, há dezenas de milhares de brasileiros trabalhando 40h 48h por semana pra tirar um salário mínimo…

    Isso é justiça? É merecimento? E ainda sim boa parte desses deputados além de não fazer nem o mínimo que seria sua obrigação, representar efetivamente o povo que o elegeu, ainda superfaturam, desviam e tiram o máximo possível do povo pra sugar pra si…

    Aceito a crítica esse modelo socialista, mas não é assim que funciona, apesar de estar ultrapassado… mas há algo bem pior e mais injusto no nosso modelo capitalista atual. Há falta de oportunidades iguais, há educação, saúde, infraestrutura e moradia, acesso a informação e cultura de qualidade para uns poucos e falta para a maioria, não há igualdade, não há justiça…