Cervas da Europa Parte 3: Guinness

Depois do Grande Festival da Cerveja da Grã-Bretanha, em Londres, todos os presidentes das cervejarias decidem sair pra tomar uma. O presidente da Corona senta e diz: “Hola señor, eu gostaria de beber a melhor cerveja do mundo, a Corona”. O barman tira o pó de uma garrafa e a serve. O CEO da Budweiser diz: “Eu gostaria de beber a melhor cerveja do mundo, me dê uma ‘King Of Beers’, a Budweiser”. E o barman lhe entrega uma garrafa. O presidente da Coors então diz: “Vou beber a única cerveja feita com a puríssima água das montanhas rochosas, me dê uma Coors”. E a garrafa lhe é servida. Então o chefe da Guinness senta e diz: “Me vê uma Coca-Cola”. O barman toma um susto, mas serve o refrigerante. Os outros presidentes das cervejarias perguntam incrédulos: “Por que você não vai beber a Guinness?”, e o presidente da Guinness responde: “Bom, já que vocês não vão beber cerveja, também não vou…”.

Vejam que a piada mostra como é difícil comparar as cervejas européias com as demais. E entre todas as do Velho Continente, existe uma irlandesa que se destaca. É claro, são muitas as concorrentes. Podemos discutir eternamente sobre determinadas qualidades ou fraquezas de cada uma delas, porém nenhuma terá a aura da Guinness.

Sua história começa com um mordomo chamado Richard Guinness. Morador de Dublin, ele era funcionário do Arcebispo de Cashel (Arthur Price) e tinha como uma de suas atividades produzir cerveja para os demais empregados do patrão. Seu filho Arthur o acompanhou desde cedo em suas tarefas diárias e acabou aprendendo a arte de fazer cerveja.

Aos 34 anos decidiu ter uma cervejaria só sua. Arrendou a St. James’s Gate Brewery por 45 libras anuais usando um contrato que determinava um prazo de 9000 anos de uso do local (isso mesmo, nove mil anos!). Na década seguinte se concentrou em melhorar a qualidade da bebida e revolucionou o mercado de seu país. Se antes toda a cerveja da Irlanda era importada da Inglaterra, agora graças à Guinness os ingleses estavam tomando um produto irlandês.

Parte desse sucesso se deveu à inteligência de Guinness em escolher produzir uma cerveja de fermentação alta (Ale) no então novo estilo Porter (ou stout), uma bebida escura e de sabor mais marcante do que as populares Pilsen.

Se Arthur desenvolveu o produto e formou as bases da empresa, seus descendentes foram capazes de transformar a Guinness numa marca global. Assim como outras cervejarias, eles também apostaram na fabricação de bebidas cada vez mais refinadas e investiram pesado na expansão de seus mercados internacionais.

Parte dessa fama alcançada pela cerveja surgiu obviamente da publicidade. Em especial por um tipo de propaganda diferente, baseada na criação de fatos noticiáveis sobre a marca. Não bastava só fazer cartazes, anúncios de rádio ou comerciais para a televisão. Era preciso criar um tipo novo de informação para agregar um valor ainda maior ao produto.

Desse pensamento surgiu a idéia de passar aos consumidores a maneira adequada de consumir uma Guinness, mostrando desde a taça correta para isso até o tempo perfeito para encher um pint (acredite, 119.53 segundos!). Aliás, no afã de convencer os barmans a respeitarem o tempo correto de completar a taça, a Guinness começou uma das campanhas mais memoráveis da propaganda. Ninguém gosta de esperar muito para tomar uma, então eles tinham nas mãos um problema bem complicado de resolver. Porém, fizeram isso com grande elegância aos criar o slogan “Good things come to those who wait” (as coisas boas vêm para aqueles que esperam). Veja o caso desses caras aí, o tanto que eles esperaram:

É um simples processo de convencimento, tornar a espera algo justificado diante da promessa de estar consumindo a melhor cerveja do mundo.

Vencedor e menções honrosas

O vencedor do concurso para ganhar o Guia Ilustrado Zahar – Cerveja foi o Flatelo Araújo. Ele vendeu muito bem a história da Guinness e trouxe ótimas informações que me ajudram a compor o post. Cabe uma menção honrosa pelo bom humor do Alex Rodrigues, outro leitor que me enviou a seguinte mensagem, muito direta aliás: “sugiro fazer sobre a marca Guinness, da Irlanda. Não vou fazer muito ti ti ti a respeito. O senhor não pode falar de cervejas da Europa sem mencionar uma cerva da Irlanda, a gente já começa a conversa por aí. E se tem uma coisa que irlandês sabe fazer é cerveja. As outras duas são transplante de fígado e roubar potes de ouro dos duendes. Passar bem.”

O Guilherme Barros está morando há sete meses na Alemanha e me falou da cerveja 5,0. Segundo ele na lata do produto vem escrito a seguinte mensagem: Nur eine einfache schwarz-weiße Dose! Keine goldene mit aufwändiger Prägung! Nur eine simple Gestaltung! Keine teure TV-Werbung! Die Ersparnis geht an Sie! (Apenas uma simples lata branca e preta! Sem letras douradas elaboradas! Apenas um design simples! Nenhuma cara publicidade de televisão! A economia vai para você!). O nome se deve ao fato da cerveja conter 5% de álcool. A empresa não gasta com propagandas e mesmo a lata é muito simples, sem frescurinhas (foto), fazendo com que o preço saia por menos de 40 centavos de Euro. E você ainda pode devolver a lata e lucrar mais alguns centavos, o preço final é muito baixo (perto de uns 20 centavos).

Quero citar também o Vinícius Prado. O cara sugeriu a belga Hoegaarden, mas acabou não falando nada sobre a cerveja. Falou somente sobre a sua fraternidade de cervejeiros chamada Santo Néctar Dourado lá de São Paulo. O rapaz é realmente viciado no negócio de degustação e há quatro anos mantém com os amigos essa confraria.

Já o Bruno Henrique Dias demonstrou sua devoção histórica pela cerveja Weihenstephaner. Porque falar dela? De acordo com o Bruno:

Porque vem da cervejaria mais antiga do mundo! A história da Weihenstephan começa um pouco antes de seu surgimento em 1040. No ano de 725 São Corbiniano fundou um monastério Beneditino em Nähberg Hill, o Monastério Weihenstephan. Em 955 os hunos (bárbaros) atacaram e destruiram completamente o monastério, porém os monges beneditinos que moravam ali colocaram a mão na massa e o reconstruíram. A partir 1040 começa a história do monastério como uma cervejaria. O abade Arnold (cara que mandava dentro do monsterio) conseguiu a licença para vender cerveja para uma cidade próxima, a cidade de Freising, assim nascia a cervejaria Weihenstephan! Tudo indo bem, padres bebendo e fabricando cerveja… mas tempos bons passam rápido, em 1085 começa um período catastrófico para o monastério. De 1085 até 1463 o monastério pega fogo 4 vezes, é destruído e/ou despovoado devido a 3 tipos de pestes/pragas, escassez de comida e um grande terremoto. Se você pensa que já estamos na desgraça, ainda consta um episódio em 1336 onde os hunos atacaram novamente o monastério e destruiram tudo. Com ajuda dos Bavários os monges Beneditinos reconstruiram novamente o monastério e a cervejaria. 1516 foi um ano marcante para quem gosta de cerveja. Neste ano o rei Duke Wilhelm IV criou a lei de pureza da cerveja, ou chamada a “Reiheitsgebot”. Esta lei determinava que para na produção de cerveja somente poderiam ser utilizados malte de cevada, lúpulo e água, mais tarde o fermento. A lei da pureza não afetou a produção da cervejaria Weihenstephan que já seguia esse preceito. Novamente tudo indo bem, isso significa que algo ruim esta prestes a acontecer e não foi diferente. Em 24 de Março de 1803 uma assinatura fez o que as catástrofes e o hunos não conseguiram… o monastério foi dissolvido. Todos os bens e direitos do monastério Weihenstephan foram transferidos para o estado da Bavária, mas isso não afetou a produção de cerveja. No ano de 1852 a Escola Central de Agricultura muda de Schleissheim para o monastério de Weihenstephan. Em 1895 a escola é promovida para academia e em 1919 vira a Universidade de Agricultura e Cervejaria sendo incorporada a Universidade Técnica de Munique em 1930 o que torna o monastério de Weihenstephan o maior ponto de referência para a tecnologia em cervejaria da época onde mestres cervejeiros do mundo todo foram formados. Sem mais catastrofes, em 1923 a cervejaria muda seu nome pelo qual é conhecido até hoje: “Bavarian State Brewery Weihenstephan”. Atualmente é a cervejaria mais moderna do mundo, fabricando diversos tipos de cerveja, dentre elas a Weihenstephaner Original, um clássico.

Finalmente temos o Guilherme Machado e a história da cerva belga chamada “Delirium Tremens”. Esta cerveja recebeu este nome devido ao seu alto teor alcoólico (8,5%), nome que também faz referencia à “abstinência” associada ao álcool (em latim: delirius tremens). Eu achei maneiro!

Curiosidade de Sobremesa

1 – Eu nem ia fazer Sobremesa hoje, o conteúdo já está enorme, mas esse dado é importante demais. Guinness World Records e cerveja Guinness, qual a ligação? Eis que Hugh Beaver, um dos diretores da empresa, estava certo dia caçando pássaros com os colegas. Começou então um debate: qual seria o pássaro mais rápido? A discussão foi tão acalorada que o pessoal decidiu consultar alguns livros, porém acabaram não achando a informação. Beaver pensou então em como seria legal ter um livro que catalogasse esses conhecimentos. Contratou dois pesquisadores e pediu que eles criassem uma lista de recordes. Surgia assim em 1955 o que mais tarde seria o maior fenômeno editorial da história.

  • eu realmente acho a budweiser a melhor de todas!

    • AdrianoD

      Sério, Dimitri?
      Que bom, quase toda vez que eu vou ao banheiro eu fabrico um pint de Budweiser!
      Se quiser, eu te forneço…

    • Marcelo

      Budweiser não é cerveja!

  • gerson cereda

    fiquei com muita vontade de experimentar a guiness, onde comprar…?

    • Leonardo

      Cara…… hoje em dia qualquer mercado que se preze tem uma Guinness na prateleira.
      O problema (digo, a solução) é o dinheiro. Aqui em Campinas, onde moro, sai em torno de uns 10 reais a garrafa com uns 350 ml. A cerveja é boa, mas não para o paladar e clima brasileiro. Sugiro tomar em um dia frio.
      O gosto lembra café gelado amanhecido.
      Talvez por falta de costume, ainda prefiro a boa e velha Caracu.
      Abraços…..

      Ps: poderia criar posts sobre cervejas de trigo…… que por sinal, são uma delícia, além de uma arte no que diz respeito a cerveja.

      • AdrianoD

        Leonardo e Gerson:
        Eu gosto da Guiness, mas, pra mim, ela é só uma stout boazinha…
        Sugiro que vcs experimentem uma cerveja chamada Old Engine Oil (sim, o nome é esse mesmo: Óleo Velho de Motor).
        É uma stout muuuuuito superior à Guiness… Um pouco mais cara tb, mas vale a pena.
        No Frangó (Sao Paulo) tem. Aliás, lá tem várias brejas mto boas!…

    • CJ

      Amigo, se você nunce tomou uma Guinness, é bom te avisar. Ela não é uma cerveja comum, tipo pilsen, ale, nem essas escuras tipo malzebier, xingu, etc. Ela é forte, encorpada, com uma espuma cremosa. Tem um gosto que nada tem a ver com o dessas cervejas, você que nunca tomou vai achar que está tomando qualquer coisa menos cerveja. Seu gosto é tipo de café. Tem o malte torrado, o que dá o sabor de café. É amarga. É uma cerveja para tomar devagar, apreciando o sabor. Normalmente você não vai gostar nos primeiros goles, vai dizer que é ruim. Se você for uma donzela que gosta de vestir rosa como os torcedores Atlético Mineiro, vai querer mudar de cerveja na hora. Mas se você for um homem vai continuar tomando para ver se o paladar acostuma. Quando tiver tomado mais da metade, se estiver acostumado com o sabor você vai entender porque ela é cerveja de Macho! Mas se terminar de tomar só por terminar mesmo, e pedir outra cerva diferente, após tomar uma guinness, vai entender porque falam que as outras tem gosto de mijo!

  • gerson cereda

    otimo artigo

  • Alemao

    Finalmente uma cerveja de verdade nessa seção!!

  • ilo

    A bud é boa sim, mais não chega nem do lado de uma GUINESS. Opnião pessoal, nada melhor do que uma Paulaner, uma alemã MUITO gostosa e antiga, 1643 se não me engano.

  • piada muito boa hahahah

  • William

    Uma cerveja legal de saber sua história seria da autraliana Fosters..tomei muito dela na inglaterra ceveja boa d++…

  • Muito bom seu texto cara, só que faltaram datas! Vc não colocou a data de nada, nem da cervejaria, nem da popularização, niente!
    Arruma isso aí cara, vai melhorar em muito o artigo

    • Érick

      Verdade, faltaram datas…

  • Joan

    Uma pena, eu acabei esquecendo o prazo pra participar do concurso, ia falar sobre a cerveja Erdinger de trigo, mas agora já foi.

    Gostaria de acrescentar que a Guinness contratou Louis Pasteur para achar uma solução do desperdício de cerveja que vinha contecendo com os barris que eram exportados. Louis Pasteur já era conhecido pelas suas pesquisas com vinho e cerveja, e descubriu que aquecendo a bebida, mataria, deste modo, as bácterias, e posteriormente encerrando o líquido em barris hermeticamente. Grande revolução que permitiu a bebida se espalhar pelo mundo, e chegar no verejo mais perto de você!
    Um link: http://www.youtube.com/watch?v=RWO0w3-GRQQ

    Recomendo você vir pra Oktoberfest em blumenau e conhecer as cervejas de SC, e quem sabe falar das cervejas brasileiras.
    Ótima série, você tocou num assunto que praticamente todos gostam.

  • Henrique

    Me mudei ha 9 meses pra Dublin, na Irlanda, e de la pra ca só tenho tomado guinness. Tenho a sorte de trabalhar de barman em um pub local, e de poder usufruir da guinness pelo menos 5 dias da semana.

    • Felipe

      Cara de sorte… estive em Dublin em Fevereiro e tomei Guinness TODOS os dias!
      Se um dia vocês puderem juntar dinheiro e ir a Dublin, façam isso! Aquela cidade é foda! \o/

      • Kellita

        Moro em Dublin tb mas nao consigo beber Guinness. So bebo qdo to com algum amigo que esteja visitando a cidade e queira beber, principalmente se estiver visitando o Temple Bar (pub) pq faz parte da cultura local.
        Todo irlandes que conheco diz que eh questao de costume.
        Gosto da Bud, Carlsberg, Stella Artois e uma polonesa que nao lembro o nome; acho que eh Tyska.

  • Rômulo

    Beneditinos ou Franciscanos?? quem faz a melhor?? hehe

    Umas das melhores cervejas de trigo que já provei é a alemã Franziskaner, segue relato da mesma retirado do site http://www.brejas.com.br:

    “A Franziskaner Hefe-Weissbier Hell é uma cerveja de cor dourada e opaca cujo sabor condimentado e refrescante se deve à presença ativa do fermento dentro da própria garrafa. Ela apresenta uma espuma abundante, branca e cremosa, obtendo-se no copo uma liberação de gás carbônico, o qual produz um efeito de vivacidade e frescor na cerveja. Harmoniza maravilhosamente com salada, frutas german-style e com pratos alemães.

    Histórico

    A Franziskaner Weissbier é uma das cervejas de trigo mais conhecidas do mundo, com mais de 600 anos. As cervejas de trigo têm uma longa história: os babilônios já apreciavam esse tipo de cerveja, que é obtida através de alta fermentação, a maneira mais antiga de se fazer cerveja.

    A Franziskaner se distingue pelo seu agradável nível de carbonato e sabor, deixando uma sensação refrescante. Pelo fato de conter menos lúpulo, quando comparada com a maioria das Pilsen, as cervejas do tipo weiss proporcionam uma sensação gustativa mais suave e frutada. O processo de filtragem permite a presença de fermento após o envase o que, além de dar uma aparência turva à cerveja, promove a re-fermentação na própria garrafa em um processo similar ao das champanhes.”

  • Cervaaaaaaaa.. otimo artigo!

  • Tiago

    Amigo, tantos emails que voce recebeu,,, e foi falar da guinness botando uma Piada Xula da Playboy de Abril? hahaahaha… voce nao entende nada de cerveja, precisa ler uns 100 guias em vida. E pra os desinformados de plantao, A BUDWEISER NAO É EUROPEIA !

    • Fabio

      sempre tem um manezao que acha que sabe tudo e vem falar merda
      Faz melhor então, otario

      Ps: o problema do Brasil são os brasileiros

    • Alemao

      A Budweiser original, a que surgiu primeiro, é européia, Tcheca pra ser mais específico. Mas vc deve estar certo pq duvido que o pessoal ai em cima esteja falando da Budweiser original, estão falando da Budweiser americana. (Apesar dos nomes serem os mesmos uma não tem nada a ver com a outra)

      E só pra constar, a original Tcheca dá de 10 na americana!!

  • Eduardo, uma correção no texto é sobre o tipo da cerveja Guinness. Você colocou que ela é uma “porter (ou stout)”, quando se tratam de estilos diferentes de cerveja. Aqui no Brasil podemos encontrar como uma porter a Colorado Demoiselle e como stout a Baden-Baden Stout. Ambas ótimas cervejas, mas diferentes no paladar.
    Aos que pediram datas, a Guinness foi fundada em 1759 e completou 250 anos no ano passado, mais exatamente no dia 24 de setembro.
    Saúde!

  • Diniz

    que demora pra fazer esse post!! e ainda acho que ficou faltando a fantástica cerveja dinamarquesa Carlsberg… é a minha preferida! ela é tão boa que o proprio slogan dela é “Provavelmente a melhor cerveja no mundo”… tive a oportunidade de visitar a fabrica dela em copenhagen(que é inclusive um ponto turistico) e provei alguns tipos de cervejas… é MUITO BOM!
    da uma pesquisada nela, eu acho que valeria um quarto post sobre cerveja hein!? heheh

  • Thiago

    ótimo post, ainda mais pros brazucas que acham que cerveja boa é Heineken e Bohemia.

    É dificil dizer as melhores. Guinness, Budweiser, Franziskaner e etc são boas pra média e tem seu toque. Mas pra ver as melhores no top geral, melhor acessar: http://www.brejas.com.br/cervejas/top-cervejas-brejas/

    Nem sempre a melhor tem o melhor gosto pra todos, porém tem um sabor mais complexo.

    A Erdinger embora no brasil seja considerada boa, é bem fraca e uma das piores das Weiss Alemãs. Paulaner você encontra pelo mesmo preço e é muito melhor.

    Carolus, Lust, Rochefort e Chimay são encontradas no brasil. Quem puder ir a uma adega (tem em alguns shoppings e outros locais) vale a pena comprar.

  • tiago kall

    Excelente. Autor tá de parabéns pela coluna.
    Minha sugestão seria um post sobre a Old Speckled Hen.

  • Juan

    Foster boa demais?
    Tais de brincadeira, nem os proprios australianos bebem esse coisa.

  • Madger

    Po faltou uma artesanal brasileira que é massa, a Colorado Indica, feita em ribeirão e é com certeza a cerveja mais gostosa que eu tomei, tem um teor alcoólico elevado em torno de 7~8% +- (não me lembro ao certo), mas é muuuuuito boa, pena que é mei ocarinha em torno de 10 reais uma garrafa de 750ml

  • Lucas

    Tiago, recomendo dar uma pesquisada melhora respeito da marca Budweiser… Aí quem sabe você não ouve falar da Budweiser da República Checa e deixa de ser um ‘desinformado de plantão’…

  • John G

    Gostei, ainda tá um pouco com cara de artigo de wikipédia mas tá bem legal o post =]
    e ao amigo Tiago, a Budweiser não é originalmente americana, ela é uma cerveja Tcheca chamada Budweiser Budvar inclusive feita até hj na cidade de Cesky Budejovic (České Budějovice) cheguei a visitar a cidade e tudo gira em torno da cerveja. Porém quando foi intruduzida no mercado americano foi chamada apenas de Budweiser mesmo e acabou virando “orgulho pátrio”….
    Por falar nos tchecos valia uma menção honrosa a famosa Pilsen Urquell que teoricamente é considerada a melhor cerveja pilsen do mundo sendo a receita original da região de Pilsen na propria Rep Tcheca o nome por sinal é literal: Urquell(Original) de Pilsen. Ouvi inclusive que este ano o Brasil comecaria a importar a dita cuja (o que é uma otima noticia) pena porem que com os preços nada camaradas de sempre…
    Abraços e sugiro continuar o dicionario nos etílicos pois a participação e popularidade são garantidos hehe

  • post de utilidade publica!!!

  • gabriel

    eita, e eu sempre me perguntava se o livro dos recordes tinha ou nao a ver com a cerveja.
    vlw”!
    Have a pint of guinness!

  • Prosinecki

    Aew cara, existe um programa do History Channel chamado “Maravilhas Modernas” e um dos episódios foi sobre a cerveja, e lá fala que essa lei ai que foi feita na bavaria é considerada a primeira lei sanitária do mundo (ou algo do tipo, não lembro, mas aconselho a quem quiser saber mais procurar pra baixar como eu fiz ^^)

  • Flatelo

    Galera vi que muitos citaram a Budweiser, sim eu acho que realmente é uma cerveja boa claro que não melhor que a Guinness mais muito boa e não é atoa que ela é a cerveja mais vendida no mundo, só que queria fazer uma correção porque a Budweiser não é Européia e sim Americana. Ela foi roubada da República Checa onde ainda é fabricada a Budweiser Budvar.

  • Rodrigo

    Grande maioria dos brasileiros nunca experimentaram guinness e quem experimenta logo de cara n venha falar que é maravilhosa porque é totalmente diferente das cervejas daqui do brasil.
    Acho que você aprende a beber guinness a n ser que vc já nasça na irlanda.
    pra quem nunca viu , segue um videozinho que gravei na fábrica da guinness.um gringo indo pegar a guinness logo que o cara la serve e ele escuta ” Sr , you need to whait two minutes” http://www.youtube.com/watch?v=MeJsFil600I
    abraços

  • danieltemp

    Adoro a Guiness, mas aqui na minha cidade, o latão está quase 16 reais! O legal desse latão é o recipiente com gás carbônico, para a espuma ficar mais expessa! Muito boa!

  • Thiago

    A London Pride é muito boa, cor avermelhada, tipo Ale. Aliás, o tipo Ale na minha opinião é a melhor cerveja, encorpada. A Pilsen, tão amada no Brasil é muito aguada. Aqui no Sul, como faz frio, é perfeito para saborear cervejas mais encorpadas, tem muito mais sabor e teor alcóolico maior tb. O problema é que são mais caras rsrsrs.

    No Brasil a cerveja Pilsen ocupa mais de 95% do mercado, se fosse comparar com as Pizzas, é como se no Brasil só se apreciasse a Muzzarela, enquanto no resto do mundo, várias opções são consumidas.

  • firmino

    auqela propaganda do video ficou mundo boa…
    dei trela com o peixinho no final!

  • SMURF

    ALÉM DE NÃO ENTENDER DE CERVEJA, NÃO TEM PALADAR…..A BUDWEISER É A CERVEJA PREFERIDA DO CIDADÃO MÉDIO AMERICANO….BEM POPULAR E CORRIQUEIRA….”É PRATICAMENTE A KAISER DOS ESTADOS UNIDOS”….UMA CERVEJA FEITA EM LARGA ESCALA E POUCO TRABALHADA.
    BEBEMOS CERVEJAS IMPORTADAS SOMENTE EM CIDADES GRANDES ONDE PODEMOS TER DEMANDA PARA TAIS CERVEJAS!
    MAS NÃO RECRIMINO TOTALMENTE…AFINAL DE CONTAS NO BRASIL BEBEMOS SOMENTE UM TIPO DE CERVEJA….SOMENTE A BOA E VELHA PILSEN. DE UNS TEMPOS PARA CÁ A COISA ESTÁ MELHORANDO…ESTÃO APARECENDO MARCAS NACIONAIS DE “CERVEJAS PREMIUM” COMO A BADEN BADEN, COLORADO ETC….

    • Malandro

      vc tem o jeitinho da Xuxa pra escrever…..

  • 10 reais a guinness com 440ml na maioria dos supermercados e empórios….
    Tem uma bolinha de plástico com gás propulsor nitrogênio que estoura dentro com a pressão que deixa ela extremamente cremosa….
    Vale cada centavo!!!

  • CJ

    Pro cara aí em cima que perguntou sobre o Guinness – Livro dos Records, ele tem esse nome por causa da cerveja sim! Tudo começou quando uns amigos que se encontravam num bar resolveram fazer uma aposta sobre quel o bicho mais rápido, ou uma ave, sei lá. Quem perdesse deveria pagar uma rodada de guinness. Cada um apostou num bicho e foram pesquisar, no dia seguinte com livros a respeito do assunto para servir de prova, descobriram qual o mais rápido. Depois disso, viviam fazendo as apostas em relação aos recordes. Até que um dia resolveram publicar seus achados e nomearam o livro em homenagem a cerveja que era apostada. O livro foi, claro, um sucesso!

  • vinnymacedo

    Rapais pelo tanto de comentarios a favor … vo esperimentar essa guinness pois pra ser sincero nunca tomei.
    Meu costume mesmo é Heiniken mais acho que essa guinness deve por no chinelo opsakopaskpkoasaskop.
    Vamo ver então vo esperimentar esse fds a guinness.
    SAÚDE !

  • Paulo Cesar

    Fiquie até com medo, quando comecei a ler os comentarios sobre o post, achei que esta lendo um debate com especialistas somente con doutores estrangeiros no assunto.
    pelo que voces disseram, todos estão com bolsos cheios, ou comem sardinha e arrotam caviar.
    Sou brasileiro, nunca sai do pais, pobre, mas ja tive a oportunidade de experimentar a maioria das marcas citadas, pois trabalho em comercio e ja passei por uma loja de alcance muito grande e que serve todas as classes, logo, conheço quase todas.
    gosto é gosto, não há o que criticar, dizer que o resto é mijo é ser muito segregador.
    Para quem é apaixonado por cerveja, outra bebida não presta, só toma por falta de opção.
    O que dirão os bebedores de vinho?Que o melhor é italiano,portugues,alemão?
    O Brasil hoje exporta vinho be boa qualidade, e qual é o problema?
    Bebo todas as marcas, mas enquento os empolados deliram gastando 50 conto em 3 ou 4 latas passo uma noite tomando uma bela grade de redonda, e depois disso sem peso na consciencia no meio da semana vou abrir uma dessas ia que voces disseram para agradar um figurão……………….

    Tenho dito.

  • Eduardo

    Tem esse comercial da Guinness, original ou não, “Divida com um amigos”, aqui mesmo no S&H
    http://www.sedentario.org/publicidade/divida-com-um-amigo-7054

  • Alan

    Eu acho que tem muito modismo nestas coisas. Assim como em vinhos e destilados. O brasil tem muita coisa boa em todos eles, com qualidade superior a igual.

    Aqui é pilsen por causa do clima como já foi mencionado acima. Mas a cerveja é boa sim. Pega uma premium brasileira, tem muitas com qualidade superior. Pegue a bohemia confraria, uma backer ale ou uma devassa ale, uma colorado de ribeirão preto. São cervejas brasileiras que garanto que agradarão muito mais.

    Alias, eu conheci a colorado só esta semana e me surpreendi com ela. Recomendo a todos, ela mistura mel, mandioca, café e rapadura até onde eu sei. Um tipo de cada.

    *Achar que a cerveja é ruim pode ser por causa de gosto diferenciado, o comum perde a graça. Mas tomem as premiums, nem que seja original(ótima) que é mais comum.
    **Guinness é boa, mas acho que exageram.

  • Max

    A mais saborosa que tomei até hoje é a belga Kriek:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Kriek

    Cerveja aromatizada com cerejas, muito bom

  • guilherme

    falar de guinness sem falar da campanha “guinness is good for you” nao pode!

  • Carlos

    Só pra complementar: outro diferencial da Guinness é o gás utilizado na chopeira, uma mistura única com 75% de Nitrogênio e 25% de gás carbônico, o que lhe confere a característica espuma cremosa e explica o tempo de espera necessário para se tirar o chope Guinness perfeito.

  • Diogo Paludo de Oliveira

    Engraçado que exatamente hoje a tarde (pouca coincidência), em uma aula de Métodos Probabilísticos do meu mestrado, o Professor comentou que a cerveja Guinness empregou um dos caras que que revolucionou a Estatística, porque trabalhava com a criação de métodos que auxiliassem o controle de qualidade da cerveja da empresa. O nome do cara é Gosset (William Sealy Gosset), mas ele publicava os trabalhos dele com o nome de Student, porque devido a vários roubos de fórmulas na cervejaria, todas as pesquisas realizadas pelos funcionários tinham que ficar dentro da empresa. O Gosset criou uma das distribuição de probabilidade mais usadas e famosas, a t-student.
    Depois dizem que não tem sabedoria e cultura em uma bebida alcoólica.

  • A Guinness é realmente incomparável, pena que seja tão cara e tão difícil de encontrar aqui no Brasil.

  • cervejeiro

    Lembrando que nao devemos, tomar ela na lata.

    E como tem manjadores ai em… meu deus…

  • cervejeiro

    Como tem gente que fala mal ne… nao manja nada.

    A guinness nao deve ser tomada na lata, so para lembrar.

    E no distribuidor de bebidas imigrantes tem ela por bem menos de 9 reais a lata.

    Eu gostava daquela de 3 trigos, que tem as camponesas no rotulo, e a garrafa é verde com rolha. Esqueci o nome, mais quando abriam a garrafa o cheiro era fantastico, e o sabor ….!

  • nusss Bruno Henrique Dias… veiu meu irmão é o cara da cerveja e nem me fala oO………………. Bora experimenta né mossada xD

  • Ícaro

    Existem 3 Budweiser na verdade. Sendo 2 tchecas e 1 americana. Ainda brigam pelo nome que faz referencia a uma região da Replúbica Tcheca.

  • Gerson Tadeu Benassatto Cereda

    Gostaria que meu quase xara gerson cereda entrasse em contato comigo.
    Gerson Tadeu Benassatto Cereda

  • Saraiva

    “Fiquie até com medo, quando comecei a ler os comentarios sobre o post, achei que esta lendo um debate com especialistas somente con doutores estrangeiros no assunto.
    pelo que voces disseram, todos estão com bolsos cheios, ou comem sardinha e arrotam caviar.”

    POUPE-NOS do seu sarcasmo e ironia. Como tem gente sem graça, mal-humorada e pentelha nesse Brasil, Deus do céu…vai cuidar da tua vida.

  • enrique

    bom como bons brasileiros, deixaram alguns comentarios idiotas aqui … tipico das pessoas do nosso país a guinness com certeza é uma cerveja que dispensa comentarios, mais vale a pena citar uma cerveja francesa Kronenbourg 1664… excelente sabor pra quem aprecia uma boa cerveja.

    a oktoberfest tb é uma otima pedida se vc nao puder sair do brasil

  • eu adorei a cerveja guinness, só achei estranho quando vi uma bolinha dentro dela, e poderia ser um pouco mais barata…