lifer

Creches salvam vidas

“Abortos acontecem. Estatísticas da Organização Mundial de Saúde mostram que cerca de 42 milhões de abortos acontecem no mundo anualmente. Em 2005, ocorreram mais de 1 milhão de abortos no Brasil. Destes, um quinto (ou metade, dependendo da pesquisa) resultou em internações hospitalares devido às complicações do pós-aborto. Este nefasto quadro do aborto no Brasil resulta em 22% de mulheres de 35 a 39 anos com histórico de aborto. Ou seja: o aborto é algo corriqueiro na vida da mulher brasileira. Com ou sem lei”.

Continue lendo sobre o tema abordado como questão de saúde pública no Brontossauros em Meu Jardim: Legalizar o aborto salva vidas

  • A recusa em se debater a questão do aborto no país parte de um moralismo hipócrita aplicado por instituições religiosas e tradicionais que entendem que os seus princípios devem se aplicar à sociedade como um todo enquanto fecham os olhos para algo que já é realidade. Penso que, se a religião da pessoa condena o aborto, que ela então não pratique, não é necessário que uma lei a proíba de tal, permitindo que pessoas que não compartilham dos mesmos princípios e crenças decidam sobre o que desejam fazer em cada caso.

    • Lendor

      Era isso que deveria ocorrer, principalmente por vivermos em um Estado Laico, mas isto aqui é Brasil. Só sei que no segundo turno meu voto será nulo, uma vez que nenhum dos presidenciáveis apresentam propostas concretas para se governar.

  • markus

    Desculpe meu caro, mas aborto não é uma questão religiosa, é uma questão ética; e um país que se nega, ou não tem competência para discuti-las é e sempre será um paiseco de quinto mundo. É muito fácil para os pró aborto ficarem sempre com esta balela de saúde pública; quero ver é vim para o campo da ética (e sem filosofia e buteco é claro).

    • Ética? Eu acho que deveria deixar a mulher decidir o que fazer com seu corpo e seu bebê enquanto ele ainda está no útero. Como ele não está completamente formado, nem sente dor… Mas o certo mesmo é usar preservativo.

  • lunatic

    Ser contra a legalização do aborto não é, necessariamente, uma postura advinda de um princípio religioso. Eu, por exemplo, sou ateu e sou contra o aborto – me baseando em princípios morais, não cristãos ou quaisquer outros. Vejam: existe alguma diferença relevante entre matar um bebê de alguns meses de idade e matar outro que ainda está no útero da mãe? Para mim, não. Se infanticídio ou qualquer outro tipo de homicídio são coisas tão abomináveis, por que aborto não seria? E a proposta de legalizar esse procedimento para salvar a vida de mulheres, que poderiam ter complicações por realizá-lo em locais inadequados, não me parece justa, porque do outro lado existem potenciais vidas que são despedaçadas por uma “tesoura de cortar frango” e sugadas por um “aspirador de pó” (eu assisti a uma palestra sobre o assunto e, acreditem, os instrumentos utilizados no aborto não são muito diferentes destes que citei).

  • LHDias

    É muito fácil ser contra ou a favor do aborto sem ter alguém próximo que sofreu com isso. É uma questão delicada e que normalmente deixa seqüelas, principalmente psicológicas. Mas, querendo ou não, chegará um dia em que teremos que enfrentar essa questão.

    Particularmente prefiro que sejam utilizados métodos contraceptivos, não sendo nem um pouco a favor por simples opção ao método (em relação Aborto X pílula/camisinha). Mas entendo que a situação, principalmente da mulher, é muito complicada quando se tem um filho sem planejamento. Não vejo uma saída simples dessa questão, porém vejo que a educação básica ajudaria muito.

    E temos que lembrar também um fato: quem tem dinheiro pra pagar, vai fazer melhor e com mais segurança. Quem não tiver vai “enfiar uma agulha de trico” e vai fazer do mesmo jeito (com um risco muito maior de morrer junto com o feto).

    Pra encerrar, acho que cada caso é um caso e que não há uma fórmula mágica pra agradar todo mundo. A discussão vai ser longa e não haverá ganhadores. Mas o debate é necessário.

    []´s

    P.S.: Sou totalmente a favor nos casos previstos pela lei brasileira…

  • João

    Uma vida sempre será uma vida.

    • dato

      a vida da sua irmã é uma vida!

  • Carlos

    Que pura contradição, aborto salvar vidas! Desde de quando matar seres indefesos
    virou questão de salvar vidas?

  • paulo

    um assassinato é um assassinato, independentemente de religião.

    eu por exemplo não tenho uma.

  • runnerba

    Caralho, a vida que vc carrega no ventre NÃO É SUA, porra. Visto que matar seres humanos é assassinato….. Dê os indesejados para adoção ou NÃO FAÇA SEXO.

  • Jr

    Isso sem contar que as mulheres que praticam aborto tem tendencia ao suicidio, depressão, problemas cardiovasculares e fora a grande culpa de ter matado um filho seu…

    Liberar o aborto significa multiplicar por 10 esse numero de mulheres … A sociedade é imediatista, pensa no problema atual e não pensa nas consequencias futuras …

  • Thomas

    Concordo com o Samuel. Se a religião da pessoa condena o aborto, então não faça. Simples assim. Proibir o aborto é desrespeitar a escolha religiosa e social de cada um e impor uma lei apenas para ter apoio político de grupos religiosos.

  • silvio medeiros

    Mulheres morrem ao fazerem aborto? Algumas sim, outras não. Apesar do número grande de abortos feitos no Brasil, são próximo de 500 as mulheres que efetivamente morrem ao ano por fazer tal decisão (segundo número do DataSus, números oficiais do Ministério da Saúde).
    Nascituros (seres humanos ainda não nascidos) morrem quando suas mães fazem aborto? Sim, absolutamente todos eles. Não há sobreviventes. Se são feitos 1 milhão de abortos por ano no Brasil, estamos falando de 1 milhão de nascituros mortos. Metade deles, mulheres, diga-se de passagem.
    Quero lhe fazer uma pergunta muito simples: por que para uma etapa da vida humana (adulta), a morte consequente de complicações de decisões livres são vistas como questão de saúde pública e para outra etapa da da vida humana (fetal), a morte causada por decisões de terceiros independente de suas vontades silenciadas são vistas como questão subjetiva e meramente opitativa?

    Mas do que estamos tratando totalmente afinal? Da morte de mães apenas? Do direito ao próprio corpo apenas? Não. Estamos tratando de dois corpos e duas vidas, da vida não-nascida também; porque não se fala em absoluto dessa vida?

    E se falamos de eliminação da vida não-nascida da espécie humana, envolvemos tudo aquilo que compõem o ser humano. Ao excluirem voluntariamente o que a ciência médica tem a dizer, o direito, a psicologia, a sociologia, a filosofia, a moral, a religião, e todos os demais campos que tangem a realidade humana por números “sanitaristas”, reduz-se o ser humano por nascer, este a quem chamamos tú, a dignidade de um vírus ou de uma bactéria. De um inimigo a ser combatido.

    A coisa toda é tão absurda e irrefletida, que se o bebê não nascido pode ser eliminado com o patrocínio do Estado por colocar em risco a vida de suas mães que decidiram por não serem mais mães (apesar de terem praticado livremente um ato sexual que pode gerar uma vida humana), por ser mera questão de saúde pública, então por que o Estado também não garante a eliminação dos motoristas que cometem acidentes (os motoristas que dirigem embriagados matam milhares de pessoas todos os anos)? Dos pais que deixam fios desencapados em casa (eles são a causa da morte de milhares de crianças todos os anos) ? Dos infecto-contagiosos (eles contaminam milhares de outras pessoas todos os anos, muitas das quais acabam morrendo) ? Todos esses ameaçam a saúde pública, colocam risco a saúde alheia.

    Um verdadeiro debate, como o do aborto, que coloca em xeque a vida nascente, ou tem como ponto de partida o ser humano, com tudo que é e possui, ou se destrói em suas próprias bases. Acaba no totalitarismo, no slogan, na ideologia. Esquivar-se da reflexão total daquilo que se pleiteia, impor o silêncio, reduzir a realidade à aspectos convenientes (“é apenas uma questão de saúde pública”) não é próprio da razão, mas sim da fraude, da insegurança que inflama o discurso e aumenta o tom, que instrumentaliza a verdade e seduz com ares de preocupação social.

    Já passou da hora de crescer no debate.

  • Paulista

    Ok oa borto já é praticado e já existe lei sobre.
    Várias pessoas se contamibam com agulhas não
    esterelizadad ao se drogarem, ou morrem de overdose,
    ou becessitam de internação, em consequencia
    do uso de drogas ilicitss, seria o caso de liberar todas as drogas?
    Lei do Aborto precisa ser discutida com muito cuidado.
    Certa vez uma moça, que já tinha uma menina de sete anos,
    teve uma gravidez indesejada, procurou um médico para pedir que realizasse um aborto, pois não tinha condições economicas para criar o bebe, este ebtão perguntou, por que não matas a de sete anos, qurme está dando mais despesas,
    a mãe se assustou, chorou e desistiu do aborto, hoje tem duas lindas meninas.

  • Acho que já está na hora do Brasil começar a encarar o aborto de forma mais madura. Assim como a pena de morte.

  • Eduard

    Recordo da vez que um conhecido me contou que havia engravidado uma mulher; Pagou R$50,00 num Citotec, que devia ser falsificado, pois não funcionou; Resultado, a levou a uma “benzedeira” numa vila, que fez o serviço com agulhas de tricô, em cima da mesa de sinuca de um boteco, por R$ 30,00.

  • Gil

    Voto pela democracia. Se a maioria não quer uma coisa, então que seja. Se a maioria, MAIORIA é “religiosa” e quer estes seus preceitos aplicados nas leis, então que seja. Não adianta dizer que o estado é laico, sendo que a grande massa quer ver suas crenças e princípios andando junto com as leis. A maioria, apesar de satirizada por uma minoria Ateu, acredita em um Deus, indiferente de religião, e concorda com os mesmos temas em debate. Portanto, não adianta chorar, quem esta no senado, sempre irá a favor da maioria, pelo menos quando o assunto é esses temas, por que, quando é impostos, fraude, roubo etc. etc. etc … é a favor de seus bolsos que eles andam. Quando leis como essas são discutidas todos se manifestam em peso! Quando ha fraude e corrupção ninguém se manifesta. Roubo e homicídio tem o mesmo peso nas “leis de Deus”, pq não é visto da mesma maneira?!

    • paulo

      democracia não é ditadura da maioria meu caro…

      • Odinson

        Muito menos de uma minoria com um interesse não bem explicado.

    • aldair

      lá no Irã é assim, a maioria religiosa vê os seus dogmas andando junto com as leis e com o estado, e olha que bonito que é lá, uma democracia divina. Religioso é um tipo que hoje só existe para justificar a sua necessidade, por que na boa, a tempos que a igreja não serve pra mais nada, e quanto aos evangélicos eu tenho nojo deles, se achando agora a cereja do bolo, achando que o voto deles é que é o importante, é só fazer uma analise fria, no brasil, de acordo com o censo 2009, eram 17.9% de babacas evangelicos e 18% de homossexuais, sacou, tem mais homossexual do que evangelico, onde está seu Deus agora?

      • diego

        A maioria homosexual não elimina a existência de Deus para os evangelicos.
        O debate é sério, pare de falar besteira.

  • thiago

    Quem está fazendo muita pressão para a legalização é a ONU, para toda America latina!

  • silvio medeiros

    Caros, é tão comum ouvir assuntos de bioética se relacionando com religião que chegamos inevitávelmente a concluir que a decisão de ser favorável ou não ao aborto depende unicamente do credo que se professa. Nada mais falso.

    Não se trata de obediência a uma doutrina, a uma norma eclesiástica, nem tampouco a total inobservância de tais diretrizes o que faz uma pessoa se posicionar adequadamente aqui. Trata-se de uma questão anterior a própria religiosidade, que parte da própria condição de sermos e existirmos como ser humano, esse animal racional que pensa, decide e age livremente.

    E quais seriam então as principais razões contra o aborto? Vejamos algumas:

    1) Desde 1839 a ciência reconhece que a vida humana se inicia na concepção. Não existem tratados de embriologia que neguem esse fato.
    2) Este embrião que está vivo, cresce com autonômia, tem sexo definido, é completo e se desenvolverá até a sua morte a partir de tudo o que já possui agora.
    3) Como todo ser humano o nascituro só precisa de três condições para seguir sua vida: oxigênio, nutrição e tempo. Retire algo e ele (e nós) morreremos.
    4) A vida intra-uterina é apenas uma das etapas do desenvolvimento de um ser humano, assim como a infância, a adolescência, a idade adulta e idosa. Eliminar qualquer etapa significa encerrar as demais fases futuras de uma mesmíssima vida.
    5) Se o feto não é algo, mas gente, pessoa humana, possui uma vida que o pertence e a mais ninguém, não pode ser disposto arbitrariamente portanto.
    6) Ainda que o nascituro esteja temporariamente dentro do corpo de sua mãe, ele não é parte deste corpo. Numa gestação temos duas vidas e dois corpos.
    7) 50% dos bebês abortados são mulheres, o que demonstra que o aborto não é instrumento de defesa feminino.
    8) Se existe direito ao aborto temos real direito a matar qualquer um, a diferença será apenas a idade da vítima.
    9) Todo aquele que existe, incluindo os próprios defensores do aborto, vive porque teve acesso primeiramente a um direito à própria vida já estabelecido.
    10) Se cada ser humano advém de uma fase fetal, só podem existir direitos humanos se garantido primeiro o direito a própria vida. Nenhum direito pode existir para o homem se o homem não tem garantia nem de vir a nascer.

    Lembra-nos ainda Jerôme Lejeune, fundador da citogenética clínica: “A Genética Humana se resume a uma afirmação elementar: No início há uma mensagem, essa mensagem está contida na vida, essa mensagem é a vida, e se essa mensagem é uma mensagem humana, logo essa vida é uma vida humana”. A única diferença no reconhecimento deste fato, perante cristãos e as demais pessoas, será no maior comprometimento moral dos cristãos na defesa desta vida nascente em decorrência da justa obediência ao 5º mandamento, “não matarás”.

    Portanto, se temos em mente que o nascituro é gente (como nós), goza de dignidade intrínseca pelo fato de ser da raça humana (como nós), possui uma vida que só pertence a ele mesmo (como nós), como pode ser possível compactuar com atos que exterminem-o sem colocar em xeque nossa própria existência?

    Em prática: aborto em caso de gravidez não planejada? Se este feto é gente, tem direito de viver, como seus pais. Aborto em caso de família pobre? Se este feto é gente, tem direito de viver, como todo pobre. Aborto em caso de estupro? Se este feto é gente, tem direito de viver, como a mãe que também é inocente. Aborto em caso de má-formação? Se este feto é gente, tem direito de viver, como toda pessoa doente. Legalizar o aborto porque muitos já o cometem? Se este feto é gente, temos que legalizar o homicídio porque muitos também o cometem. Não há brechas. Ou todos são iguais e possuem o direito de viver, ou ninguém o tem.

    Pense a respeito.

    • jose carlos

      Feto não é gente. Feto tem potencial para se tornar gente, mas não é gente.

      1) Desde 1839 a ciência reconhece que a vida humana se inicia na concepção. Não existem tratados de embriologia que neguem esse fato.

      Mentira. Nem acredito em ignorância, aqui você agiu de má-fé mesmo. A questão do momento do início da vida humana é uma das mais debatidas, seja dentre biólogos, juristas ou filósofos.

      2) Este embrião que está vivo, cresce com autonômia, tem sexo definido, é completo e se desenvolverá até a sua morte a partir de tudo o que já possui agora.

      Que autonomia? O feto não se desenvolve se não for no interior do útero. Depende, portanto, da mãe. Uma criança nascida pode ser criada por outras pessoas que não a parturiente. É impossível, no entanto, retirar um embrião de 3 meses do útero de uma mulher e ele sobreviver.

      3) Como todo ser humano o nascituro só precisa de três condições para seguir sua vida: oxigênio, nutrição e tempo. Retire algo e ele (e nós) morreremos.

      Favor ler o item supra. No momento, eu não preciso estar no útero de ninguém pra sobreviver.

      4) A vida intra-uterina é apenas uma das etapas do desenvolvimento de um ser humano, assim como a infância, a adolescência, a idade adulta e idosa. Eliminar qualquer etapa significa encerrar as demais fases futuras de uma mesmíssima vida.

      Você lembra de episódios da sua infância? E da sua adolescência? E de quando você era um amontoado disforme de células no útero da sua mãe?

      5) Se o feto não é algo, mas gente, pessoa humana, possui uma vida que o pertence e a mais ninguém, não pode ser disposto arbitrariamente portanto.

      “Feto é gente”: Essa é só a sua opinião.

      6) Ainda que o nascituro esteja temporariamente dentro do corpo de sua mãe, ele não é parte deste corpo. Numa gestação temos duas vidas e dois corpos.

      Basicamente o mesmo argumento anterior…

      7) 50% dos bebês abortados são mulheres, o que demonstra que o aborto não é instrumento de defesa feminino.

      Também parte da premissa que embrião é gente.

      8 – Se existe direito ao aborto temos real direito a matar qualquer um, a diferença será apenas a idade da vítima.

      Desde que a pessoa não tenha um cérebro desenvolvido ou tenha sofrido morte cerebral, ela não está inserida no que eu considero “vida humana”. Fetos anencéfalos, embriões que ainda não tenham desenvolvido um cérebro (nas primeiras semanas de gestação) e pessoas que já tiveram morte cerebral ainda não são/deixaram de ser humanas.

      9) Todo aquele que existe, incluindo os próprios defensores do aborto, vive porque teve acesso primeiramente a um direito à própria vida já estabelecido.

      Essa é uma assertiva estúpida, que presume que, se for permitido, TODAS as grávidas vão abortar. Não existo porque o Estado me “garantiu o direito à vida enquanto nascituro”, existo porque meus pais decidiram que detinham estabilidade financeira, preparo psicológico e vontade de criar um filho, dando continuidade à gravidez. Ser pai é uma responsabilidade gigantesca, não é qualquer um que está preparado para isso.

      10) Se cada ser humano advém de uma fase fetal, só podem existir direitos humanos se garantido primeiro o direito a própria vida. Nenhum direito pode existir para o homem se o homem não tem garantia nem de vir a nascer.

      Pela sua argumentação. creio que você também deve condenar a fertilização “in vitro”, onde óvulos fertilizados são descartados (somente alguns são implantados no útero). As clínicas de reprodução assistida, na sua mente, devem ser como “abatedouros humanos”. Potencial para gerar vida humana não pode ser o suficiente para se considerar algo como vida humana.

      E, sinceramente, a todos que disseram “se não quer ter filhos, não faça sexo”, vocês só podem estar de sacanagem, não é?

    • Samuel Vaz

      Sinceramente, silvio medeiros… eu esperava aqui um debate sério e inteligente sobre o tema, mas seus argumentos são ridículos e não se sustentam… Não sei se você não tem conhecimento suficiente sobre o assunto ou pensa que os que te lêem aqui são completos ignorantes.

      Não há consenso sobre o início da vida e, cientificamente falando, tende-se cada vez mais a adotar a teoria natalista, na qual a vida só começaria realmente com o nascimento. O próprio direito brasileiro, que ainda é atrasado no assunto, não considera aquele que ainda não nasceu como pessoa física, mas sim como nascituro. Ao discorrer sobre as etapas da vida humana você coloca a vida intra-uterina como uma delas…. Essas etapas só existem em uma vida consciente e racional, inexistente a menos que eu efetivamente nasça. Todas as outras questões que você levantou partem de meras hipóteses a respeito do início da vida e de suas opiniões pessoais sobre o assunto que você, de forma extremamente simplista, buscou caracterizar como fato indiscutível !!!

  • Paulo Victor

    A lei existente no Brasil sobre o aborto é ideal. Permitido nos casos de estupro, ou perigo de vida para a mãe.

    Agora é muito fácil fazer sexo, gozar e depois que engravidar, tirar uma vida. Existe milhões de formas de prevenção, como a pilula do dia seguinte.

    Agora por uma falta de responsábilidade e vergonha na cara querem o aborto.

    Absurdo, apesar de ser um feto, é uma vida.

  • Jik

    Na boa, TEM FILAS ENORMES P/ A ADOÇÃO DE BEBÊS NO BRASIL!!!!

    SE NÃO QUER A CRIANÇA, DOE!!!

    ABORTO É UMA FORMA COVARDE DE ASSASSINATO!!!

    Deveríamos ter campanhas incentivando a doação de crianças, dentre outras medidas, MAS JAMAIS INCENTIVAR O ABORTO!

  • Lucas

    Aborto é coisa de gente irresponssável e covarde, psicopata

    Existem vários meios de impedir a gravides, se não teve responssabilidade de se previnir, tem que arcar com as consequências !!!

    Aborto nunca !!!!

    Se for liberar aborto libera logo o assassinato tambem…isso voce não quer neh meu amigo, porque ai ja prejudica seu lado, pimenta no rabo dos outros é refresco !!!!

    • jose carlos

      Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Existe uma corrente dentre biólogos que considera que o espermatozóide e o óvulo, mesmo considerados isoladamente, devem ser considerados “vida humana”. Nesse caso, punheta seria genocídio. Poucas pessoas favoráveis ao aborto defendem que um feto em fase avançada de desenvolvimento pode ser abortado. O grande debate é esse: saber quando a vida humana começa. Tem gente que acha que só depois do parto. Tem gente, como você (aparentemente), que acha que é na fecundação. Tem gente que acha que é antes mesmo de ocorrer a fecundação. Tem gente, como eu, que acha que é quando se forma o cérebro. Tudo isso passa por vários questionamentos filosóficos e biológicos. Será que um zigoto é vida humana? Ele não pode existir fora do útero, de forma independente… Não tem sistema nervoso, não tem cérebro…

      Óbvio, existem argumentos em sentido contrário. Cabe a cada um ESTUDAR O ASSUNTO e tirar sua própria conclusão. O que eu vejo, porém, é um monte de gente que parece imaginar que, logo após a fecundação, surge uma pessoa em miniatura e não uma única célula que vai começar a se reproduzir gerando um amontoado de células e, TEMPOS DEPOIS, começará a desenvolver estruturas típicas de um ser humano.

  • Mano Bob

    Essa rapaziada que numa hora quer que libere a maconha,outra hora quer que libere o aborto….Tá tudo errado isso aí.Por eles o Brasil ia virar um país sem lei

    Mano,a camisinha e outros anti concepcionais tão aí.SE NÃO QUER TER FILHO NÃO O FAÇA.E SE O FEZ,ASSUMA.

    Pronto vey

  • Eduard

    Proibidos ou não, continuarão acontecendo…

  • Renata

    Legalizar o aborto MATA vidas.

  • Guilherme

    Porque essas mulheres que são a favor do aborto não tiram o útero de uma vez? Ou se quiser podem ligar as trompas. Dai não tem mais perigo de engravidar.

    Quem sabe a gente podia fazer algumas campanhas de esterilização cirurgica, com diversos mutirões pelo país.

    É muito simples prevenir uma gravidez, existem métodos anticoncepcionais eficientes como pilula e preservativos. Cade as aulas de educação sexual numa hora dessas?

    • jose carlos

      Porque elas não querem ter filhos AGORA. Uma menina de 16 anos pode não querer ter um filho com 16 anos, mas querer ter com 30, quando estiver mais madura e estável finaceiramente. Não querer ter um filho agora, ou não poder, ou não se sentir preparado não quer dizer que a pessoa não pretenda ter um filho um dia.

    • jose carlos

      E outra, foi bom vc ter falado em aulas de educação sexual. Se você, por exemplo, tivesse comparecido a algumas, saberia que nenhum método anticoncepcional é 100% seguro (exceto abstinência, que só é aplicável na cabeça de alguns religiosos mais radicais…)

      • Carlos

        Mentira!

        Onde você tirou que meios anticoncepcionais são seguros?

        Pura falácia!

  • Leonardo

    Se legalizarem o aborto, vão fazer sexo até cansar e tomar a possibilidade do aborto como apanágio…

    “E daí?”.

    E daí que a medida que era pra ser tomada pra evitar riscos à vida da mulher vai se tornar via de escape pra irresponsabilidades que afetam diretamente a vida de outro indivíduo, o que deveria nascer.

    • jose carlos

      O argumento é absolutamente falacioso. Basta ver o que acontece nos países onde o aborto é legalizado, não é assim que as coisas funcionam.

  • rubens

    se vc matar um mico leão vc e preso. agora matar um bebe é questao de saude publica? vai se lascar.

    • jose carlos

      Se você matar um bebê é infanticídio ou homicídio, dependendo do caso. Se você tirar algumas células que poderiam, quem sabe, transformar-se em um bebê do útero de uma mulher, pra mim é questão de saúde pública.

    • Samuel Vaz

      Agora, feto já virou bebê…. santa ignorância.

    • É, é sim. Micos leõs estão em extinção, pra sua informação, e se você matar um, ainda mais sem fins justificáveis (como alimentação), pra mim já é no campo de ética.

  • Don Vicenzo

    Aborto do jeito que colocam para mim é nada mais que uma falta de responsabilidade se engravidou assume, esses problemas só ocorrem quando querem fugir mas para fazer todo mundo faz na hora de aceita a bucha resolver matar.

    Ah e por lei se a gravidez for de risco ou se for devido a estupro é possível acontecer aborto e isso é legal, o que não pode acontecer é a banalização do aborto para qualquer caso… além de mais caro tira a responsabilidade das pessoas em relação ao sexo.

  • Alex

    Legalizar o aborto por que ele acontece com ou sem lei é ridículo. Heroína e suicídio também acontecem com ou sem lei, então, que tal legalizá-los também? Aí todo mundo tem o direito de se matar, transar sem camisinha e abortar, e tudo vira uma maravilha.

    Esse argumento não pode servir de base pra discutir uma eventual legalização do aborto. Não serve como base pra nada.

    • jose carlos

      Suicídio não é proibido… todo mundo tem o direito de se matar…

    • Samuel Vaz

      Que ridículo… suicídio nunca foi crime em lugar algum do mundo e nunca será. E a questão da droga não se aplica aqui como elemento de comparação; se você leu o texto realmente, sabe que o fato do aborto ocorrer independentemente de vedação legal é apenas um dos diversos fatores que advogam a favor da descriminalização da prática.

  • Samuel Vaz

    Acho interessante que a grande maioria dos que opinaram aqui contra a legalização do aborto o fizeram de forma bem “troll”, sem admitir uma discussão saudável e inteligente sobre o tema; se resumem em argumentos fracos, quando existem, e partem para a agressividade nas palavras para defender seus posicionamentos, como se não houvesse espaço para discutir essa realidade.

    Preferem fechar os olhos para o que anda acontecendo no país e continuar com opiniões clássicas e conservadoras, muitas vezes não compatíveis com o momento em que vivemos. Se não concordam com o aborto, por favor, apresentem outras opções viáveis para resolver a situação… O que não dá é termos essa quantidade de aborto acontecendo no país, em condições precárias, causando muitas vezes a morte ou lesões graves às mulheres quando nem ao menos discutimos a causa da maioria desses abortos, que é social e financeira… É uma questão de saúde pública e deve-se levar em consideração a esfera de liberdades individuais que cada indivíduo tem antes de manifestar sua opinião, qualquer que seja.

    • você trolla e você é trollado bro!

      se matar um ser humano para não prejudicar outro é algo justificado pelo seu ponto de vista, vai fundo nazi e seja feliz!

      • Samuel Vaz

        KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • José Daspi

      Samuel, você deu voadora em meio mundo aqui nos comentários, e vem falar de trollagem??

      Que bom que você se enxerga bem…

    • Jurandir

      é simples resolver isso… só me respondam o pq as pessoas vão fazer o aborto, se tem responsabilidade para fazer sexo então pq não assumir o resultado é tudo uma questão de RESPONSABILIDADE só isso …. então se assumir o fato que terá que assumir um filho não teríamos as clinicas de aborto né… mas Brasil é assim é culpa do estado, é culpa do chefe de qualquer outro menos de quem realmente faz a cagada né…

  • SnesAgeNerd

    O SUS funciona que é uma beleza, DST é coisa que não existe no Brasil e meus impostos não poderiam ser melhor aplicados.

    Bandido não pode leva tiro, passa fome nem dormi sem colchão (que ele queimou na rebelião), mas um feto inocente não tem direito à VIDA.

    O Brasil é sustentado por um fio muito fágil do que lhe resta de moral e ética, já abandonei as esperanças faz muito tempo, mas espero que, enquanto não termino minha formação por aqui, a casa não caia de vez.

  • Phanta

    É impressão minha ou ninguem que comentou aqui leu o texto lá no brontossauros?

  • diego

    Interessante que no Brasil se você quebrar um ovo de tartaruga vai preso! por acaso um ovo já é uma tartaruga completa? Não! mesmo assim, é crime matá-las.
    E você meu caro Samuel Vaz, tem coragem de defender o crime contra seres humanos em desenvolvimento. Tartarugas tem mais valor que a vida humana?

    • Samuel Vaz

      Pra quem interessar, tá aqui um exemplo perfeito da falácia da Conclusão sofismática ou, mais especificamente, de uma falácia tipo A baseado em B… Em outras palavras, utiliza-se argumentos que seriam válidos em outra discussão, mas não tem relação alguma com o que se deseja provar… Bem, não sou especialista, mas se não for esse tipo de falácia, é outro…

    • jose carlos

      Mas tá difícil… Olha o exemplo do cidadão… Vamos então às diferenças básicas:

      a) Não, o ovo não é uma tartaruga ainda. Mas tem capacidade de se tornar uma por si só;

      b) Se uma pessoa deixa de quebrar um ovo de tartaruga, de que maneira sua vida é afetada?

      b.1) Ela terá que esperar o ovo se tornar uma tartaruga dentro do seu ventre por 9 meses, enquanto está afastada do trabalho (e possivelmente comprometendo a sua carreira)?
      b.2) Ela terá que equacionar suas finanças para proporcionar uma vida digna à tartaruga?
      b.3)Ela terá que estar psicologicamente preparada para ensinar valores àquela tartaruga, para que, no futuro, ela não seja um fardo para a sociedade das tartarugas?
      b.4) Ela terá que se preocupar com o boletim da tartaruga, ou que a tartaruga passe para uma boa faculdade de tartaruga para que a tartaruga não passe fome no futuro?

      Não há justificativa para se quebrar um ovo de tartaruga, pois você não tem qualquer responsabilidade sobre o futuro da tartaruga e a continuidade do desenvolvimento daquele projeto de tartaruga não afeta em NADA sua vida e a sua inércia também não afetará em NADA a possível vida da tartaruga.

      São coisas tão diferentes. Não é questão de valorar a vida da tartaruga contra a vida humana, até porque, no caso, não temos nem uma tartaruga, nem um humano.

  • Jr

    Samuel … vai ser bacana se a lei for aprovada, né ? Afinal vou poder fuder adoidado e se uma das minhas namoradas ficar gravida vou pagar pra tirar … Vai ser bacana né? Foda-se as crianças , eu quero é transar com as minhas 5 namoradas e num quero responsabilidade com filhos….. (é assim que muitos homens sacanas vão pensar, alias muitas mulheres só fazem aborto por pressão dos namorados vagabundos q elas tem… )

  • Marina

    Aborto irá virar festa no Brasil. Na China, é possível em alguns lugares ver fetos no chão, pelo absurdo que está aquilo. Imagina aqui no Brasil. Sou ateu e contra aborto. Imagina seu pai querendo ir para um hospital público enquanto tem um derrame ou algo do gênero e um médico não poder atendê-lo pois tem uma vadia que deu adoidado sem pensar nas consequências, pois depois será fácil tirá-lo.Concorda que a maca devería ser a do seu pai?
    Provavelmente haverá uma maior incidência de DST’s também. Com o governo ‘dando’ remédio para aids e controlando, o que é um bebê que poderei tirar depois?

  • Mayara

    O problema da legalização do aborto, não está no fato dessa pratica aumentar ou diminuir, o problema é que estaremos legalizando um assassinato, nós não estamos falando de planejamento familiar, até porque se fosse planejado essas mulheres não estariam grávidas, planejamento é usar camisinha, pílula e vários outros meios contraceptivos, não é só uma questão religiosa é umas questão humana.
    Se matar alguém que pode se defender é crime, como o aborto pode não ser?
    Se acham que não é crime, procure algum vídeo que mostre como é feito um aborto, com certamente se sentirá no mínimo impotente com tudo que verá.
    Legalizar o aborto não salva vidas, NÃO ABORTAR SALVA VIDAS.

  • Jean

    Aqui funciona assim:

    70 % do brasileiros são contra o aborto.

    Mas 01 em cada 05 brasileiras já abortou.

    Então, temos a questão:

    Nós fazemos, ajudamos ou acobertamos o aborto. Mulheres pobres morrem ou ficam doentes por fazerm o aborto na tia da esquina. As mulheres com poder aquisitivo dão um jeito de fazer com segurança.

    Portanto:

    1) como o problema afeta mortalmente de fato só mulher pobre;

    2) Como o aborto é um daqueles temas que nos constrangem em pensar a respeito como racismo, sexo com qualidade ( o divorcio foi por muito tempo um desses)…

    3) Como brasileiros iletrados, gostamos de um draminha barato no lugar de usar a racionalidade: “Aí, meu Deus! Mas é uma vida inocente!”

    4) Como somos escravos da religião ainda.

    Vamos deixar como está e continuar patinando na nossa indignação de folhetim.

  • Carolina

    O Brasil deveria fazer igual os EUA em que o aborto é permitido até os 3 meses, quando o feto ainda nao tem os nervos formados e não sente dor nem nada.
    Muito melhor que uma criança morra e tenha outra chance de vir em uma família que quer ela, do que ela venha pra ca e fique abandonada nas ruas ou num orfanato. Ou pior, que seja jogada no lixo, num rio ou algo assim.

  • Rodriguez

    Independente de crença o aborto é um assassinato e o pior, é a morte de uma vida indefesa. O que ela fez pra morrer? Vir ao mundo? Isso n é motivo. É a mesma coisa que dar um tiro em algm pelo simples fato dele existir. É crime e n devia sre legalizado. Caso seja, vamos aproveitar e legalizar homicidios em geral, que mal tem?

  • PeX

    Gente, se eu uso métodos contraceptivos e ainda assim o método falha e minha mulher engravida, não tendo condições de ter um filho neste momento o que farei? Falar que foi azar e prejudicar minha vida e da minha mulher e possivelmente do filho que veio antes do planejado?

    Melhor não, eu abortaria, mas, por questões espirituaís só o faria até os 3 meses.

    Por favor, não questionem minha crença, não sou proselitista ok? ^^