Rei Arthur, Excalibur e Sabres de Luz

Olá crianças,

A história do Rei Arthur e da Távola Redonda é uma das mais fascinantes e misteriosas de todas as grandes histórias da humanidade. Fruto de quase mil anos de alegorias, fatos históricos, fatos ocultistas, lendas e curiosidades amalgamadas em um conto fantástico que até os dias de hoje gera curiosidade e respeito.
Nos próximos posts, vamos conhecer a fundo as origens de cada elemento presente nas histórias do Rei de Camelot. Antes de continuar, porém, recomendo a leitura do post sobre Zeus e Hera, para que o leitor possa entender como funciona o chamado “empilhamento de histórias”.

A versão mais conhecida da história do Rei Arthur é uma mistura de diversas outras alegorias e está muito embasada na alquimia medieval e no simbolismo templário; para que possamos entender a fundo como cada um destes elementos se combinou na história completa, vamos primeiro separar peça por peça deste enorme quebra-cabeças, que às vezes pode ser tão complicado quanto as colunas do Ricardo Kossatz.


Primeira peça do quebra cabeças
A Espada Mágica de Gilgamesh

Ó! Divino Gilgamesh, que todo o viu
Eu te farei conhecer em todas as terras.
Eu ensinarei sobre (aquele) que experimentou todas as coisas.
Anu deu-lhe a totalidade do conhecimento do Todo.
Ele viu o Segredo, penetrou o Mistério.
Ele revelou o que houve antes do Dilúvio.
Ele fez grandes viagens, até o limite de suas forças
e quando voltou em paz…
Ele gravou numa estela de pedra a narração de suas proezas
e construiu as muralhas de Uruk, nosso lar,
e as paredes do Templo de Eanna, o sagrado santuário.

Gilgamesh é o primeiro guerreiro cujas aventuras foram eternizadas nos contos babilônicos. Um dia falarei especificamente sobre Gilgamesh, mas hoje vou focar em dois aspectos muito importantes de sua história: sua espada mágica e a sua descida ao inferno (para quem tiver curiosidade, fiz um post específico sobre Gilgamesh no meu Blog).

A Espada de Gilgamesh era capaz de cortar através de qualquer objeto, até mesmo do Cedro Sagrado, que era uma árvore mágica do conhecimento, guardada por Humbaba, o terrível, e cuja madeira seria usada para fazer as portas do grande templo de Enlil.
A espada de Gilgamesh possuía sete gemas e enquanto todas as jóias estivessem em seu lugar, a espada seria indestrutível e capaz até mesmo de matar demônios e deuses.
Mais tarde, temos na lenda de Ishtar também uma descida aos infernos, nas quais ela derrota 49 demônios guardiões dos 7 portais e a cada portal vai perdendo uma peça de roupa, até chegar nua ao centro do Inferno. Com isso, Ishtar se torna a senhora do paraíso, responsável pelas chaves dos portais, que somente eram abertos para aqueles que eram instruídos nos Mistérios.
As 7 gemas, as 7 peças de roupa, os 7 pecados capitais, os 7 níveis de castigo do Inferno de Dante estão todos ligados a conceitos alquímicos de purificação e renascimento. Uma imagem simbólica da espada de Gilgamesh pode ser vista na imagem ao lado, representando a Árvore da Vida e as sete gemas (na mitologia oriental são chamadas de esferas do Dragão… sim, as mesmas do Dragon Ball). Então temos como primeira parte do enigma uma espada mágica brilhante formada por 7 gemas e capaz de cortar qualquer coisa.


Segunda peça do quebra-cabeças
A Espada flamejante bíblica.

E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.
Genesis 3, 24

A Genesis, como alegoria da Kabbalah, traça a queda do ser humano do Paraíso para a Terra, representada pelo Mundo Material e a queda do Reino Espiritual. O Caminho 17, Zain (espada), que no tarot representa o Arcano dos Enamorados, faz a ligação entre Binah e Tiferet, a Grande Mãe e entrada do Paraíso e o Cristo dentro de todos nós.
Esta espada também representa o Caminho do Trovão (nas mitologias grega e nórdica) que é a descida simbólica pela Árvore da Vida. Na maçonaria, a espada permanece sempre sobre a mesa do Venerável Mestre e no Oriente, que simboliza o além do Abismo, ou o Paraíso Perdido.
A Espada Flamejante é empunhada por um querubim e serve para impedir que os impuros consigam retornar ao Plano Divino, a menos que tenham dominado todo o conhecimento necessário. Posteriormente, tanto o querubim quanto as chaves de Ishtar foram adaptadas nas chaves de São Pedro, que adquire as características de “porteiro do Céu”, responsável por verificar quem tem o “nome na lista” (ou, em outras palavras, não tenha pecados / derrotado seus demônios). Aquele que não possui a espada (chaves), não pode entrar no Reino dos Céus.

Terceira peça
Keter e a Coroa.

De acordo com a Kabbalah, a Sefira de Keter é a primeira, e está ligada ao Mundo de Adam Kadmon – Homem Primordial. Keter faz parte do triângulo superior ou supremo (junto a Hochma e Binah), que está além da nossa realidade física. Keter se situa no topo da coluna central (Pilar do Equilíbrio). A coroa normalmente está na cabeça do rei, mas não pertence ao corpo do rei, pertence ao reino (note que Malkuth quer dizer Reino).
Assim sendo, para cada ação existe um pensamento que a precede. Keter é a semente das manifestações que vão acontecer no mundo físico. É o potencial da manifestação. Imagine como uma semente de uma árvore que já contém toda a árvore dentro de si e que desaparece quando a árvore brota. Keter é a inteligência ardente que canaliza a Força da Luz da Criação para as demais Sefiroth. Funciona como um super computador que contém o inventário total do que cada um de nós é, alguma vez foi ou será. Como tal, não só é a gênese de nossas vidas neste reino da Terra, mas de todo pensamento, idéia ou inspiração que teremos enquanto estivermos em nossa jornada.

Quarta peça
A Árvore da Vida e a representação simbólica de cada elemento.
Não vou explicar passo a passo porque senão este post não acaba nunca, e eu já falei sobre isso em colunas anteriores, mas acompanhe a imagem ao lado para a representação de cada um dos quatro elementos dentro da Árvore da Vida. Atente para o fato de que Malkuth (o Reino, o Plano Material, o Mundo do Creu) representa o elemento TERRA, ou pedra, da onde se origina a simbologia do homem ser feito de barro, mas ao mesmo tempo à imagem e semelhança de Deus (Keter), ou 1=10.

Quinta peça
A Espada que decepou São João Batista

São João Batista é, depois de Jesus e Maria Madalena, a personalidade mais importante para os gnósticos, cátaros e templários (mas não confundir com São João padroeiro da Maçonaria, que é outro São João).
João Baptista foi um pregador judeu, do início do século I, citado por inúmeros historiadores, entre os quais estão Flávio Josefo e os autores dos quatro Evangelhos da Bíblia. Segundo a narração do Evangelho de São Lucas, João Batista era filho do sacerdote Zacarias e Isabel (ou Elizabete), prima de Maria, mãe de Jesus. Foi profeta e considerado pelos cristãos como o precursor do prometido Messias, Yeshua, além de ser considerado um dos grandes profetas do Islã.
Foi iniciado com Jesus nas pirâmides do Cairo e, de volta a Jerusalém, batizou muitos judeus, incluindo o próprio Jesus, no rio Jordão, e introduziu o batismo de gentios nos rituais de conversão judaicos, que mais tarde foram adotados pelo cristianismo.

O aprisionamento de João ocorreu na Pereia, a mando do Rei Herodes Antipas I no 6º mês do ano 26 d.C.. Ele foi levado para a fortaleza de Macaeros (Maqueronte), onde foi mantido por dez meses até ao dia de sua morte. O motivo desse aprisionamento apontava para a liderança de uma revolução (veja os posts antigos sobre a vida de Yeshua para traçar os paralelos entre esta cronologia e os acontecimentos de Yeshua e os doze apóstolos).
Herodias, por intermédio de sua filha, Salomé, conseguiu coagir o Rei na morte de João, e a sua cabeça foi-lhe entregue numa bandeja de prata e depois foi queimado em uma fogueira numa das festas palacianas de Herodes.
Os discípulos de João trataram do sepultamento do seu corpo e de anunciar a sua morte ao seu primo Jesus. Mais tarde, a espada que decepou João Batista tornou-se uma relíquia Templária.

Percival e a Espada de São João Batista
Dizia-se que era uma espada que estava condenada a falhar com seu dono no momento mais importante de uma jornada. Chretien de Troyes, em seu conto “The Story of the Grail”, escreve que esta espada mágica é dada a Percival quando ele chega no castelo do Graal, com o aviso de que quebraria em sua hora mais necessária. Mais tarde, Percival quebra a espada, mas é conduzido para uma forja guardada por duas serpentes e somente ali a espada pode ser consertada, e nos é explicada que a espada foi quebrada pela primeira vez muitas eras atrás, nos Portões do Paraíso (sacaram… Duas serpentes? Caduceu de Hermes? Paraíso?)
O nome Percival vem de Pierce Veil (ou “aquele que perfura o véu”), representando a espada (mente) que consegue atravessar o véu das ilusões.

Sexta peça
E S Calibur

Muitos historiadores atribuem a espada Excalibur a Julio Cesar, Imperador de Roma. Quando Cesar tomou o poder, mandou forjar uma espada com seu nome que se denominava “Cesars Calibur” e guardava essa espada como um grande tesouro.
Quando foi morto, a espada junto com outros pertences, foi levada e guardada em um local secreto.Quando a expedição de Ricardo Coração de Leão estava a caminho de Jerusalém, parou em um mosteiro para passar uma noite e lá Ricardo ganhou de presente uma espada que já estava guardada a anos. Mas da palavra Cesars Calibur só se podia ver “E s Calibur”, devido ao envelhecimento da espada.

Sétima peça
Espadas de Luz Celtas

As lendas do século VI e VII celtas narram aventuras onde jovens guerreiros são presenteados com espadas mágicas capazes de cortar qualquer coisa, seja ela material ou espiritual, mas que precisam se mostrar dignos de empunhá-las, caso contrário, elas se quebrarão no momento em que mais necessitarem dela.
Em um dos mais antigos contos gauleses, Peredur, um jovem herói, visita seus três tios com o objetivo de se tornar rei. Em cada um dos tios, ele é testado. Na primeira corte, seu tio lhe entrega uma espada e pede que ele corte através de uma coluna de ferro. Quando Peredur a golpeia, ele corta a coluna, mas quebra a lâmina no golpe. Seu tio pede que ele tente novamente e ele quebra mais uma vez tanto a coluna quanto a espada. Na terceira tentativa, ele destrói a espada e não consegue reconstruí-la. Para tanto, precisa passar por diversas aventuras, até se tornar merecedor da espada, quando finalmente ela é refeita e entregue a ele.
Mais tarde, voltaremos a Peredur nos contos do Graal, mas com o nome de sir Gawain.
Esta “quebra” da espada corresponde, simbolicamente, ao Abismo de Daath na Kabbalah.

Oitava peça
Os Mitos irlandeses

Gael Bulg
Gael Bulg (ou Gael Bolga) é o nome da lança mágica do trovão, do herói Cuchulain. Esta lança mágica possui sete espinhos (que coincidência!) e possui diversos poderes, tendo sido fabricada a partir do esqueleto de uma serpente marinha chamada Coinchenn, morta em um combate contra outra serpente chamada Curruid. A heroína Scatchac entrega a lança a Cuchulain (os dois monstros marinhos guardavam as fronteiras da Terra, de maneira muito semelhante a serpente de Midgard na mitologia nórdica… novamente, árvores, serpentes e o número sete).

Caladbolg
Caladbolg é o nome da “espada do trovão”, a arma mágica empunhada pelo rei Fergus Mac Roich. Segundo historiadores, pode ser uma adaptação posterior da lenda de Gael Bulg, cuja lâmina foi adaptada para uma espada de duas mãos. Uma arma mágica, que traçava um círculo de luz quando se movimentava no ar.

Caledfwlch
Esta espada mágica aparece pela primeira vez no texto celta Culhwch and Olwen, de meados do século XI, onde é a arma mais preciosa do rei e utilizada pelo guerreiro Llenlleawg para matar o rei irlandês Diwrnach. Mais tarde, no conto “The Dream of Rhonabwy”, esta espada aparece novamente, desta vez nas mãos do Rei Arthur.
O escritor Geoffrey of Monmouth (1100-1155) latiniza Caledfwlch para Caliburnus no texto “History of the Kings of Britain”

Nona peça
A Espada de Sigmurd

Nas lendas nórdicas, o herói Sigmurd remove a espada mágica que havia sido cravada por Odin na Árvore Barnstokkr (uma macieira considerada sagrada), na série de textos chamada “Volsunga Saga”, do século XIII e baseado em contos tradicionais do século V e VI. Odin havia decretado que somente aquele que fosse digno conseguiria remover a lâmina de dentro da árvore e seria digno de se tornar seu dono. Durante um combate, a espada é quebrada no momento mais crucial, mas depois de forjada novamente, se torna capaz de cortar uma bigorna ao meio.
Novamente, árvores, lâminas cravadas que se quebram no momento crucial, macãs…

A Décima peça
A pedra de Scone (Stone of Scone), a pedra que precisa ficar debaixo do trono do Rei da Inglaterra durante sua coroação. Já falei sobre ela em posts antigos, procurem! Esta pedra é tida como o travesseiro de pedra mencionado na Bíblia, na qual Jacó repousa a cabeça:

E chegou a um lugar onde passou a noite, porque já o sol era posto; e tomou uma das pedras daquele lugar, e a pôs por seu travesseiro, e deitou-se naquele lugar.
E sonhou: e eis uma escada posta na terra, cujo topo tocava nos céus; e eis que os anjos de Deus subiam e desciam por ela;

Genesis 28, 11-12

Esta pedra também é tida em alguns textos, especialmente no “The History of the Kings of Britain” como sendo a pedra na qual a espada do Rei Arthur estava cravada.

Montando o quebra-cabeças
Nos romances Arthurianos várias explicações são dadas para a posse da Excalibur por Arthur. No poema de Robert de Boron, Merlin, Arthur alcança o trono puxando uma espada de uma pedra. Nesse relato, esse ato não poderia ser feito se não pelo “verdadeiro rei”, ou seja, o verdadeiro herdeiro de Uther Pendragon. Esta espada é tida por muito como a famosa Excalibur e sua identidade se torna explicita no posterior Vulgate Suite du Merlin, parte das Prosas de Lancelot.
Mais tarde, em outros poemas, ele recebe esta espada da Dama do Lago (que descreverei em detalhes mais para a frente) e, na vulgata, ele consegue excalibur primeiro na pedra, depois a quebra e finalmente, a recebe novamente, consertada, pela Dama do Lago (que representa o elemento água, ou o emocional), em um percurso simbólico através de todas as sephiroth da Kabbalah.

Robert de Boron era um cavaleiro templário que viveu no século XII e foi o primeiro autor a dar ao mito do Graal uma vertente cristã. São deles os poemas “José de Arimatéia” e “Merlin”, bem como a “Morte de Arthur”, além do verso “Perceval”. Robert de Boron, mil anos antes de Dan Brown, já havia sugerido uma linhagem sagrada para Jesus… mas o descendente do rei Salomão só é revelado por Chretien de Troyes: Lancelot.

De acordo com Robert, José de Arimatéia ficou responsável por tomar conta do Santo Graal (Sangreal), que seria o cálice que recebeu o sangue de Jesus. A família de José de Arimatéia trouxe o Graal para Avalon (Ilha das maçãs, ou historicamente Glastonbury, local da primeira igreja cristã erigida na Inglaterra, em 65 DC). Falarei sobre Glastonbury mais para a frente, quando falar de Avalon.

A “Espada enterrada na terra” (ou relâmpago, ou escada) é um simbolismo para o próprio entendimento da Árvore da Vida e, através disto, o autoconhecimento. O caminho da espada desde ser removida da terra (Malkuth) até chegar a coroa (Keter) passa por todas as lendas acima, cada uma sendo uma visão ligeiramente diferente da mesma coisa, porém dentro do mesmo simbolismo.
O mito da “espada de luz que só pode ser empunhada pelo escolhido, ou por aquele que a merecer” é um arquétipo universal que existe até os dias de hoje, representando o autoconhecimento e o domínio sobre si mesmo. Isso para não falar em “reis com espadas quebradas” do Tolkien.

Semana que vem: encontrar o Graal deve você!
————————————-
Textos novos no blog Teoria da Conspiração e a estréia do Blog de RPG da Daemon
Belém institui o “Dia do Dizimista”
História da Umbanda
O Círculo Mágico
Raul Seixas, Paulo Coelho e a Sociedade Alternativa
Arcano 13 – a Morte
Pai Nosso em Aramaico
o Bode na Maçonaria

Concurso Teoria da Conspiração
– Não esqueçam que o melhor dos prêmios do concurso será por sorteio! Não deixe de participar só porque você acha que sua foto não vai sair tão fodona para concorrer… lembre-se que todas as fotos são importantes para o grande plano… ou você acha que este concurso é apenas um concurso?
Mande sua foto fazendo o mudra do TdC para [email protected]

E para quem vai ficar em São Paulo no Carnaval e está a fim de estudar um pouco mais a fundo os assuntos discutidos aqui na coluna, ainda há vagas para os cursos:
21/02/09 – SP – Sábado – Kabbalah.
22/02/09 – SP – Domingo – Astrologia Hermética.
23/02/09 – SP – Segunda – Tarot (Arcanos Maiores).
24/02/09 – SP – Terça – Chakras, Kundalini e Magia Sexual.
Informações: [email protected]

  • Leo

    Já assistiu A última legião ?
    Esse filme conta uma versão interessante entre o fim do império romana e a lenda do rei arthur.

    Mas historicamente algumas coisas não batem. Mas que é interessante, é!

  • Supersimpson

    Como diria Carlos Maltz: “Meninos na beira da estrada / escrevem mensagens com lápis de luz / Serão mensageiros divinos / com suas espadas douradas, azuis”

  • 70×7

  • Beholder

    Grande MDD. Gostaria de saber se o uso da expressão “Gado” é um jargão pessoal ou de uso frequente no meio das sociedades “discretas”… pergunto isso pois estava dando uma olhada nas obras do Mark Ryden q a mt não via (e q por sinal é cheia de simbologia) e notei o uso frequente de carne como nessa img http://www.wondertoonel.com/paintings/ringmaster.html
    Bem agora vou terminar de ler o post… obrigado e ate mais

  • Lucas

    primero?????

  • Douglas

    “Aquele que possui a espada (chaves), não pode entrar no Reino dos Céus.”

    Não seria o contrário??? O possuidor das chaves é quem entra no Reino dos Céus ??

    @MDD – exato. já corrigi. thanks.

  • Élder

    Fantástico!

    Dá vontade de chorar pela conotação que dão para a Árvore da Vida da bíblia 🙁

    Perguntas:
    – Marcelo, o texto alegórico do Gênesis bíblico que representa a queda, do jeito que as edições católicas o apresentam atualmente, está igual ou com o mesmo sentido em relação aos originais antigos?

    – Se sim, por que ocorre a expulsão do paraíso quando se tenta chegar na árvore da vida? O fruto proibído, o que representa a maça? Seria alguma Sefira que a gente esculhambou (metaforicamente falando)?

    -Dá pra dar uma melhor pista do que fizemos para cair?

    Off-topic: Estou estudando Hermetismo e próximo assunto que me brilha os olhos é a Cabala. Quero comprar um livro para começar. Como a grana tá curta, não tenho muita margem para errar a compra, te peço uma sugestão de qual seria uma boa leitura nesse assunto.

    Se viajei demais, deve ser o sono hehe.

    Mais uma vez, muito obrigado!
    Abraço!

  • Élder

    Ah, esqueci, o Sefira Ha Omer deste ano, tu vais postar novamente?
    Seria legal pelo menos uma menção com os links do ano passado, se é que todos os anos a meditação segue o mesmo roteiro (?).

    Tchê, tu não dorme não??? Três da matina e comentários sendo aprovados! 😀

  • Eduardo

    DD,
    Interessante como forma certinho os degraus de uma escada na primeira imagem da Kabbalah.

    Obrigado, Forte Abraço e P.P.!!!

  • Lial

    Bom texto, porém a Cabalah Hérmetica é uma sintese da Mitologia de outros povos aplicados as sephiroth, não constituindo na origem dos mitos, mas sim anexando os mitos a sua propria história. Sempre há uma tendência a cristianizar a Lenda de Arthur, embora os celtas fossem politeístas e não monoteístas.

    @MDD – Não… as sephiroth é que são a base de todo o mapeamento da consciencia humana, e a base para as mitologias. O judaismo só a adaptou a seus interesses, mas ela é mais antiga do que o judaísmo. E, claro, o hermetismo apenas a adaptou a alquimia.

  • Beavis

    Leiam Bernard Cornwell, Cronicas de Arthur.

  • Reflexão, auto análise e auto-conhecimento: Esclarecimento.

    Toda a simbologia faz sentido pra mim. Encontrar um sentido que nos antecede é necessário para que mais tarde possa ser escolhido um que seja conveniente com o agora (presente) e sob a vontade.

  • Muito bom o texto. Gostei! Eh o primeiro texto que prende minha total atencao apesar de algumas partes parecerem vagas pra mim, mas me incitou a buscar ler mais textos seus. Parabens!!

  • Filipe Meneghetti

    Ola Marcelo !

    Encontrei esta materia sem querer na net via o site Ocioso :
    http://www.reporternet.jor.br/descubra-sua-heranca-cosmica/

    Gostaria que vc me confirma-se se é real estas informações ou mais uma monte de balela , e se for real onde posso encontar mais inforamções deste tipo

    Obrigado

  • mizinho

    parabens , mais uma vez , “jedi” ,,, muito boa ,, gostei rsrsrs fdc

  • CA****O! ahuahauahuahauahauha

    Saco! Quando eu ia falar de Tolkien e da Anduril o Tio saiu na frente e mencionou antes! ahuahauahauhauh

    Muito interessante essa tua retomada aos posts com conteúdo, sem mais “experimentos” babacas =D Gostei mesmo uma vez que adoro os ciclos de contos relacionados a cavalaria bem como seus heróis.

    E só pra poder dizer que eu lembrei de algo que não tava no post, tem também a Stormbringer, espada do Elric de Meliboné que não só falha quando o Guerreiro Albino mais precisa como também [SPOILER]!

    Espero ansioso pela continuação do post \o

  • joão !

    ae marcelo, procurei no seu blog alguma informação sobre ramayana e o mahabarata, mas não achei. caso haja, vc poderia postar aqui no s&h?

    abraços

  • pitta

    hey, se as sete esferas do dragão sãos analogas aos chakras, então aquele dragão la é a kundalini?

    e DD, tu n falo o segnificado dauqle numero que sempre que era googleado, indicava lost o/

  • Itu

    Lembrei da Espada de Gryffindor, em Harry Potter. [SPOILER]Ela pode ser tirada de dentro do Chapéu Seletor, se a pessoa for merecedora. Na historia ela não se quebra, mas é tomada de volta pelos gnomos, que foram os criadores da espada. No final, um dos personagens consegue tirar ela do Chapéu Seletor novamente. A espada, eum um ponto da estoria, se torna capaz de destruir as horcruxes, que não podem ser destruidas por espadas comuns [SPOILER]

  • MDD,
    “Aquele que possui a espada (chaves), não pode entrar no Reino dos Céus”…
    não seria ‘Aquele que não possui a espada (chaves), não pode entrar no Reino dos Céus’ ? Afinal, precisamos conquistar cada uma das chaves para ter acesso, não é isso?

    E não seria pelo mesmo motivo que os guerreiros vikings precisavam morrer empunhando a espada para poder entrar no Valhala?

    Abraço.

  • Bom! Muito Bom. Fico lembrando dos diversos detalhes descritos aqui e dos livros de Bernard Cornwell. Glastonbury é comum a Alfredo, O Grande e a supostamente Arthur. Como Peredur é um nome recorrente na região e os diversos nomes para a “espada”, e sobretudo, como Arthur é retratado como um estrategista de grande inteligência e vontade.

    Mas o que me chamou a atenção é que você não comentou numa espada:
    “Eu não vim trazer a paz mas a espada”

    Conhecimento é Poder! – Abraços

  • Há relação com Arthur ser filho de Yeshua, que estaria procurando sua irmã (sangreal)?

    Não sei como isso veio na cabeça, mas seria José de Arimathea Marlin?

    Ahh, as teorias da conspiração…

  • “A espada de Gilgamesh possuía sete gemas e enquanto todas as jóias estivessem em seu lugar, a espada seria indestrutível e capaz até mesmo de matar demônios e deuses.”

    hahah ja sei da onde vem a holy avenger o paladino(maldito seja ele! haeuheua) e a relação com o deus das serpentes!

    otimo post…

  • Estevão Meneghel

    Tio DD…
    Parabens pela coluna.

    Tenho uma questão, mas n é relacionada com a coluna…

    O que foi o Conselho de Gamaliel?
    O que Saulo (futuramente batizado com o nome de Paulo) tm haver com esse conselho?

    Brigadão!!!

  • The V3n0m

    Salve DD,

    Não tem nada a ver o meu comentário com o post.
    Só queria registrar que ontem (15/02) o Fantástico fez uma reportagem sobre o continente de plástico, comentador por você em 12/2008 em http://www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/um-continente-de-plastico-10631
    É impressionante como a massa dá atenção somente quando a caixa da sala “fala” com elas, na época lembro que comentei com as mesmas pessoas que agora falam do assunto.
    Continue sempre com o seu trabalho, pois tem sempre alguns interessados.

    Parabéns !

    The V3n0m .`.

  • Rodrigo

    Dragon ball, neon genesis evangelion…cavaleiros do zodiaco… anime tbm eh cultura

  • Melquisedeque

    Muito bom!!

    já estou me tornando o escolhido p/ poder erguer a espada sagrada….hehehe.
    Aproveitando, será que teremos os exercícios completos p/ sephirat ha omer??

    abraços

  • Thiago

    “Atente para o fato de que Malkuth (o Reino, o Plano Material, o Mundo do Creu) representa o elemento TERRA, ou pedra…”

    Mundo do Créu… erro de digitação ou sarcasmo bem colocado?? =]
    Excelente Post, como sempre!
    Um Abraço!

  • Pedro

    Seria Yeshua rival (ou pego o legado que seria) de João Batista?

  • ai..ai..ai..

    Esse monte de coisas ocultas as vezes dá uma torrada no saco e até revolta.
    Porque ao invés de ficar com estes “mimimis”, estas grandes organizações ocultistas não gritam a verdade para o mundo? Não seria bem melhor?

    @MDD – Eles seguem o princípio do “Não atireis pérolas aos porcos, nem faças uma cama de rosa para asnos”. E tem gente que nem curte muito a minha coluna aqui, achando que eu estou perdendo o meu tempo com gente que não vai aproveitar o que está sendo escrito…

    Ou querem que o gado continue gado?
    Gritem a verdade doa a quem doer!

    Não existe liberdade de expressão? Então… falem! gritem! o gado está escutando vc’s…

    Ou querem que continuemos umas antas? Pois o apelido “gado” ainda é pouco…

  • Douglas Penna

    Marcelo,

    Você irá comentar ainda sobre a mitologia do povo sumério e a correlação dela com isso aí? Principalmente sobre os tais Anunnakis.

    Abraços

  • Cah.

    E o que significa aquela história de que Lancelot traiu Arthur e ficou com a Guinevere?

  • terugo

    muito bom o texto

    uma dúvida: moro em vizinhança barulhenta – música ruim, equipamentos escandalosas, caminhões a passar sempre etc. – há algum exercício para ficar mais resistente a ruídos? para não ser perturbado por eles? um meio de “desligar” os ouvidos.

    até a próxima

  • Ericsson

    mto bom o texto….

    No entanto a analogia abaixo foi um tanto infeliz….

    “Isso para não falar em “reis com espadas quebradas” do Tolkien.”

    apesar da espada ter quebrado, o rei cumpriu seu objetivo “tirar o anel do dedo de sauron” e a espada não quebrou realizando algum feito em combate, foi quebrada pelo proprio inimigo….

    E baseado nas historias de Tolkien, a espada não dava poder algum ao seu portador, era apenas uma herança de familia q simbolizava o herdeiro do trono e a liberadade dos Dunedain(Raça dos Homens) na terra média.

    mas no geral, o texto ficou mto bom mesmo……

  • Petch

    Se Lancelot era descendente de Salomão, então ele era parente de Yeshua!
    :- O
    Nossa, momento revelação!

    Estou certo?

  • joão claudio

    marcelo,
    qual a origem do batismo? qual o significado da palavra?

  • David

    das lendas de arthur, eu gosto das “brumas de avalon”, é a mais interessante de todas

  • Diogo

    Marcelo, será que você pode falar um pouco mais sobre o Tolkien? pelo o que eu sei, ele era católico, e proibiu a Walt Disney Company de fazer filmes sobre a obra dele – isso tem algum fundamento?

  • Remy

    Tem que ter uma ótima pré-compreensão para compreender o conto… e vá hermenêutica!

  • Diego

    Interessante, o seriado de Dragon Ball Z tem muito sobre o que você fala, novamente quando fala do jovem Peredur que deve cortar uma coluna de ferro e a espada se quebra, acontece o mesmo com Gohan num tal episodio.
    Muito interessante isso.

  • Thais Thaluthien

    Estava esperando você falar sobre Artur a um tempo e fiquei contente que chegou a hora. É incrível como está tudo na nossa cara mas só passamos a ver quando alguém nos dá um empurrão. As semelhanças estão em todos os lugares mas estamos com a visão ruim… Estou muito feliz pelo trabalho que tem feito aqui na coluna!

    A famosa queda pode ser também uma memória dos espiritos capelinos que aqui vieram. Faz sentido para mim ver as coisas por esse angulo. Só o que eu não sabia é que a Cabala é mais velha que o Judaismo! Acreditava que era uma vertente do mesmo e não algo mais antigo… Tenho que ler mais sobre isso…

    Inté!

  • Carlos.’.

    Irmão vc pega um assunto que tudo mundo ja conhece, e pensam que ja sabem tudo (eu me incluo), ai mostra pra gente que não sabiamos nada, ou quase nada. Muito bom. Mas vc ainda ta devendo aquelo post sobre maçonaria. TFA

    @MDD – a maçonaria começa “oficialmente” em 1717, então aqui no Sh ainda vai demorar um tempo pra chegar lá… devo escrever mais sobre isso no meu blog pessoal.

  • Alberto

    de verdade, cada vez mais que estudo sobre esses assuntos me pego preocupado em ter que gastar tanto tempo trabalhando e com dificuldade para dispor o tempo que gostaria para estudar sobre esses assuntos. Cada vez aparece mais e mais coisas que quero estudar. 24 horas é muito pouco…

    @MDD – É desse pensamento que vem a máxima ocultista “Só sei que nada sei”. As outras vertentes (religiosos e céticos) é que acham que já “sabem tudo” .

  • bem embaixo dos nossos narizes… finalmente o post q estava aguardando a MAIS de um ano!

    A-d-o-r-e-i

    agora, é partir para a pesquisa 😀

  • Paulo Craici

    E quando eu acho que já vimos muitas alegorias
    que falam sobre a Árvore da Vida…
    vem o tio DD mostra mais ,D

    Acredito que existam outras diversas..

    Abraços

  • Papael

    Cara eu vi num comentário apenas aqui mencionando a trilogia do Bernard Cornwell sobre o rei Arthur. Tu já leu esta trilogia? Não sei a que ponto o escritor se aprofunda no ocultismo nessa trilogia, mas com absoluta certeza, ele detalha muito bem rituais pagãos e como o cristianismo começou a ser difundido na Grã Bretanha.
    Ha, detalhe, alguns nomes que tu utilizou neste post ele também usa, os mesmos, como denominações de pessoas e lugares na trilogia… vale a pena ler.
    E a pergunta que não quer calar, se Lancelot era da família “real” originada de Jesus, pq Arthur é o “rei” e possuidor de excalibur?

    @MDD – leia a matéria sobre Zeus e Hera e você entenderá… o mito de arthur é composto de sobreposições com mais de 1000 anos de acontecimentos. Tanto Arthur (jovem) quanto lancelot são figuras representativas da linhagem sagrada em suas versões originais, só que acabam modificados e amalgamados. Falarei sobre isso mais pra frente

  • Guilherme

    de verdade, cada vez mais que estudo sobre esses assuntos me pego preocupado em ter que gastar tanto tempo trabalhando e com dificuldade para dispor o tempo que gostaria para estudar sobre esses assuntos. Cada vez aparece mais e mais coisas que quero estudar. 24 horas é muito pouco…
    [2]

  • Evandro Ricardo

    A visão que Ezequiel teve das “forças elementares” que são:
    1) A águia= O Ar
    2) O homem= A Água
    3) O leão= O Fogo
    4) O Touro= A Terra
    São alegorias da Árvore da vida?

    @MDD – Tanto que elas podem ser vistas no arcano “O Mundo” do tarot, e na “Roda da Fortuna” também, representando os 4 elementos da Árvore da Vida. O carro de Ezequiel é representado pelo arcano 7 (o carro), que é o caminho 16, um dos 5 caminhos simbólicos que cruza o abismo (Chet), representando a transição da razão (Hod) para uma esfera maior do Entendimento (Binah).

  • Ótimo post como sempre, DD.
    Esperando a continuação. \o

  • carlos

    AE MARCELO QUERIA QUE VC ME DECE UMA OPINIAO SOBRE O LIVRO
    AS PROFECIAS DE TUTANKHAMON ,Maurice Cotterell ;SE NAO FOR PEDIR MUITO.[2]

  • preguiça

    post excepcional…

    a parte do e s calibur, deu uma forçada braba
    mas tá valendo..

    já assistiu um filme chamado The Man From Earth?

    @MDD – Não dei forçada nenhuma, vá reclamar com os historiadores.

  • Luke

    Hum.. Espada q foi quebrada e reforjada..
    Isso tmbm tem a ver com a “Espada que quebrou e fora reforjada” de Tolkien?
    Pq jah vi muitas ligações ocultistas nos textos dele.

  • Chico

    “A visão que Ezequiel teve das “forças elementares” que são:
    1) A águia= O Ar
    2) O homem= A Água
    3) O leão= O Fogo
    4) O Touro= A Terra
    São alegorias da Árvore da vida?”

    Águia + Homem + Leão + Touro = ESFINGE

    HUHAUHAUHAUHUAHUAHUAHHUAHUA MTo Escroto isso!!

    Leiam (se tiverem tempo rs rs) “Esfinge:estrutura e Mistério do Homem” de Pirre Weil.

  • Acauã

    Ótimo post Marcelo, deixe-me ver se entendi a alquimia do post,
    “aquele que não possuir a espada das 7 gemas, 7 armaduras, chaves, consertar a espada quebrada (???), caminhar através das sefirats (virtudes/conhecimento),
    para matar os demônios de malkuth, derrotar o querubeim, cortar a coluna de ferro, destruir o EGO (pecados), poderá ultrapassar o véu, entrar no paraíso, encontrar nosso EU, possuir a Koroa do reino.”
    Com certeza não é essa a ordem certa, mas devo está chegando perto do sentido da coisa toda.
    Obrigado pela semente

  • Primeira vez que posto na sua coluna aqui no sedentario…
    O que isso tem haver no Guerra nas Estrelas?
    Se tiver como um rapazote como George Lucas teria acesso a TODAS ESSAS informações nos anos 70, para poder formar uma informação tão ritualista (por falta de palavra de melhor explicação no momento de escrever este comentario) para compor os Sabres de luz?
    Afinal nessa época essas informações eram muito bem guardadas por qualquer ordem secreta ou não

    @MDD – Procure por “O Poder do Mito” (o documentário) e você terá suas respostas…

  • Edson Santos

    Olha, uma coisa é verdade, eu não ia em nenhuma igreja evangélica por magoa ou raiva das pregações(minha familia inteira são), mas aprendi uma coisa lendo suas colunas e estudando as monografias Rosacruz, eu estava errado!
    Sim, se a compreenção e respeito aos outros é umas das principais coisas pq seria eu o rebelde e em consequencia a ovelha negra? hehe…
    Fui na formatura da minha irmã (teóloga, agora) e antes disso teve um culto o qual escutei varias coisas e analizei tudo, me senti muito bem (principalmente que um dos pastores pregou a transfigurão de cristo na qual a biblia afirma veemente que Moises e Elias estavam lá), olha já estou começando a ver que tudo não passa de que somos realmente arrogantes e intolerantes a outras religiões/culturas/etc…
    Gostei muito de minha visita a uma igreja evangelica, como são formas pensamento, posso com certeza tirar proveito do jesus apostolo, pois queira sim ou queira não ele é uma egregora, não preciso crer como cristão e sim me beneficiar de varias coisas as quais os cristãos creem. è minha tolerancia e pensamentos estão mudando…

    @MDD – parabéns! That´s the spirit!

  • Tiago

    Olá Marcelo,

    Muito bom texto, como sempre.
    Mas fiquei com uma dúvida:
    Recentemente, postei uma pergunta no seu blog, no post sobre Ubanda sobre a relação entre os planetas (astrologia), metais (alquimia), sephirot e os elementos e você respondeu que
    “Sol é Fogo, Lua é Akasha, Luxuria é venus/netzach/agua, inveja é mercurio/hod/ar, saturno é Binah ou daath (dependendo pra que magista você pergunte). O elemento terra é de malkuth/terra. Geburah e Chesed nao tem elementos”
    Assim achei que Tiferet fosse fogo, Yesod akasha, Malkuth terra, Netzach agua e Hod ar. E as demais sephirots não tinham relação com nenhum elemento.
    Mas isso não bate com a figura acima (quarta peça), onde todas as Sephirots estão relacionadas com algum elemento.

    Então, eu entendi algo errado ou essas analogias dependem do contexto onde são aplicadas?

    @MDD – Você está certo e a imagem está certa também. E ainda há um terceiro nível onde existem 4 árvores sephiroticas uma sobre a outra, onde cada Árvore pertence integralmente a um elemento (que simbolicamente são representados pelos 4 naipes -> 4 naipes x 10 esferas = 40 Arcanos Menores). Assim sendo, cada Arcano Menor equivale a um elemento da Árvore, um triangulo dentro da árvore e um elemento dentro do Planeta… 3 elementos de influencia. Complexo? sim… por isso que quando eu afirmo que 99% dos “tarólogos” aqui do Brasil não fazem a menor idéia do que estão decorando, o povo acha que eu exagero. E isso que eu nem comecei a falar de I-ching, que são 64 trigramas.

    Obrigado.

  • Tiago

    Correção: “Umbanda” e não “Ubanda”

  • filipe

    a gente nunca sabe se, pelo nome do post, vem descrição histórica ou busca pelo auto-conhecimento… às vezes dá até a impressão que é tudo a mesma coisa, hehe. Arquétipos universais ou dispersão?, na interpretação que o Campbell faz de Jung…

    As above, so below!

  • glau

    muito interessante esse texto, a cabala, pra mim, ainda é uma coisa incompreensivel quanto objeto e veiculo de estudo, porém, os caminhos as vezes me aparecem completamente claros.

    Estou aprendendo a conhecer meu proprio corpo e minhas próprias capacidades, e a cada progresso fico ainda mais impressionada com a fé, com a energia e com os sonhos.

    Em algumas conversas surgiram alguns questionamentos, como terem existido mais de 5 gerações humanas, criadas de forma a “coexistir” mas não se comunicarem. Isso seria aceitável? Como encaixar isso na cabala?

    MDD o q o senhor sabe de comunidades pré-indias que habitaram o litoral brasileiro? (por volta de 4 mil anos atras) O sr acredita que o brasil foi o primeiro lugar em que a humanidade foi criada ou foi onde ela acabou o percurso migrassional?

    @MDD – putz, não sei quase nada sobre os pré-brasileiros. É algo que quase não tive tempo para estudar, infelizmente.

  • Scherer

    MDD,

    Faz tempo que aguardo que você fale sobre Gilgamesh, Enkil, Enlil, Enkidu, mas principalmente sobre a origem de Gilgamesh, OS NEFILINS, a origem dos Sumérios (Nibiru e Tiamat), sobre os Anunnaki, estes assuntos, lhe chamam a atenção, significam algo de prático nas névoas do tempo ou é assunto demais para você, por favor reparta o conhecimento que possas ter sobre estes assuntos , ou você talvez acredite que o ser humano é fruto apenas de evolução natural?.

    @MDD – o corpo físico do ser humano é resultado apenas e tão somente de evolução natural, e isso é uma das coisas que esse povo metido a místico não consegue botar na cabeça… ficam achando que atlantes, lemurianos, capelinos e outros vieram em naves espaciais, se teleportaram, eram seres diferentes dos humanos, etc etc etc… e a coisa é muito mais sutil do que isso.

  • Lucas

    MDD , o livro Angus tem algo a ver com o assunto?
    Se sim, o autor é de alguma ordem ?

    @MDD – Da Ordem dos picaretas, só se for…

  • O Arturius é o amor da minha vida.
    Quem me conhece bem..sabe a expressão até no meu msn.
    Quando eu estava decidindo a escolha do meu tema de Trabalho de Conclusão de Curso, eu queria falar alguma coisa sobre Arthur. Daí, meu orientador..só falava..fecha..fecha..´delimita..Pensei..Arthur tem coisas de mais para ler e pesquisar..e eu quero me formar esse ano..Deixa para um outro momento..
    Daí, parti para minha segunda opção, que também tenho grande carinho..Oscar Wilde, O Retrato de Dorian Gray. Isso é outro assunto.
    Mas, a távola, os cavaleiros, Grande Rainha Guinevere, Arthur.Merlim..tudo me fascina muito mesmo..além do que deveria..Por isso costumo ler e reler..qualquer conto ou história, ou dados..sobre o amor da minha vida..É com certeza um arquétipo universal..

    Muito muito bom!

    ^^

    Namastê,

    Patrícia.

  • Scherer

    MDD, obrigado pela resposta. É evidente que tem que separar corpo físico de corpo espiritual, quero apenas duas colocações: 1) Mesmo o corpo físico sendo produto de evolução natural, concorda que houve um grande salto de símios para Homo Sapiens na cadeia evolutiva, aí, generalizando, pergunto, quem veio primeiro, o ôvo ou a galinha, o ser humano ou o bebê(feto)?. 2)O corpo espiritual, pode ser um imigrante por diversos mundos, apenas fazendo uso de corpos físicos(vasos, invólucros), na cadeia evolutiva física e espiritual?. Mas… mesmo admitindo que o ser humano surgiu na terra sem a intervenção externa(extraterrestres,alienígenas,etc), algo(Deus) criou tudo isto, um ser humano. até certo tempo limitado a este planeta até que evolua para além do universso. Agora,…. admitindo que tenha havido interferência externa(….), mesmo assim, estes seres alienígenas teriam que também terem sofrido processo semelhante na sua origem seja em que ponto forem do universso de que teriam vindo, para aqui interferirem , mas algo ou alguém os teria também criado “à sua imagem e semelhança”,concordas?. (Crerio que a verdade nunca saberemos, talvez.. pela ocasião da transição). *** Então o corpo físico, é apenas recriado neste processo todo para servir de hospedeiro ao corpo espiritual em sua própria cadeia evolutiva neste ou em outros lugares?. *** Quanto aos Nefilins, segundo relatos superficiais, que tive acesso(Zacharia Sitchin?), seriam originários de um planeta em vias de extinção e que aqui aportaram, interferindo genéticamente, na natural evolução humana, o que vc acha desta afirmação?. **** Quero salientar que não é o meu ponto de vista, pois apesar de tudo, ainda não cheguei a uma conclusão sobre estes assuntos, estou a pesquizar, e me pergunto,…. donde vim e para onde vou?……. Sou Católico, mas aceito todas as crenças, e já fui Rosacruz. Obrigado pela tua atenção, sei que é assunto “prá mais de metro”……

  • preguiça

    e quanto a esse papo da era de aquario ter começado ontem?

  • MDD,
    porque na maioria dos nomes das imagens do post do concurso você colocou BBB?

    @MDD – continuem mandando as fotos para o concurso e vocês descobrirão…

  • xxxx

    Eu acho legal seus comentarios, interessantes e tudo mais, mais sei lá expondo um pouco do que eu penso agora eu acho tudo isso tão longe do real, juro que ja acreditei mto em tudo isso mais hoje em dia, com a correria do trabalho, familia, com as desgracas que acontecem no mundo, meu deus como a vida é sofrida (e olha que eu nem sei se acredito em deus ainda) ja li mto sobre budismo, wicca, espiritismo, catolicismo, etc… mais sei lá é tudo mto bonito no papel, mais na vida não acontece assim, é mto facil falar dessas coisas qdo se esta morando em um lugar confortavel, com dinheiro no bolso, sei lá, nem sei porque comentei, sabe, eu sempre tive mta vontade de ter essas experiencias, mais agora, eu leio essas historias como quem lê um gibi, sorte pra vc, e tipo não querendo lhe testar, mais se tudo isso o que vc fala nesse blog é verdade mesmo, me mostra um caminho onde eu possa presenciar tudo isso, porque falar é facil, mais mostrar, fazer a gente crer isso é algo que poucos conseguem. (por favor não mostre esse comentario, é só um desabafo meu com vc, nem sei porque to fazendo isso, se puder responder responda.

  • Marcelo, já pensou em fazer um site (ou escrever um livro) só sobre ocultismo e curiosidades?

  • Sepher Maha-Deva

    Uma simbologia da espada/varinha mágica é bem aplicado a “força de vontade”.
    No TMI (The Monroe Institute) uma das ferramentas aplicadas é o “Energy Bar Tool”, que é explicado essas lendas com espadas. O que me lembra o rpg Gurps, onde uma magia era que o cajado do mago fosse a mesma coisa que sua mão em questão de “toque/encostar”.

    Energy Bar Tool é utilizado de várias formas, tanto para Visão Remota quanto para cura, na qual a EBT toma a forma de um golfinho, sendo uma das ferramentas utilizadas no DEC (Dolphin Energy Club), grupo de cura mantido pelo TMI que atende a várias pessoas no mundo e pega dados de seus pacientes para um cadastramento e acompanhamento do caso. Vão até nomes de animais de estimação. Sou filiado ao DEC e também tenho que mandar relatórios referentes ao meu uso do EBT em pacientes que recebo por email, pois você acaba tendo melhoras em sua vida.

  • Mingau di Mixirica

    Só por curiosidade, o conto Percival não é de origem germânica sob o nome “Parzival”?
    Se sim, então não caberia dizer que Percival vem de “Pierce Veil” que são termos em inglês.

    Desde já agradeço.

  • Murilo

    sir arthur connan doyle se filiou à alguma organização?
    algumas coincidências caóticas me levaram a buscar a origem dele.

  • paulinho

    muito bom mesmo tio Marcelo!!!
    a cada post eu fico com mais raiva desses caras.
    mais também eu procuro estudar mais e pesquisar, e juntar e comparar. isso tudo é muito legal!!!!

  • Namasté.

    Mandei um e-mail com minhas dúvidas sobre os cursos como havia comentado em outro post.

    Quanto a coluna, não sei se é o cansaço ou se não estou lendo com atenção, mas me confundi um pouco. Essas histórias – ou peças como se referiu – foram cronológicamente criadas uma das outras ou foram todas escritas no mesmo período por povos diferentes e então depois montadas para a história de Arthur?

    E já que comentou novamente sobre um trecho da Bíblia – e não tive oportunidade de perguntar anteriormente – onde consigo uma bíblia em português que tenha os textos o mais fiéis possível aos originais para estudo? Porque não adianta nada ler textos alterados que não trazem mais o sentido pretendido.

    No demais, fico no aguardo do próximo post.

  • danilo…!

    só para esclarecer , uma duvida q eu já tenho faz um tempo.
    Em um dos posts recentes e nesse tbm vc citou os apostolos,afinal eles realmente existiram?? os doze apostolos não eram apenas uma alegoria representando as casas do zodiaco? E aquela história de que a cruz representava o cruzeiro do sul, dpois em um outro post vc disse q jesus tinha sido msmo crucificado, fiquei confuso

  • Line

    Só sei que nada sei…. (o tempo é muito curto)

    E às vezes parece que dá um nó… (de tanta coisa que leio, aqui e ali, sempre em busca da verdade, as vezes não consigo relacioná-las/interligá-las) é muita informação!! Só sei que estou curiosa, muito curiosa!!

    A “espada” simboliza o Poder… e o Poder também é conhecimento, auto-conhecimento, ter poder sobre os seus próprios pensamentos, domínio sobre si mesmo etc, então: Espada = Conhecimento.
    “Aquele que não possui a espada (chaves), não pode entrar no Reino dos Céus.”
    Então:
    Quem não tem o devido Conhecimento não pode entrar no Reino dos Céus.

    ???

    E as 7 gemas, as 7 peças de roupa… tem também a ver com a abertura dos Chakras para poder entrar no Reino??

    Saudações

  • Fabio

    Fora isso existem muitos detalhes a serem escritos com: dança dos 7 veu, so nome do arthur Pendragon (filho do dragão), que a lança Gael Bulg uma vez atirada só para quando acerta o alvo e sempre retorna a quem a atirou igual a Mjonilr a arma do deus do trovão Thor e ambas so podem ser empunhadas por pessoas merevedoras, etc.

  • Pingback: Links Dominicais «()

  • MDR1982

    nao sei se minha pergunta está fora do assunto, mas, quando me stresso, ou quando fico furioso com alguma coisa uso esta estratergia: falo comigo mesmo: ‘por que te enfureces, ó minha alma?’. Isso parece um remedio, pois em instantes fico calmo, calminho. Isso é algum tipo de comunicação com outra dimensao?

  • JOSÉ B.

    cara…
    adoro o seu blog e acho que tens um conhecimento do caraaal***
    mas andei vendo teus pareceiros de colunas
    como tu se sente tendo um parceiro que diz que coca-cola nao faz mal?
    e estando num site cujo o objetivo é a propaganda das marcas que fazem as pessoas se tornarem “gados” como vc mesmo chama?
    essa situação não te impõe certos limites nos assuntos?

    isso não foi uma crítica a sua pessoa, apenas uma observação
    abraço

  • PDP

    MDD,

    Primeira vez que posto aqui, dificil chegar até o final pois comecei a ler apenas a 2 semanas atrás. Muito boa sua coluna.

    Tenho um monte de dúvidas mas pergunto mais pra frente, no momento só uma:

    Em uma de suas primeiras colunas vc diz que fez poli, engenharia da produção, mas isto não consta em seu curriculo. Vc não terminou ou acha que isto não é mais relevante para o seu curriculo?

    Sou politécnico, por isso da pergunta.

    Como os posts foram ficando para trás pois comecei muito atrasado gostaria de um email seu para poder falar de coisas passadas sem encher os posts atuais. Seria [email protected]

    Abraços

  • Namasté.

    Marcelo, aproveitando que ainda não passou por aqui respondendo os comentários, o que você sabe sobre as Linhas de Nazca?

    Abraços.

  • Laura

    Oi MDD!!! então… muito interesante este post, a história de Ishtar me lembra mt a de Isis… cada peça de roupa que ela perdia representava a retirada simbólica dos véus da ignorância que cobrem os Chacras e impedem que se acesse seu conhecimento não é??? o número 7 está associado aos 7 chacras, e o conhecimento que devemos obter ao retirar seus véus???
    e a espada, faz alusão a magia sexual???
    Obrigado!!!

  • Rafael

    Otimo post, mas gostaria de fazer um comentario a resposta do JOSÉ.B.
    Por que ele esta aqui ? Ele esta aqui no “antro” dos Rebanhos ou melhor é uma “fabrica” de Rebanhos como da a entender pelas suas palavras.

    Então ele esta quase no QG do inimigo passando o conhecimento dele e tentado mudar quem ja foi mudado pela cultura pop, pelo menos é isso que acredito.

    Não sou nenhum santo que libertou a excalibur pessoal e derrubou o véu de ilusões, mas nunca tinha entrando neste site ate o primeiro post do Del Debbio.

    Vejo ele como ocultista que largou o seu ego inchado e veio ensinar o povão, hoje a maioria dos ocultistas passam a vida toda dentro de templos em busca de estatus e fama dentro da ordem, mas ele pode esta aqui por motivos mais fúteis só que prefiro acreditar nessa hipotese que falei acima.

  • Elvis Mutti

    No cinema, temos uma seleção de filmes para entender a fascinação por Artur – “Merlin”,”As Brumas de Avalon (a trilogia em livro é excelente)”, “A Última Legião”, “Rei Artur”, ” Em busca do cálice sagrado”.

  • alan

    espada de Tolkien:

    -sim, ela tem um poder especial, pois os espíritos dos mortos temeram a ofensiva dela

    -sim, ela traiu num momento crucial, no meio da batalha com “o cara”

    não sou fã de cabala e acho esse negócio de subliminares exagero certas vezes, mas taí, bom trabalho

  • alan

    mas e o olho de thundera? thunder, thunder, thunder…… thundercats, hoooooooo…

  • Pingback: Merlin, José de Arimatéia e o bardo Taliesin | Sedentário & Hiperativo()

  • MARIA APARECIDA FERNANDES DE OLIVEIRA

    OTIMO…….

  • brenda

    voce ja viu ocapitulo 2 a espada e a bigorna???

  • {Yusuke}

    Eu não sei se mais alguem se lembrou ou ja viu, em chrono trigger na side quest do frogg para obter a masamune tudo isso ocorre a espada esta em uma árvore sagrada que da vida a uma região depois a espada quebra, o maior ferreiro do mundo que é um mago de um povo antigo forja ela e dois espiritos da floresta depois de uma prova dificilima dão seus espiritos e ela se torna MASAMUNE a espada mais poderosa já criada no mundo.

    e tambem todo o ato de Symphony of Enchanted Lands do Rhapsody é isso principalmente emerald sword

  • Gilberto

    PARABENS PELO TEXTO
    MTO BOM MESMO

    SÓ ACHO QUE VC ESQUECEU DE COMENTAR SOBRE A ESPADA DE sÃO MIGUEL.

    E Q ESCALIBUR ESTA HJ AINDA EM AVALON,…

    MAS PARABENS PELO TEXTO E CONTINUE ASSIM, DESSE JEITO VC AJUDA AS PESSOAS A VEREM MAIS UM POUQUINHO ALÉM.

    VC TEM MEU EMAIL
    SE QUISER TROCAR IDEIAS, FICO A DISPOSIÇÃO

    MTA LUZ EM SEU CAMINHO.
    E DEIXE Q SEU CORAÇÃO SEJA SEU UNICO GUIA

    ABRAÇOS

  • Num coment foi perguntado -Dá pra dar uma melhor pista do que fizemos para cair?

    A caida significa nosso princípio divino e imaterial entrando na materia até chegar a materialização completa na terra e depois começar a subida novamente pelo plano pranico, astral e mental com todas as experiencias recolhidas e continuarmos nossa jornada de seres divinos.

    Eu escrevo sobre isso em meu blog esoterismo filosofico e adorei a abordagem deste blog que agora comento.

    @MDD – Resposta perfeita. Obrigado pelo comentário.

  • Urameshi

    Leiam Bernard Cornwell, Cronicas de Arthur.

  • jJoão Neto

    nos cavaleiros do zodiaco, na saga de Asgard, para Seyia despertar a espada e a armadura de Odin ele precisa juntar as 7 safiras que estão comn os guerreiros deuses….CVZ também é cultura^^

  • pat

    achei o texto muito legal bem interessante,mas também varias coisas esta faltando como o theller

  • bob

    achei isto muito infantil pois quero algo mais interessante mais achei legal para crianças adorei o seu trabalho!!!!!!!!!!!
    ASS:BOB

  • robson jesus

    olha eu vou ser bem direto, e muito sincero, A pessoa pra compreende de coração tudo isso ,entende e dá ate mesmo valor a esta historia da exkalibu e ao rei athur , tem que ser uma pessoa divinamente escolhida, essa historia não é pra qualquer pessoa entende.entende que eu falo.É esse conhecimento entra no coração da pessoa, tipo a pessoa que leer ela vai compreende passo a passo como se ela mesmo (a pessoa que leu) como se essa pessoa tivesse vivido essa historia. Assim como a espada era para pessoas pura de coração, e divinamente escolhida assim é a pessoa que lê.o entendimento o entesse a compreenção não entra na mente e no coração de uma pessoa comum,tem que se uma pessoa,igual ao que diz a historia. QUERO dizer que eu aprendi muitocom seus conhecimento sobre exkalibu e o rei athru,vou em primi.que deus te ilumie te de enteligencia cada vez para tode passa um pouquinhopara sa pessoas escolhidas vc me entede…. ass; robson jesus obrigado

  • Pingback: Blog » Blog Archive » Excalibur ou Caliburn()

  • Filipe

    Cara, que post. Finalmente alguém que posta algo de qualidade sobre a árvore da vida, os sete selos e Gilgamesh. Eu estava pesquisando sobre ele e de repente encontro esse post. Parabéns pela alta qualidade do post.