Star Wars e a Kabbalah

Hoje começa o Sefirat ha Omer, um exercício de autoconhecimento realizado todos os anos por hermetistas e cabalistas em todo o Planeta. A Árvore da Vida é um diagrama da Psique do ser humano e carrega dentro dela a essência de todas as religiões, filosofias, artes, psicologia, espiritualismo e ciências.

Em meados da década de 70, dois sujeitos chamados George Lucas e Steven Spielberg reuniram-se com um outro sujeito chamado Joseph Campbell para estudar. Juntos produziram um documentário chamado “o poder do Mito”, baseados no livro de Campbell e logo em seguida, produziriam a trilogia Star Wars.
Não é por sorte ou coincidência que Star Wars se tornou até uma religião. Ele possui todos os elementos essênciais e simbólicos de uma Saga, construída em torno dos conceitos da Árvore da Vida.
Comecemos por Luke Skywalker, o Iniciado Solar (Tiferet), destinado a trazer o equilíbrio à Força. Ele é um nobre que desconhece suas origens e vive em um deserto com seus tios, até ser chamado para um universo muito maior do que o que está acostumado a viver e pensa que é a sua realidade (Malkuth).
A Princesa Léia, irmã de Luke tal qual Ísis e Osíris, é a donzela virginal aprisionada nas masmorras e guardada por seres extremamente materiais, ateístas e mesquinhos, representado na forma grotesca de Jabba, o Hutt. Léia é Yesod, a Lua, nosso subconsciente preso nos afazeres diários que nos impedem a prática da meditação e autoconhecimento. Seu pedido de ajuda é o início da Jornada do herói. Nos mitos antigos, é comum que Sol e Lua, apesar de irmãos, realizem simbolicamente o Casamento alquímico mas, obviamente, isso não seria aceitável pelos padrões culturais do ocidente, então surge a figura de Han Solo.
Han Solo e Chewbacca são faces de Geburah, o rigor, representante dos antigos deuses da Guerra como Thor, Ogun e Ares. Chewbacca é a energia primordial instintiva e selvagem; Han, que atirou primeiro, é o impulso aventureiro.
Para acompanhar o Herói, Lucas adicionou dois protagonistas que permanecem durante toda a saga, os companheiros da Intuição (Yesod/Léia) e formadores do Microcosmos: Hod (a Razão) e Netzach (a Intuição).
C3PO representa Mercúrio, deus da comunicação (“versado em seis bilhões de línguas”), extremamente metódico virginiano e senhor de todos os códigos e linguagens; R2D2 representa Vênus, as emoções, expressas em suas formas arredondadas e sua comunicação impossível de ser compreendida se não for traduzida para palavras por Hod/C3PO. Os dois formam uma dupla inseparável (razão e emoção) e, sem ela, o herói não conseguirá terminar sua jornada.
Ao se descobrir Herói, Luke precisa ainda buscar a peça final de seu treinamento, o Santo Graal, o Caldeirão de Dagda… representado na figura de yod, ou Yoda, a menor letra em tamanho do alfabeto hebraico, mas uma das mais importantes. Yoda representa a figura paterna, protetora e mais poderosa de todos os jedis, tal qual Chesed é representado pelos grandes deuses-pai (Júpiter, Odin, Jeovah, Wotan).
O Sétimo Planeta antes do Abismo é Saturno, ou Daath, na figura de Darth Vader. Para compreender o universo além do Abismo, é necessário olhar para o Abismo e sentir o abismo olhar de volta para você. E então, na transcendência, percebemos que Saturno era apenas o reflexo do Imperador/Plutão (Hades, Dragão, Caronte, Nornes, Parcas, A Bruxa da Branca de Neve).
Saturno torna-se Binah, a Esfera do Controle, o Pilar Restritivo, representante do Império. Sua contraparte é Obi-Wan, Hochma, o Pilar Expansivo, trabalhando no Caos/Rebelião. E A Força Motriz que permeia todo o Mito do Jedaísmo foi chamada de “Força”, representando Kether, a origem.
Cada mito tem o seu tempo, espaço e cultura e deve ser entendido dentro destes parâmetros. A estrutura da Kabbalah Hermética, mais abrangente e completa do que a Cabalá Judaica, nos permite estudar e compreender qualquer cultura em qualquer período de tempo. O estudo da importância e valor atribuído a cada deus (ou deuses) e características destes deuses em cada cultura se torna um espelho daquele tempo-espaço, acompanhando inclusive as mesmas regras da evolução proposta por Darwin. Mitos nascem, crescem, multiplicam-se, modificam-se e eventualmente morrem. Sobrevivem os Mitos mais adaptados.

Marcelo Del Debbio é professor de História da Arte, Semiótica e Religiões Comparadas; autor da Enciclopédia de Mitologia e escreve para o Sedentário semanalmente na coluna “Teoria da Conspiração”.

  • Marcelo, que texto inspirador! Parabéns, pela nova linguagem utilizada… Só senti falta de referências à Joseph Campbell… sem ele… George Lucas não teria trazido ao grande público conhecimentos tão antigos e bonitos…

    @MDD – Campbell é o cara. Todos os seus livros deveriam ser leitura obrigatória nos colégios.

  • Jean Jacques

    Quando li pela primeira nos vez seus textos os nomes “Daath” e “yod” eu automaticamente fiz associação com Star Wars, do iniciado/escolhido – como em Matrix – e de muitas outras perspectivas que se encaixavam perfeitamente! De lá pra cá só aguardava (calado) esse belo post. Parabenizo-te pela excelente iniciativa do que tens feito. Mas saliento ainda: e Star Trek!?! Acho poucos elementos associados. Alguns outros elementos ficam à deriva, sem que eu possa fazer essa conexão. Haverá um post sobre o belo universo de Jornada?

    Live Long and Prosper \V/ Spock

    @MDD – eu conheço pouco de Star Trek, mas creio que ele não teve sua concepção orquestrada da maneira que Star Wars teve. No post acima, não “encaixei” os personagens nos arquétipos, eles já foram projetados para SEREM os arquétipos.

    • Remy

      Vejo Star Trek mais como uma idéia do homem como eterno explorador. E muito do contexto científico que dá a ela sustentação podemos agradecer a maçonaria moderna, e sua busca na ciência como respostas para a existência.

      Lançaram uma semente naquele país, lã em seus primórdios…

  • ah, Marcelo.

    você é uma peça… 🙂

    abraço.

  • Fabio Oliveira

    Han, que atirou primeiro foi ótimo.

  • Dionisio

    Excelente texto

  • matheus

    Caramba, será que nunca mais mais vou poder assistir um filme ou desenho animado sem ser bombardeado por mensagens subliminares?

    @MDD – “nunca mais”… heheheheh como voce é inocente achando que nunca foi…

    • eu de novo

      foi isso q quis dizer…desde sempre….pra sempre. Chato isso nao?
      Tudo o que tiver arvore desde os ursinhos gummy até avatar tem duplo sentido entao?

      @MDD – relaxa… a imensa maioria pega só uns pedaços, não sabe o que está fazendo ou faz inconscientemente… os que sabem o que estão fazendo são aqueles que são sucessos comparáveis com religiões, como Matrix, Star Wars, Harry Potter, Senhor dos anéis… nesses casos voce pode ter certeza que não é coincidencia ou sorte.

      • Vinícius Pedro

        MDD vc já leu a batalha do apocalipse? em breve vai se tornar filme. com sefirat ha omer me interessei uma pouco mais na kabbalah e dá para reparar uma certa influência da kabbalah no livro. o que vc acha?

  • BrunoMais

    .
    Depois da publicação dos anjos cabalísticos, Os Orixás e a Kabbalah o escriba nos presenteia com +1 artigo sensacional.
    Sugiro programar a do Harry Potter para o lançamento do filme,a fim de nos divertimos com os fanboys !

    @MDD – Mas o HP foi construído em cima da Árvore da Vida. É muito nítido isso… vou pensar em um post a respeito.

    • BrunoMais

      Nítido é, escriba iluminado, sugeri a recomendação para programar o post para o lançamento o filme,pelos potenciais paraquedistas,como os desse post !
      [ ]’s

  • Livio

    Sincronicidade do caramba!

    Legal também que Saturno se opõe ao Sol, como na astrologia, onde ele fica sempre oposto aos luminares.

  • Everton

    “E então, na transcendência, percebemos que Saturno era apenas o reflexo do Imperador/Plutão (Hades, Dragão, Caronte, Nornes, Parcas, A Bruxa da Branca de Neve).”
    Como assim Saturo(Cronos) era reflexo de Plutão(Hades)?
    Saturno não era o pai de Plutão?e as Parcas e as Normes porque malignas,seu trabalho era,mas elas em si não eram imparciais?e Caronte não deveria ser o reflexo do Imperador/Plutão.
    Na minha opinião o único que bate é a A Bruxa da Branca de Neve.
    Assim sendo isto continuaria uma transcendência?ou não?
    Achei esta parte confusa,nos elementos,mas em si consegui entende-la,talvez estes elementos não sejam os melhores por sua dualidade.

    @MDD – na Árvore da Vida, até que se tenha atingido a maturidade espiritual para se transcender o Abismo, Daath é regido/representado por Saturno, completando assim os 7 Planetas tradicionais do hermetismo. Neste ponto, Daath é representado por todos os deuses/monstros limitantes (dragão, tiamat, baba yaga, bruxas de contos de fadas, chorozon) e pelas divindades acima das divindades (Nornes, parcas, fúrias, erynias, Nanã). Uma vez vencido, Saturno passa a representar Binah, ou os Aspectos de responsabilidade/limitadores, daí a referência aos deuses da justiça associados à esta Esfera. No caso de Star Wars, Darth Vader aparece primeiro como o “vilão” da história mas, no decorrer, conforme avançamos, descobrimos que o Imperador é o grande abismo.

    • kk

      “descobrimos que o Imperador é o grande abismo.’

      Que a propósito é morto por Darth Vader sendo atirado em um abismo.

  • Eduardo

    Cara, pensando assim o Senhor dos Aneis tb deve ter todos os arquétipos, pensando nisso, encaixar os arquétipos da Árvore da Vida em histórias iria contribuir para seu sucesso, visto que isso iria agradar mais, ou de alguma forma atrair mais atenção para a obra ?

  • Otavio”

    Parabéns pelo belo post tio.
    A resposta ao comentário do Everton sanou as duvidas que ficaram sobre o Darth Vader.
    Recentemente assisti o filme “O Brother, Where Art Thou?” dos irmãos Coen.
    Me pareceu uma jornada pela árvore também.
    Depois deles se batizarem em um rio (Netzach) passarem por uma (Torre) de rádio e encontrarem um ladrão viajante (Mercurio/Hod) tive quase certeza hahahaha
    Vale a pena dar uma conferida filme divertido.
    Abraço

  • Vinicius

    Entendi essa parte de Saturno, por isso na Astrologia ele representa preponderamente “o que te atrapalha” e só nas oitavas altas ele se transforma nas “energias mais levadas à sério pelo indivíduo”, conforme um antigo post seu. Me lembro que num dos primeiros posts esse papel de vilão a ser domado era das sefiras abaixo de Tiferet, conforme o “Jesus, o Ídolo dos Ateus”: o dragão representa os quatro elementos a ser vencidos para reunir Yesod e Tiferet, a princesa e o principe.
    Também explica a confusão que existe com o planeta, uns achando que é Binah, outros que é Daath, na hora de fazer a adequação com todos os planetas até Plutão.
    E olhando bem, explica até uma associação que sempre achei forçada, a lenda de Cronos que após ser derrotado por Zeus, fugiu para a Itália e virou Saturno, a dividade da Justiça e grande legislador, conforme contavam os romanos para justificar o sincretismo.
    Só me surpreendi com os lugares de Yoda e Obi-Wan. Pensei que o Jedi Obi-Wan fosse a figura paterna/Chesed e Yod, sempre transcedente e quase etério fosse Binah, a Compreensão ou Hochma, a Inteligência, ambas em contato direto com a “Força”.

  • necandi

    eu odeio vc que escreve coisas sem sentido! VSF

  • gustavo

    ola marcelo!
    gostaria de receber um convite para o projeto MAYHEM….
    saudações de Palhoça SC
    abraços.

    [email protected]

  • Marcio

    “A Princesa Léia, irmã de Luke tal qual Ísis e Osíris, é a donzela virginal aprisionada nas masmorras e guardada por seres extremamente materiais, ateístas e mesquinhos, representado na forma grotesca de Jabba, o Hutt. Léia é Yesod, a Lua, nosso subconsciente preso nos afazeres diários que nos impedem a prática da meditação e autoconhecimento. Seu pedido de ajuda é o início da Jornada do herói.”

    – Ela estava presa em uma nave do império. Só vai ser aprisionada por Jabba no último filme…

  • alful

    poder do mito veio depois de star wars, não?

  • Vinicius Lira

    Da pra rolar um esquema desse com Senhor dos Anéis? Comecei o livro agora e tô tentando fazer as associações.

  • Zaccone

    Atualmente estou terminando de ler O Conde de Monte Cristo e acabei por notar grandes similaridades entre esse posicionamento e atribuições dos personagens com o livro de Dumas.

    Tem alguma informação se esse livro (assim como outros do francês), foram escritos baseados nessa estrutura?

  • Lucas.

    Pior que quase todas as histórias têm essa estrutura. Será que Tolkien tinha idéia do que fazia, ou ocorreu totalmente inconsciente? Pelo que sei, ele era um católico fanático ( Que não significa que ele não soubesse dessas coisas…).

  • Leon

    “A estrutura da Kabbalah Hermética, mais abrangente e completa do que a Cabalá Judaica”

    Depois de Católicos,Evangélicos,Ateus e mais recentemente Taoistas,vc vai acabar irritando os Judeus xD.

    No mais,ótimo post(apesar de eu ainda ficar boiando de Daath pra cima).

    o/

  • Thiago Becker

    Destruindo Star Wars em apenas um post… que droga.

    @MDD – Voce nao é o Thiago Becker, o mané que foi ownado várias vezes aqui no TdC (fanoso por guardar prints de tudo kkkk) e que agora passa a vida lendo tudo o que eu escrevo em todo lugar e tentando xingar? até no youtube esse zé ruela apareceu. Chega a ser muito deprimente e patético isso. Arrume uma mulher (ou homem, sei lá…).

  • Isadora

    Texto muito interessante. Eu já sabia que Star Wars tinha uma ínfima relação com Joseph Campbell, mas nunca vi analisado dessa forma. Muito bom!

  • Luciano

    P*taquepariu! Sem palavras… sensacional.

  • Jean Jacques

    MDD, não fui tão claro quando disse “se encaixam”. A ideia era exatamente a de serem os arquétipos, mas ao ver de um leigo essa associação não se dava naquela época. Agora sim tenho um milionésimo de conhecimento para ver as coisas de forma diferente.

    Quanto a Star Trek: Assista o episódio de número 26 ( ou no código de produção: 027), nomeado “Errand of Mercy” (no Brasil: “Golpe de Misericórdia”). É um episódio TOTALMENTE baseado na doutrina espírita. Existem muitos outros, mas esse é o de maior destaque para a “comparação”.

    Live Long and Propser \V/ – Spock

  • Gabriel Bagre Lodi

    Hahahaha muito boa!
    Sério, muito bom mesmo!

    Adorei! Hahaha

  • Saulo

    Muito bom. Tio, posts históricos, depois da Maçonaria e Templários, não vão mais rolar por enquanto?
    Valeu.

  • Alessandro

    Mas de acordo com a árvore da vida, me parece, como leigo, que está tudo misturado. Por exemplo, Hochma é a esfera da Sabedoria, então pq ele não é representado pelo Yoda, mas sim pelo Obi-wan/Pilar expansivo? Não entendi vários outros também.

    Mas seria bom traçar um paralelo com Harry Potter e Tolkien, ficaria mais fácil entender por analogia.

  • Juc4

    Nunca esquecendo o poder de inspiração vindo do livro Duna de Frank Herbet de 1963 obviamente…

  • Luana

    Olá, Marcelo!
    Li seu post sobre o Omer, e neles estão presentes apenas 7 dos 9 aspectos da árvore da vida, por que 2 deles ficaram “de fora”??

  • Carlos Gomes

    Artigo interessante.
    Tem aqui mais alguma informação (em inglês): http://moongadget.com/origins/myth.html

  • Johnas

    Caraio, esse Thiago Becker deve ser uma dessas bichas enrustidas a fim de dar pra vc, DD… eu recomendo que voce faça um BO contra esse sujeito agora; vai saber o que um doente mental desses pode tentar fazer contra voce ou a sua família mais tarde. Foi um desse tipo de doente mental que atirou no John lennon.

    @MDD – Relaxa. Está mais pra nerd filhinho da mamãe que só é valente atrás do monitor. Mais prático simplesmente jogar ele na lista de spam e nem perder tempo com isso… do not feed the troll.

  • ThiagoBecker

    mimimi mimimi

  • Vagner

    Marcelo, e o Boba Fett? Personagem extremamente popular entre os fans da série, mesmo com poucas aparições.

    @MDD – Os outros personagens são coadjuvantes na saga, sem necessariamente estarem inseridos nos grandes arquétipos. O que mostrei aqui é o enredo central, que Lucas construiu dentro da Saga do Herói.

  • cristiano

    Muito engraçado…

  • Felipe

    e onde ficam os midi-chlorian? eles são representantes do príncipios akáshicos?

  • Alexander

    Gnosticismo puro. Só isso.
    MDD nao é intelectual. Nao é alguem tentando entender as coisas. Ele é culto e bem informado. Mas ele é acima de qualqer coisa um agente político. Esta comprometido até os ossos com organizações esotéricas.

  • Antenor Carneiro

    Tio deldebbio,
    Quais livros você recomenda para estudar sobre o mitraismo e época de Constantino??

  • Douglas

    Sinceramente, ainda não consegui encontrar um filme/história que não tenha feito um sucesso surreal e que não siga este esquema.

    Será que rola realizar um do “Crônicas de Nárnia”? Assim os futuros papais já vão se preparando para educar seus filhos de maneira “sutil”.

  • Alfredo Carvalho

    O que eu achei mais bacana foi a comparação da dupla C3PO e R2D3 com a dupla razão e emoção. Aliás, achei surpreendente que o R2D2 (um robô que só faz barulhinhos) representa a emoção, mas faz todo o sentido. Muito legal!

  • Thiago Becker

    …Editou again!!! mimimi mimimi mimimi

    @MDD – Caro Thiago Becker, sua falta de educação comigo e com os leitores do blog fará com que seus comentários sejam editados SEMPRE. Só um completo idiota acha que vai obter resultados diferentes fazendo sempre as mesmas ações. Torne-se um ser humano melhor e mais educado e certamente terá espaço de sobra para comentar aqui no blog, criticando ou elogiando, como o Sedentário sempre deu abertura a todos.

    • O Thiago deve ter sangue de Sísifo nas veias… vai ficar uns milhares de anos tentando o mesmo processo até perceber que é um erro.

  • Victor

    O Campell deveria mesmo ser ensinado nas escolas.
    Ótimo texto, DD!

  • Cara, sensacional.

    Agora, quanto ao Star Trek, acho que a concepção original da série era algo do tipo “caravana de cowboys” só que com um pano de fundo espacial.

    Tinha muito a ver com guerra fria, cada raça representando uma peça no tabuleiro de xadrez pós-guerra.

    Eventualmente, um episódio ou outro pode ter alguma conotação cabalística, mas no geral eu acho que não.

    @MDD: que tal fazer um outro post nesse estilo comentando LOTR ou as obras de CS Lewis e o Leão de Judá, ops, Leão Aslam? 😉

    PP

  • Diego

    Sugestão: Pensei sobre os Perpétuos, do Sandman.E a possibilidade de Gaiman ter se “inspirado” na Árvore da Vida ou nos sete planetas principais da Astrologia.

    Primeiro veio Destino, senhor dos limites (Binah)
    Depois Morte (Chesed), que na história é generosa.
    Depois Morpheus (Gevurah), que na história é severo.
    Tiferet: O pródigo, também chamado Destruição.
    Desejo (Netzach)
    Sua irmã gêmea Desespero (Hod)
    E a mais nova dos perpétuos Delírio (Yesod) representada por uma figura infanrtil que vive em um mundo disforme, fluídico e embaralhado.

    • Livio

      Diego, você “só” se esqueceu do segundo irmão, Destruição

  • Douglas Penna

    Apenas como curiosidade. Outro dia ouvi o “Funk do Star Wars”, e durante a música a galera do funk grita “O Jabba é nosso, ahá, uhu!”. Incrível o inconsciente coletivo…

  • Anderson Roberto

    Olá Marcelo, ei quando teremos um post sobre os exercicios da Golden Dawn/Franz Bardon que vc prometeu ? cobranças a parte esse post de Star Wars ficou muito foda

  • Alexandre Nunes

    Muito bom Marcelo, não vejo a hora de conhecer a Arvore do Harry Potter. Pelo que imagino ficaria assim:

    Daath – Conhecimento – Voldemort
    Kether – Coroa – A Magia
    Chokmah – Sabedoria – Severos Snaps
    Binah – Entendimento – Sirius Black
    Chesed – Misericórdia – Dumbledore
    Geburah – Julgamento – Alastor Moody
    Tipareth – Beleza – Harry
    Netzach – Vitória – Rony
    Hod – Esplendor – Hermione
    Yesod – Fundamento – Ginevra Weasley
    Malkuth – Reino – Família Dursley tios trouxa de criaram Harry

  • vanessa

    dificil seria uma arvore de matrix….quer dizer…acho eu rs

  • arthwr

    Muito boa a matéria, sensacional.. Vc poderia fazer mais dessas aki para o S&H XD

  • Caro MDD… Que tal vc postar uma matéria a respeito dos Arquétipos dentro do Filme “O Senhor dos Anéis”. Acho eu que, além de ser muito foda, vai matar a curiosidade de muita gente (inclusive eu)

    PS: Assistir ao Star Wars (antigo) com uma ótica diferente está em uma das minhas próximas prioridades.

    Abraços.

  • Betealves9

    Ótimo, execelente. Gostaria de ler um” post’ sobre o filme o Feitiço de Áquila.