tumblr_lf7wr0P3av1qd3bpeo1_500

Descubra seu novo memesigno

Para saber mais sobre a atualização científica de seu signo de acordo com os memeplexos:

Se você se identificar vagamente com seu novo memesigno, não será preciso recorrer às energias do Trollface para entender isso. U Mad?

É apenas um desvio para confirmação. A partir do momento em que, mesmo por brincadeira, você busca se auto-avaliar para descobrir traços de Filosoraptor, será fácil encontrar aquilo que confirme sua crença e nem se irá notar aquilo que a contradiga. Adicione o fator acaso — talvez você seja mesmo um filósofo — e tem-se tanta margem para acertos quanto qualquer outro sistema arbitrário de adivinhação.

O mesmo se aplica, claro, à astrologia popular e todos os tipos de artes divinatórias. Assim como a astrologia nada mais tem a ver com os astros, estudados hoje pela astronomia, estas artes divinatórias nada têm a ver com prever o futuro, e sim com formas de introduzir a aleatoriedade e a arbitrariedade em processos de auto-avaliação. Descobrir o Forever Alone ou o Trollface dentro de nós e avaliar como estamos vivendo também tem a sua validade.

Isso, claro, na melhor das hipóteses. Mais comumente, são apenas besteira mesmo, tão válidos quanto o zodíaco dos memes ou a Bundomancia.

  • http://www.psychoscrazy.com Brenner

    Pedobear foi sacanagem ><

  • http://www.euserve.com.br fernando

    eu sou troller hhahahahahahahha

  • Yuri

    HAUHAUHAHAUHAUHA

    Eu sou TROLLER, legítimo TROLL FACE…

  • Joe

    Po… a diferença entre os dois. O deldebbio faz um artigo bem elaborado, explicando os absurdos das comparações e das falacias das argumentações dos astronomos quando se metem a explicar algo que nao conhecem e o “cético” posta artigos de piada sobre bundomancia e trollagem…

    @Mori: Os astrônomos não se metem a explicar algo que não conhecem. Se você pesquisar, verá que essa celeuma recente em torno de Ofiúco foi algo criada por um jornalista, por um jornal, em torno de algo que um astrônomo disse casualmente. Aos astrônomos é claro que isso não é novidade alguma, e que a astrologia não se baseia realmente nos astros, e sim em tradições e superstições milenares, todos devem ou deveriam saber.
    Confunde-se muito ciência pelo que a mídia divulga como ciência.

    • JJ

      Errado Joe! O post do deldebbio não explica nada!
      Ele afirma que os astros não tem influência nas pessoas mas não explica que ENERGIA é essa que cria a “predisposição” em um individuo.

      Se você prestar atenção no falatório místico verá que tudo o que eles não explicam é chamado de “energia”. Que energia é essa? Elétrica, magnética, …?
      Enquanto ao Post do Kentaro…valeu a folgação. Tem que rir mesmo de quem abraça a supertição ao invés de fatos!

      • kk

        “Se eu não consigo perceber, não existe. ” – Máximas do egocentrismo humano.

        @Mori: Querer que algo exista só porque se acredita que exista também é uma demonstração de egocentrismo. O que sua crença deve modificar o resto do Universo, a menos que tome medidas concretas? Particularmente, penso que acreditar que o Universo todo é fundamentado em leis de karma, evolução espiritual e tanto mais que têm o ser humano (em formas mais ou menos evoluídas) em seu centro ainda é uma forma de pensamento medieval, anterior à Revolução Copernicana.
        A ciência “materialista” relega o ser humano como um dos muitos fenômenos do Universo, e como comentou o Dr. Alan Manhattan Moore, Marte e sua geologia podem ser tão interessantes quanto um ser humano.
        Mas a ciência “materialista” não é o início e o fim de tudo. Como dizia Kubrick, exatamente porque o Universo é indiferente a nós, devemos criar e prezar por um significado a nossas vidas e a toda nossa espécie.
        O Universo não foi criado para nós, não há leis universais que governem seu destino, mas nós podemos explorar o Universo e podemos encontrar leis que governem nosso futuro. E podemos fazer isso fundamentados na ciência, aplicando-a segundo nossos próprios ideais.
        Há poucas experiências de maior humildade do que compreender a astronomia, que expandiu as dimensões do Cosmos a extensões muito além do que quaisquer cosmogonias antigas jamais puderam imaginar. Porque com a astronomia, através da matemática, podemos codificar e manipular conceitos e grandezas que estão literalmente além de nossa capacidade de compreensão. Não havia nome para a potência de 10^100, de fato praticamente nenhuma cultura antiga com exceção da indo-arábica chegou a algo tão conveniente como o sistema decimal, mas cosmologistas modernos hoje lidam com grandezas ainda maiores rotineiramente.

  • Adriano N

    :(
    Taker… mas eu era o Gloomer
    … feels bad man!

  • Franky Ramone

    AUEHAUHEUAHEUAHEUAEHEA’ Putz meu eu sou PEDOBEAR’

    ;s FUUUUUUUUUUUUUUUUUUU!! D;

  • Leon

    Poxa Kentaro,ouvi o Podcast que vc participou no MDM,e nossa,me surpreendi.O HELL manja mto mais de ciência do que você.

    @Mori: Claro, sempre há pessoas melhores do que você. Sempre. Eu faço, cada um faz, o melhor que pode. Não sou cientista, sou apenas um entusiasta da ciência.

  • glatus

    sou pedobear. bem que eu imaginava que eu sou meio japonês!

  • HudsonDoidim

    Aff, eu sou um “Forever”
    :(

    • Xomano

      pense pelo lado bom, vc não será mais “Forever Alone”, pelo menos nesse quisito!!! huauhahuahu

  • Fuck Yea

  • Ana

    TROLLER kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    eu ja sabia!

  • Cleverson

    Eu sou pedobear hehehehe

  • Lizard, him-self

    Esse post não serve de nada para leitor nenhum. Muito me admira o Sr. que se diz um defensor da lógica tê-lo escrito. Sua falta de criatividade se deve a distância que se criou entre sua consciência e seu Self (Jung knows).

    Essas provocações ente você e o Tio Toth são coisas dignas da Record e da Globo. Rsrsrs. Faça cada um o seu… se algum de vocês puder provar algo para o outro, beleza. Mas como não podem, gastem energia com coisas mais produtivas.

    Post Scriptum: A Astrologia não se baseia “em tradições e superstições milenares”. Nos dias de hoje se baseia sobretudo numa Fé em algo chamado sincronicidade. Outros (como eu) crêem pela lógica mesmo, estudos e testes.

    Abço. Aguardando a volta do Kentaro Mori, não do Nelson Rubens. rsrsrs;.

    @Mori: Se você acredita em sincronicidade, por que não acredita que um horóscopo de memes não pode ser uma manifestação desta? Por que diz que isso não servirá de nada a ninguém? Será mesmo? Eu acho fascinante a ideia de que a astrologia seja sim útil como forma de auto-conhecimento. Como o horóscopo de memes também pode ser, como mesmo a bundomancia talvez seja — em situações diferentes da mãe do Stallone analisando sua bunda e cobrando os olhos da cara, claro.
    Sempre acho curioso que as pessoas de “mente aberta” sejam tão rápidas em mostrar como têm a mente fechada a ideias que não fazem parte de seus sistemas de crenças. Astrologia? Claro! Memes? Bobagem. Sincronicidade? òbvio! Extraterrestres? Duvido.

    • bw

      Não força mori, astrologia não foi criada da noite pro dia como tu ta fazendo com esse horoscopo de memes sem fundamento algum.

      PS: O meme eu nunca tinha visto, gloomer :S

      @Mori: Exato, a astrologia não foi criada da noite para o dia, tanto que até hoje nem astrólogos chegam a um consenso sobre o que seja astrologia. A astrologia continua sendo criada hoje, incorporando para alguns mesmo conceitos como a Sincronicidade, que, ao menos com este nome, é algo novo.
      Neste aspecto, a astrologia tem menos fundamento que o horóscopo de memes, que por enquanto é definido arbitrariamente apenas por essa imagem que repassamos aqui. Mas logo, é claro, surgirão outras versões, outras escolas de astrologia de memes. Perceba que mais anos podem significar menos confiabilidade. Ou tanta confiabilidade quanto havia no início: nenhuma.
      Depois de 300 anos de progresso científico e tecnológico, depois do Renascimento, das Revoluções Científica e Industrial, estamos acostumados a associar a passagem do tempo ao progresso cumulativo. Mas o progresso é a exceção, não a regra. Chineses tiverem bússolas por milênios, mas não desenvolveram a eletricidade. E a maior expansão na qualidade de vida que a civilização chinesa tem experimentado em seus milênios de história ocorreu nas últimas décadas, quando abraçou técnicas muito ocidentais.
      Ironicamente, esta associação do tempo ao progresso decorre do progresso no conhecimento científico, cumulativo, mas é estendido mesmo a conhecimentos que a ciência acabou abolindo, como a própria astrologia, considerada por Einstein como “pseudociência” e “superstição”.
      http://www.ceticismoaberto.com/fortianismo/3408/einstein-sobre-a-astrologia-pseudocincia-e-superstio

      • Cassidy

        Nem liguem caras, já percebi que, quando o sr. Kentaro não consegue encontrar um argumento pra bater alguma explicação dos artigos do DD (ou de artigos astrológicos sérios e com verdadeiros argumentos), ele recorre à trollagem ou ao bullying.

        Por favor, NÃO VENHA dizer que a Ciência não tem contestação dentro das suas fileiras, ela tem e muita. Todas as teorias dela são sempre contestadas por outros cientistas, nenhuma regra da ciência é isenta de contestação. O que ocorre é que, quando uma posição ganha “status quo” no meio científico, é quase impossível para uma pessoa com ideias (e provas) contrárias publicar suas descobertas. Conseguir verbas pras suas pesquisas então…

        O que para você soa como “não chegar a consenso” é o mesmo que dizer “liberdade de debate”. Queria ver a liberdade de debate na ciência oficial quando se apresenta algo como,por exemplo, as descobertas de Wilhelm Reich. Uma pequena pesquisa das descobertas e da vida dele mostra o que ocorre quando uma teoria radical – mas com provas – é apresentada contra a Ciência Oficial.

        Já tivemos pesquisas que mostram como funciona a astrologia verdadeira (que NÃO se baseia somente no signo solar) mostrando sua eficácia, mas você continua a agitar o espantalho da “astrologia” de revistinhas de fofocas e artigos de como se fosse a verdadeira astrologia.

        Tirar barato de uma coisa que está errada desde o início – a astrologia picareta do povão – é fácil. Porque não tenta isso com a astrologia verdadeira, a hermética? E, de preferência, com argumentos sólidos, sem recorrer a piadinhas ou trollagem? Aí sim, você conseguiria o respeito dos verdadeiros estudiosos.

        @Mori: Eu já tentei, já enviei um protocolo de testes ao Del Debbio, mas ele não aceitou o protocolo. Ele quer discutir a metodologia do processo, mas não sabia mesmo o que era um teste duplo cego. A crítica dele aos estudos científicos sobre astrologia é que sejam “de coluna de jornal”, mas praticamente desde o início indiquei a ele um estudo que deixava os astrólogos livres para praticarem astrologia da forma como melhor entendessem, e o protocolo que propus, baseado nesse estudo, também o deixaria (e a quaisquer astrólogos participantes) completamente livre para praticar astrologia da forma como melhor entendessem.
        Mas ainda não se captou bem a ideia da importância do teste ser duplo cego e que as avaliações de “acerto” e “erro” sejam feitas de forma a afastar da melhor forma possível qualquer bias subjetivo.
        Se vocês quiserem que eu conteste todas as colunas do Del Debbio, peçam. Ou provoquem. De minha parte, eu acho que não vale a pena. Este post sobre o horóscopo de memes eu postei porque é divertido, e achei que faria sucesso como diversão. Como está fazendo. Aproveitei e, sim, critiquei a astrologia mais a sério. Mas escrever um post longo sobre a astrologia, já há artigos no CeticismoAberto a respeito, e eu acho que a coluna aqui é mais bacana promovendo ciência do que combatendo pseudociência.
        Mas se quiserem que a gente fique chutando as canelas um do outro, é só pedir.

      • Cassidy

        O Del Debbio já respondeu como seria o tal teste no artigo “A guerra nas estrelas e entrelinhas”, aqui: http://www.deldebbio.com.br/index.php/2011/01/26/a-guerra-nas-estrelas-e-entrelinhas/ , na resposta dada ao Leon.

        Nem vou reproduzir a resposta dele inteira aqui, iria virar spam. Não sou estatístico nem pesquisador: mas, frente ao que ele colocou, não ia dar mesmo pra fazer esse tal teste cego.

        @Mori: A resposta do Marcelo é muito insatisfatória, e a metodologia que ele propõe como mais adequada é simplesmente um convite ao auto-engano. Ele *ainda* não entendeu por que testes cegos são relevantes. A comparação com a genética não é válida: com base em uma amostra genética e fotos, geneticistas SIM conseguirão associar as amostras às fotos com maiores chances do que puro acaso. Pergunte a um geneticista. Há sim muita variação — há pessoas que parecem negras mas têm linhagem caucasiana, e vice-versa — mas é possível sim associar amostras genéticas com características fenotípicas com mais acertos que o puro acaso, *especialmente* se buscarmos selecionar sujeitos que sejam especialmente destacados em características fenotípicas, que é *justamente* o que propus no experimento astrológico, onde buscaríamos pessoas com características fortes de personalidade.
        Mas o Marcelo pelo visto não entende isso sobre genética, como ainda não entende algo tão elementar no método científico como testes cegos. Ele acusa membros da lista de discussão que mantenho de má-fé, sugere a possibilidade de que eu mesmo aja — ou “provavelmente não” de má-fé — e que o experimento seria uma armadilha, quando em verdade apenas eu me responsabilizo integralmente por ele, envolveria acadêmicos e buscaria publicá-lo em um periódico. Duvidar do experimento que propus é duvidar de minha boa-fé.
        Eu cometo erros, mas não atuo de má-fé.
        Finalmente, a alegação de que mesmo que o experimento desse resultados favoráveis à tese astrológica, “não terá valido nada”, é mais uma incompreensão do processo científico. O experimento terá sim seu valor, dentro de sua metodologia, quaisuqer que sejam seus resultados. Por si só, não irá “provar” ou “desprovar” a astrologia. Ciência funciona assim. O trabalho recente de Daryl Bem sobre a parapsicologia tem sido muito criticado por céticos, mas também está sendo reproduzido. Seu autor sabe que seus resultados são apenas uma indicação, e apenas mais estudos permitirão refutá-lo ou mesmo comprová-lo.
        Lamento que ao final o Marcelo não tenha aceito o protocolo, e acuse a proposta de má-fé. Eu não irei retrucar, não irei acusá-lo de má-fé ao recusar participar do experimento proposto. Apenas, penso que ele ainda não compreende elementos fundamentais do processo, e os rejeita precipitadamente.

  • http://www.mptudoshop.com Anderson

    TROLLER hehehehehe

  • S.

    FOREVER ALONE!

    lol, sempre suspeitei disso =x

  • Pingback: ((( TRETA ))) › Horóscopo 2.0 – Novos signos do zodíaco()

  • Cretinus Sapiens

    Você deveria se manter longe dos chans, o seu post já está influenciado pela baboseira, logo logo vai ser a sua vida pessoal….

  • Jhow

    kkkkkkk nossa eu olhei penssando que era coisa seria,quando eu vi kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    meu primo é glomer e eeu troller kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • João

    O Kentaro é troller de certeza hauhuuahuuah

    @Mori: I’m pedobear.

  • lol

    Eu sou o FUCK YEA – E os caras que querem explicar o novo horóscopo ou não são uns trouxas 😉

  • Rafael

    FUCK YEA, eu sou!

  • Yuri

    Vi isso no Dragão na Garagem sobre o “Quem somos nós”, parte 3 e vi esse trecho:

    “Pois Emoto não só não realiza testes duplo-cego como já respondeu em uma entrevista recente que “não entende muito bem esse negócio de duplo-cego”!”

    Achei uma coincidência entre o não-entendimento de Del Debbio que Mori mencionou alguns comentários acima…

    Vc pode querer saber, Kentaro… sempre é importante esclarecer tudo. Seria coincidência não entender o duplo-cego? Não quero insinuar nada, até pq também acesso o sítio do DD com interesse.

  • http://leocrash.wordpress.com/ Leo Crash

    Wooooa… Forever… agora tudo faz sentido!!! LOL

  • EDG

    eu sou fuck yeah….kkkkkkkkkkkkkk

  • Matheus Bello

    Eu sou Uncle Dolaner!!

  • Adama

    ae Mori, posta esse protocolo que tu mandou pro del debbio, me deixou curioso agora

    @Mori: Abaixo. Vale notar que foi uma proposta, os detalhes poderiam ser discutidos e alterados — formato e extensão do questionário, número de voluntários, etc. Infelizmente não avançamos nisso, a proposta continua de pé. Note ainda que a questão de como avaliar os resultados ao final, “por sua relevância estatística”, está quase completamente aberta, os dados do experimento seriam abertos. Finalmente, note-se que nenhuma regra é definida sobre a forma como o astrólogo praticará sua astrologia, desde que se baseie unicamente nos dados de nascimento dos sujeitos, e que seus resultados possam ser codificados em um questionário pré-definido que possa ser associado aos sujeitos posteriormente. Perceba que é um experimento cego ao astrólogo, e também seria cego aos sujeitos.
    ==================

    PROPOSTA

    – Com 20 sujeitos;
    – Com idade entre 30 e 60 anos;
    – Com alguma característica pessoal forte (assassinos, filósofos,
    cientistas, artistas, etc..);

    – Fornecerão data, hora e local de nascimento. Precauções serão
    tomadas para que os dados, incluindo horário, sejam acurados.

    – Os sujeitos deverão ainda responder a um questionário de até vinte perguntas:
    — Dez perguntas de múltipla escolha definidas pelo astrólogo,
    — Cinco perguntas dissertativas definidas pelo astrólogo,
    — Até cinco perguntas de múltipla escolha e/ou dissertativas
    adicionais definidas por mim.

    – O questionário será discutido e definido de antemão sobre sua
    propriedade. Não se pode perguntar, por exemplo, qual seria o signo do
    sujeito (!). Profissão, estado civil e afins, contudo, seriam questões
    válidas, a critério do astrólogo.

    – O astrólogo deverá inicialmente fornecer o perfil esperado com base
    em cada conjunto de dados de nascimento _antes_ de lhe serem mostrados
    os questionários preenchidos pelos sujeitos. Isto é, fará os “mapas
    astrais” de cada sujeito baseado unicamente em seus dados de
    nascimento, e irá preencher os vinte questionários baseado unicamente
    neles. Nas questões dissertativas, irá comentar o que achar
    apropriado.

    – Depois de enviar os mapas atrais e os questionários preenchidos com
    base nos dados de nascimento, o astrólogo receberá finalmente os
    questionários preenchidos pelos sujeitos. Deverá então
    correlacioná-los com os dados de nascimento, e fornecer justificativas
    para tal correlação e a eventual discrepância com os questionários
    preenchidos inicialmente por ele.

    – Ao final, serão analisados seus acertos e erros e sua significância
    estatística.

    • Adama

      Mas cara, se vc prestar atenção, pressupondo que astrologia pode funcionar, esse teste serviria mais pra medir a capacidade do astrólogo em relacionar mapas do pra verificar a eficácia da astrologia…

      isso soa mais como uma avaliação de escola pra “astrólogos” do que um experimento sobre astrologia.

      E ainda tem que contar que a astrologia sendo a “ciência”/superstição/coisa que avalia características psicólogicas e potenciais comportamentais, coisas como profissão, casamento, etc, não podem ser facilmente correlacionadas assim nesse teste. Num grupo de pessoas de 30 a 60 anos, a cultura e ambiente de onde ela vem podem variar muito e influenciam em informanções desse tipo. Seria mais lógico e eficaz se os sujeitos fossem o mais parecido possíveis em aspectos socio-economicos e culturais (vindos da mesma região, da mesma “classe social”, do mesmo sexo e da mesma idade/geração) e o mais diferente possível em relação a “escolhas pessoais na vida”, carreira, estilo de se vestir, se comunicar com palavras, como nos exemplos que vc deu (artista, filosofo, whatever).

      A avaliação ia ter que ser extramemente detalhada. Por ex., um cara pode ser músico/artista e ter ido contra toda a família e desafiado os pais pra ir por essa carreira ou ser guiado pelos pais cegamente e ter entrado na música por ter um avô músico, que era idolatrado pela mãe.

      @Mori: Comentários muito bons. Vale ressaltar que a proposta derivou justamente das alegações do Marcelo sobre astrologia: que não deviam ser como as de jornal, e que não teriam poder de prever o “destino”, mas sim apenas de determinar influências sobre a personalidade (ou algo assim). Daí porque o objetivo desse teste seria averiguar se ele conseguiria associar a personalidade dos sujeitos, a partir de um questionário elaborado por ele mesmo, com a data de nascimento. Acredito que seja exatamente o ponto.
      Com relação às influências sócio-ambientais, eu obviamente concordo que sejam importantes para a personalidade, carreira e tanto mais para uma pessoa. Não só isso, a data de nascimento exerce sim influências sobre a vida das pessoas (vide, por exemplo, os exemplos listados por Gladwell em “Outliers”, fundamentados em literatura científica).
      Relembrando, o Marcelo elaboraria, a seu próprio critério, a maior parte do questionário. Ele poderia perguntar se a pessoa terminou a faculdade, fez pós-graduação, por exemplo. Talvez até permitíssemos que perguntasse em que década a pessoa nasceu, embora se ele solicitasse a inclusão de uma pergunta desta natureza, seus resultados seriam muito menos surpreendentes caso contrariassem a hipótese nula.
      É um protocolo *extremamente* flexível, onde cabe ao astrólogo, ao Marcelo, que também disse que podia elaborar questionários de avaliação de personalidade, enorme liberdade para tentar obter o maior sucesso possível dentro das limitações. Ele poderia praticar astrologia como bem entendesse, poderia definir o questionário basicamente como bem entendesse, dentro de parâmetros razoáveis que não afetassem significativamente o teste da hipótese.
      E isso, combinando os elementos importantíssimos para que um teste dessa natureza seja levado a sério: experimentos cegos, com controles rigorosos, buscano afastar elementos subjetivos (motivo pelo qual o questionário seria de múltipla escolha, por exemplo, com apenas algumas questões dissertativas).
      Ainda penso que seja uma proposta de experimento muito singela e que permitiria explorar muitas questões. De fato, e como também repito, a proposta é muito similar a outros estudos já feitos sobre a astrologia. E eles deram resultados negativos.

      • Gabriel Nunes

        Mori, boa tarde.

        Um fator importante, e que precisa ser muito bem analisado em um experimento desse tipo, é a subjetividade das informações. Conforme mencionado pelo Marcelo em diversos posts sobre astrologia, o Mapa Astral indentifica as potencialidades e as vocações da pessoa, e essas potencialidades podem ser usadas de milhões de formas, porém ainda dentro do mesmo escopo.

        Por exemplo, o próprio James Randy, citado por ele no post, cujo mapa identifica potencial favorável a um ator ou artista performático. O cara é um “cientista”, sim (é um termo que eu não gosto de usar levianamente, assim como “cético”), porém, o comportamento dele, a personalidade dele, e EXATAMENTE de alguém que gosta de aparecer, de se expor e de ser o centro das atenções. A análise do Mapa estava errada? Eu acredito que não, porém, quando tentamos definir alguma coisa em poucas palavras, elas vão se limitando.

        Da mesma forma, existe A FORMA como os potenciais são aproveitados. A maioria dos Mapas, quando analisados, procuram levar em conta os potenciais e vocações POSITIVOS das pessoas. Por exemplo, fulano é um excelente comunicador, beltrano possui muita sensibilidade e empatia com os outros, ciclano tem grandes potenciais militares. Não significa que a pessoa vai seguir dessa forma, pois o ambiente e a criação vão influenciar MUITO o desenvolvimento. Um “excelente comunicador” pode se tornar simplesmente um mega fofoqueiro, ou um manipulador. Alguém com “grande empatia pelos outros” pode se tornar um pai ou mão superprotetor, e que passa a mão na cabeça de quem gosta, independente do que fez, ou o “militar” pode se tornar simplesmente um pai ou professor extremamente autoritário e que nunca admite estar errado e não suporta ser contestado.

        Tudo isso, infelizmente, faz parte da análise e dos potenciais. O grande problema, é que qualquer pequena diferença desses aspectos ou se as análises forem mais abrangentes e menos específicas em suas definições, ou os “céticos” em relação a astrologia vão acusar de ser baboseira, como já fazem, ou vão acusar quem fez o Mapa de ficar distorcendo os dados para se encaixar no que é mais cômodo para ele.

        Possivelmente essa é uma das razões pelo Marcelo não ter aceitado a proposta. Conforme cansamos de ver em diversos sites e publicações “céticos”, mesmo falando sobre pesquisas ou descobertas científicas “oficiais”, as pessoas estão sempre prontas a cavar qualquer possível “erro”, para validar suas crenças (ou descrenças) e refutar os demais.

        @Mori: Por isso propus que a avaliação de acerto e erro fosse OBJETIVA. Por isso propus que ele elaborasse um questionário em que a maior parte das respostas sejam de múltipla escolha, e não dissertativas. Caso ele aceitasse o formato de questionário, o acerto seria simplesmente o acerto na previsão da resposta à pergunta feita no questionário. Poderíamos conceder maior liberdade com questoes oferecendo respostas em escalas, e a análise estatística de acerto e erro seria contínua, não discreta. Seja como for, a metodologia, o critério de acerto ou erro é definido de antemão, e aplicado então depois da coleta de dados, rigorosamente. Não se poderá (ou ao menos, não se deverá) discutir interminavelmente sobre se uma resposta foi um acerto ou erro se a metodologia, se o formato de coleta e análise de dados for definido de forma bem planejada. Como repito, tão ou mais importante que ser um teste cego, é que a avaliação de acertos e erros seja objetiva, com critérios claros e nada ambíguos.

        Gostaria apenas de acrescentar que a minha vida inteira eu fui um cético. A minha vida inteira eu tive exatamente o mesmo pensamento que você expõem aqui, em relação aos seres humanos serem tão relevantes ao universo quanto os animais, plantas e pedras. Nunca tive religião e até hoje, considero religiões dogmáticas, como instituições, um câncer na sociedade humana (é impressionante que, quanto mais violenta nossa sociedade se torna, mais igrejas surgem em todo canto, e o mais impressionante é que apesar de todas as igrejas, a violência só aumenta).

        @Mori: Nós somos uma forma do Cosmos conhecer a si mesmo. Animais, plantas e pedras contribuem muito pouco nesta tarefa. Até onde sabemos, somos as únicas formas de vida em centenas de bilhões de quilômetros que se pergunta se está realmente só em bilhões de anos-luz.

        Porém, recentemente, acompanhando tanto os seus posts como os do Marcelo (geralmente mais por curiosidade) eu comecei a ler o TdC com mais cuidado, analisando o que é exposto e a forma como é explicado, e apesar de todo meu ceticismo, eu vejo MUITA coerência no que o Marcelo escreve. Acho que ele se desmede um pouco com as respostas agressivas às vezes, mas em relação ao CONTEÚDO, tem me aberto muitos horizontes, e muitas novas realidades que antes eu ignorava, mas atualmente eu consigo relacionar com minha vida, ou, no mínimo, ter consciência de que elas podem ser verdadeiras.

        @Mori: Marcelo Del Debbio é um consagrado autor de RPG. Ele consegue encaixar e aproveitar conceitos e ideias diversos, concatenando-os em uma narrativa que parece razoável. Mas se você acreditou nas teorias que ele forneceu sobre as pirâmides, sobre a astrologia e os astros serem apenas ponteiros de um relógio cósmico ultra-preciso de engenheiros de karma, e tantas outras ideias dignas de ficção, é porque está levando a sério ideias de ficção. Em verdade há incoerências e simples fatos elementares que contradizem tais ideias.
        No caso das pirâmides, por exemplo, quando apontei que havia a marca de Quéops acima da câmara do Rei, Del Debbio primeiro insinuou que seria uma fraude, depois admitiu que é autêntica, mas que isso apenas signficava que os egípcios “reformaram” a pirâmide a partir daquele ponto. Ocorre que para “reformar” a pirâmide a partir daquele ponto é preciso manipular os mesmo blocos de dezenas de toneladas que ele alegou serem feitos impossíveis aos egípcios.
        No caso da astrologia, o Marcelo insiste que as órbitas dos planetas podem ser traçadas com precisão absoluta, em um relógio cósmico atravessando a eternidade. Em verdade, a órbita de todos corpos celestes está sujeita a variações e precisam ser corrigidas periodicamente, não raro através de observação direta. Estude-se, por exemplo, o caso de Plutão, sua órbita é de fato caótica, em períodos de meros milhões de anos é imprevisível.
        Recentemente li que Del Debbio alega que minha proposta de associar mapas a questionários respondidos é tão absurda quanto associar amostras de sangue a fotografias e, especificamente, cores de cabelo. Para azar dele, cientistas anunciaram sucesso superior a 80% em associar cores de cabelo a amostras genéticas:
        http://cienciahoje.uol.com.br/noticias/2011/01/cor-do-cabelo-revelada-nos-genes
        Enviei esse comentário ao blog pessoal dele, mas ele não foi publicado. Segundo o Marcelo, talvez tenha caído na caixa de spam. Mas ele ainda não parece tê-lo encontrado. Estranho.
        Estou assumindo este tom de confronto direto, que havia abandonado há tempos, porque o próprio Marcelo passou a questionar minha boa fé e acusar o que faço de “cheirar a picaretagem”. É uma pena.

        Astrologia é verdade? Funciona? Não sei responder isso, o que sei é que o pouquíssimo que eu comecei a estudar sobre ela, me ajudou a perceber MUITAS coisas sobre mim mesmo e sobre as pessoas ao meu redor. Especialmente se combinada com outras ferramentas de auto-conhecimento (nada de esoterismo, apenas estudo mesmo. Eu não acredito em duendes nem em ondas quânticas espirituais).

        @Mori: É exatamente o que eu escrevi no post sobre Memesignos. Que a astrologia pode ter seu valor como ferramenta da auto-conhecimento.

        Grande abraço, e espero que em algum momento, vocês dois consigam tocar adiante esse projeto, pois acho que, se feito da forma correta, seria de GRANDE valia, tanto para a Astrologia, quanto para a Ciência ortodoxa.

        @Mori: Há mais de dois anos venho fazendo a proposta, pedi que o Marcelo se informasse sobre a importãncia de testes cegos, das falhas em outros estudos astrológicos — exatamente iguais aos que ele aparentemente conduz ao invés — e tentei explicar por que a proposta que fiz foi feita dessa forma. Mas ele já a rejeitou, alega que a proposta que fiz é original de Randi. Não é, em verdade.

  • Felipe

    Astrologos deixem de ser bundões, por Odin!
    FUCK YEAAAAAAAAAAAAAAAAA

  • João

    Só fazer um desabafo. Estava discutindo astrologia com um amigo meu, eu sou cético e de touro. Isso realmente não ajuda! Eles ficam a argumentação inteira jogando na minha cara que eu sou igual ao meu signo e é impossível ter uma discussão onde eles não debochem de mim. LOL

  • bruno

    LOL
    eu sou um loller

  • http://www.deldebbio.com.br(huahua) Lizard, him-self

    Kentaro, como percebi que o Sr. não conhecia o assunto (não sendo a psique humana alvo principal dos seus estudos) mando aqui um artigo da wikipedia sobre a Sincronicidade. O conceito ao qual o Sr. se referiu como sendo “novo”, tem uns 80 anos já.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Sincronicidade

    Seriam situações ou “coisas”, rs, que se relacionam não por um efeito causal, e sim por significado. As coisas têm significados, como seu “horóscopo de memes”. A diferença é que o seu foi feito sem Inspiração nenhuma, foi algo feito só para provocar outras pessoas e fazer outras dar risada. Algo passageiro. Não algo que vai durar algumas Eternidades.

    Quando os Significados duram, quando são “Significados Eternos”, essas imagens ficam no Inconsciente de cada um de nós, esperando pra vir a consciência. E Ocultismo, é descobrir o que está no escuro; assim como a Ciência.

    Um cheiro da Bahia……. ☼:P

    @Mori: Copiar a wiki-pt, é complicado, embora, sim, essa seja uma definiçao de sincronicidade. É um conceito novo, releia o contexto em que usei o adjetivo “novo”. A astrologia é milenar, de fato. Antes de Jung, Kammerer também sugeriu a “Lei das Séries”, basicamente o mesmo, mas de forma mais explícita como um fenômeno natural e não algo subjetivo.
    Provocar pessoas e fazê-las dar risada é inspirá-las. O próprio Marcelo costuma provocar as pessoas em suas colunas, é surpreendente que ele e entusiastas de seu trabalho critiquem um post como este por provocar as pessoas. Eu nem coloquei o Sérgio Mallandro.
    O horóscopo de memes não durará eternidados, mas tampouco a astrologia. Se você mesmo a enxerga sob a ótica de Sincronicidade, se astrólogos hoje são capazes de dizer que ela nada tem a ver com constelações, que “nunca teve”, a astrologia de hoje já é bem diferente do que foi no passado.
    E sob este critério, podemos estar certos de que Trolls continuarão existindo pela eternidade. Algum problema?

  • Sagi

    “Profissão, estado civil e afins, contudo, seriam questões
    válidas, a critério do astrólogo.” <<<

    Desde quando o que você faz ou como você vive representa quem você é? Na minha opinião pesquisas sobre astrologia não funcionam!!!!!!! Primeiro, astrologia é algo muito pessoal, a interpretação perfeita do mapa de uma pessoa só pode ser feita por ela mesma… Um mapa astral trata de questões pessoais muito profundas. Não de coisas superficiais como "o que eu faço", "como ganho dinheiro", "o que gosto de fazer" é oq chega + perto…….. rsrs…..

    E astrologia é pra quem acredita num caminho espiritual, numa busca por uma melhora interior infinita! Quem não acredita nisso infelizmente não poderá experimentar as coisas que quem crê nisso irá experimentar. Peace……

    @Mori: Leia os mapas astrais que o Marcelo divulga, onde o que as pessoas fazem e como vivem representam o que elas seriam com base na astrologia, com impressionantes acertos. É para testar essa astrologia específica, diferente da que outros astrólogos praticam (há incontáveis “astrologias”), que propus o experimento.
    Seu posicionamento de que a astrologia é algo que não pode nem deve ser testado é válido e coerente. Novamente, o Del Debbio defende que ao contrário, a astrologia sim permitiria resultados concretos. Mas apenas em condições em que há margem para erros de avaliação. O experimento que propus objetiva justamente eliminar estas falhas metodológicas.

  • Pai Yoda de Dagobar

    “Não tentarás o Senhor teu Deus!” Dt 6,16

    Se for feito um teste para a Verdade da Astrologia verificar, sempre falhará. Nunca haverá resposta. Pois o Caminho Espiritual só flui com a Fé. A dúvida grande empecilho se torna para as conquistas do ser humano. Grande perturbação ela é. Acredite se capaz você for.

    Adeus, e que a Força permaneça com vocês.

  • Lizard, him-self

    Affs… A Astrologia vai acabar, sim, pra você! Aliás ela nem funciona, não existe, não serve pra nada, mas você a adora. Você é que nem o deus da Igreja Universal que não vive sem o Diabo pra atacar! Sua vida é isso; e vai continuar sendo isso até o fim? Daqui a muito tempo você vai morrer, sua consciência vai se extinguir (é isso que você prefere, medroso!) e parabéns, Astrologia não funciona, “blablablabla, pessoas não acreditem nisso, blablabla, don’t works, blabla… ad perpetuam” Que saco.

    … Se bem que até Jesus perdeu a paciência uma vez. Deus, dai-me paciência, ow pai!

    Trolls existirão pela eternidade. Nisso nós definitivamente concordamos.

    Wonderland waits me……. wuuuuhhhhhh………

    @Mori: Leia de novo o post, onde deixo claro que a astrologia, como outras artes “divinatórias”, pode ter sim sua utilidade. U mad? Fuck yeah.

  • http://lobosdaestepe.blogspot.com Felipe Metal

    Acredito que o que o rapaz quis dizer foi que seu post não inspirou alguém do mesmo modo que a 9 de Beethoven, o Réquiem de Mozart, as passagens do Dharmapada, o Sgt. Peppers dos Beatles, ou o Ride the Lightning do Metallica costumam inspirar. Essas obras vêm direto da inspiração do Fogo Divino!!! BURN!

    @Mori: Certo, mas a astrologia costuma inspirar as pessoas como a Nona de Beethoven? Penso que não. Ela não foi nem suficiente para ajudar o rapaz a discutir civilizadamente, já perdeu a paciência, muito rápido.
    E se alguém acha que eu queria inspirar alguém como Mozart postando um horóscopo de memes, isso não parece fazer qualquer sentido.

  • http://lobosdaestepe.blogspot.com Felipe Metal

    Ele deve ser louco o coitado. rsrsrs……

    Mas você acabou de concordar que AQUELAS OBRAS VIERAM DIRETO DA INSPIRAÇÃO DO FOGO DIVINO! Isso é um bom começo. 😀

    @Mori: Cada um tendo sua própria definição de fogo divino, está valendo. Eu não acho que Metallica é tão bom assim.

  • http://lobosdaestepe.blogspot.com Felipe Metal

    Qual sua definição para o Fogo Divino que Inspira as pessoas Kentaro?

    Uma reação físico-química que acontece no cérebro quando os dendritos recebem sinais que são trazidos através de impulsos elétricos (excitatórios ou inibitórios) trazidos por outras milhares de células através dos neurotransmissores que se encontram nas sinapses nervosas? Sim. Isso é o Fogo Divino. Em todo seu poder. Uma hora vc entende…….

    P.S.: O Fogo Divino é igual em todos nós, só que enquanto uns têm uma vela outros conseguem o Sol inteiro, mesmo que por alguns momentos. Aí está a diferença entre “Juras de Amor” do Calipso …

    e “Voodoo Child (Slight Return)” do Jimi Hendrix;.

  • Thiago Becker

    Kentaro eu vou te dizer uma coisa, não há nada que o Deldebbio odeie mais do que pessoas capazes de coloca-lo contra a cruz. Eu mesmo já passei por isso aqui no site. Já postei na coluna dele e algumas vezes e ele editou meu comentário e reescreveu o que eu disse. Isso é deprimente. Já fui inclusive xingado de gay pelo próprio, aqui no Sedentário, tenho o print para provar. Ele fala de meditação, conhecimentos antigos, auto-conhecimento e age dessa forma? Isso prova que ele vende um produto que ele não compra, também conhecido como hipocrisia.
    Inclusive desafiei ele para debates e ele recusou. Não ligue para esses comentários, se duvidar a maioria deles é postado pelo próprio Deldebbio,não duvido nada. No site dele ele vive citando o seu nome. Na boa, acho que você incomoda o cara. Acho a sua coluna fala muito mais sobre falcatruas conspirações do que a coluna dele, que tem o nome TdC e fala de magia sexual e astrologia.
    Acho que tocar na feridas desses tipos sempre é bom, mostra quem eles realmente são, no caso do Deldebbio, um medroso.
    Não ligue para as trollagens do mesmo ou de seus seguidores.
    Kentaro você escolheu um caminho difícil, lidar com charlatões e farsantes, mas o executa com maestria. O fim desses caras sempre é o mesmo, o problema é a galera que eles enganam no processo (adolescentes e adultos com baixa auto-estima).

  • Claudio

    O link para a origem dos memes foi muito bom! Curti o post, o 4chan merece um artigo explicando aquele forum bizarro.

    Mudando de assunto, é compreensível que não fique muito elegante uma coluna atacando a outra (euaheuaheha), mas ficar com só um ponto de vista sobre um assunto é tão errado quanto. E de debates a ciência é feita!

    A astrologia não inutil não.. já recebi umas indiretas graças a ela.. o/

    ;D

    t+

  • J

    Accepter então, desafio aceito.

  • adriano

    Ai meu meodels Pedobear

  • Douglas Penna

    Olá, Kentaro,

    Como estudante de astrologia, um dos meus maiores interesses é conseguir colocar ela à prova de maneira científica, tentando correlacionar os tais indicadores. Sempre fui um cético, e realmente fiquei impressionado com o mapa astral que fiz meu, primeiramente tentando entender o que significavam aqueles planetas e signos.

    Não satisfeito com essa leitura pessoal, por achar que eu estava me influenciando, fui pegar um livro de uma autora do assunto (Liz Greene, em particular) e fui ler as interpretações delas para aqueles planetas do meu mapa, para tentar tirar a influência minha da análise.

    De fato, foi muito surpreendente, e hoje, mesmo não conseguindo provar, fiquei com a pulga atrás da orelha com a Astrologia, da mesma forma que você ficou quando fez aquela brincadeira dos 3 mapas (e que até publicou no seu site).

    Até hoje fiquei esperando a proposta do experimento, e hoje que vi nesta coluna achei que faltou muita coisa. Vou tentar colocar de forma clara, para que possamos discutir os pontos e tentar chegar em um DoE melhor.

    1) Tamanho da amostra
    O primeiro ponto que não considero válido é este tamanho, pois é muito curto… A menos que tomemos a análise de um fator apenas. Porquê? (vou tentar diminuir ao máximo o palavrório científico) Se formos analisar a astrologia proposta pelo Del Debbio, existem 7 planetas pessoais, 3 transpessoais, fora os signos e casas…

    Levando em consideração só os planetas e os signos, seriam 10 fatores (Sol, Lua, Ascendente, Marte, Vênus, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão). Caso seja usado o sistema de casas também (o que é importante… mas poderia ser omitido) já seriam 20 fatores. Para conseguir realizar um experimento fatorial, que conseguisse analisar não só a influência de cada um deles, como também todas as interações existentes entre cada um, seria necessária uma quantidade proibitiva de dados caso quiséssemos ter um resultado razoavelmente confiável (60%, por exemplo, nem é pra colocar tanto…).

    (continua…)

  • phink

    MAMÃE!!SOU TROLLER 😀

  • Douglas Penna

    (… continuação)

    Dessa forma, em vez de analisar todo o mapa de uma pessoa, eu me prenderia em um fator apenas (um planeta em um signo) ou no máximo dois fatores (um planeta nos signos e casas).

    Assim a gente poderia ter alguma validade para o experimento em questão, no meu ponto de vista. Senão, é como alguém já comentou acima, o experimento serve apenas para ver se o astrólogo em questão é bom ou não.

    Acho que acabei misturando tamanho da amostra com número de fatores… mas os dois estão muito relacionados mesmo.

    Antes de colocar os outros pontos, vamos tentar discutir este, pois senão será uma poluição muito grande de informações, e não terá foco.

    Abraços,

    Douglas Penna

    @Mori: Comentários interessantes, Douglas. O formato da proposta que fiz, como enfatizo, deriva das alegações do Marcelo. Como ele sempre insistiu que a “astrologia hermética de verdade” que ele pratica é diferente da popular, e como eu quis deliberadamente me distanciar de discutir o que seria astrologia, centrei o experimento em algo simples: se o astrólogo conseguirá associar um perfil de personalidade com um mapa astral, condendendo-lhe a máxima liberdade possível para definir como o perfil de personalidade será traçado, bem como na forma como o mapa astral será realizado.
    Desta forma, como você bem notou, o que estaremos testando será a astrologia particular praticada pelo astrólogo, e principalmente se ele não detalhar a metodologia que usou, o teste será apenas do astrólogo. Contudo, idealmente, eu pediria que o astrólogo detalhasse os critérios objetivos que usou para elaborar os mapas e associar os perfis, de forma que o experimento sim testaria a astrologia de forma mais ampla.
    Abordar a astrologia como um sistema objetivo e pré-determinado, centrado em fatores mais simples (como as pesquisas de Gaucquelin, sobre Marte e esportistas), já implicaria em um protocolo bem diferente. Como o Marcelo recusou a proposta que fiz, posso, podemos, trabalhar em um outro protocolo com outras hipóteses e controles.
    Note que a proposta que fiz teste uma hipótese simples: se um astrólogo pode associar perfis de personalidade a mapas astrais com sucesso. Como ele poderia fazer isso é secundário. A outra abordagem parte de uma metodologia que pode ser mais simples, mas o teste de hipóteses será muito mais complexo.
    O tamanho da amostra, por certo poderia ser estendido. O número de 20 sujeitos foi apenas uma sugestão inicial. O número foi pequeno porque pode se mostrar trabalhoso obter vários assassinos, prêmios Nobel e afins que estejam dispostos a participar do experimento e responder a um questionário que poderá conter questões muito pessoais. A proposta que fiz tem como elemento importante que os sujeitos tenham características de personalidade fortes, e não que sejam apenas 20 sujeitos aleatórios pouco destacados.

  • Pai Yoda de Dagobar

    Thiago Becker. Como mariquinha você age, reclamando, choramingando. Nada contra os gays, uma escolha passiva é ficar do lado rosa da força…….

    kkkkkk… That was classic! 😀

  • Edge

    Não seria melhor um teste onde uma pessoa teria que ler no mínimo dois mapas astrais, sendo um dela e outro aleatório, onde só houvessem as descrições, sem as indicações (como lua em touro, essas coisas), e a pessoa diria qual se aplica melhor a si?

    Não se diria que um dos mapas é dela.
    Poderia-se, também, juntar dois mapas em um e pedir para a pessoa ir destacando quais trechos a descrevem melhor (talvez até pedindo para ela colocar em uma escala o quanto o trecho está acurado). Ou entregar mapas que nem são dela.

    Mas melhor do que tudo isso: Del Debbio diz que possui sonhos lúcidos quase todas as noites, e ele aparentemente domina projeção astral e tudo aquilo. Certamente ele deve conhecer alguém que domina ainda mais isso. Por que não pedir para ele ou para essa pessoa uma sessão onde se projetariam e um papel seria colocado sobre seu peito, com uma palavra escrita de forma grande e clara, e quando eles retornassem da projeção, dissessem qual é a palavra? Um teste incrivelmente simples, rápido, sem custos, e que demonstraria de forma bastante clara algo paranormal. O que acha, Mori?

    @Mori: Muito bom, Edge! Na verdade, há mais coisas do protocolo que planejava do que o que propus ao Marcelo, aquela era apenas a proposta inicial e fundamental. Caso ele a aceitasse, um complemento seria que, como você sugeriu, que os sujeitos recebessem não apenas os mapas astrais preenchidos pelo Marcelo de acordo com a data de nascimento, como que também recebessem outros mapas atrais, e os ordenassem na ordem dos que mais lhes pareceriam corretos.
    O Marcelo não seria o único a preencher os perfis com base na data de nascimento. Teríamos outros voluntários tentando preencher tais perfis (sem usar astrologia), bem como teríamos ainda perfis preenchidos aleatoriamente.
    Com relação a testes de projeção astral, o que você descreveu é um experimento básico, já realizado inúmeras vezes. Nunca se obteve resultados relevantes de testes devidamente controlados. Se o Marcelo aceitasse participar deste teste, eu, claro, adoraria participar e ajudar a garantir o rigor nos controles.

  • F.M. Caboclo de Ogum encostado

    KENTARO!!! POR QUAL MOTIVO VOCÊ NÃO VISITA NOSSO TERREIRO UM DIA? O MARCELO JÁ CHAMOU OCÊ, APAREÇA NUMA GIRA DE EXU. HUAHAUA…

    @Mori: Eu ainda vou, agradeço mesmo o convite. Não imagino que seja tão urgente assim, uma colega fez sua tese de doutorado sobre terreiros de umbanda, é parapsicóloga, e reconhece que ainda não há evidência confirmada do paranormal. Se ela fazendo sua tese não encontrou, não acho que eu vá encontrar.
    Mas algum dia ainda vou, sim.

  • Felipe Metal

    Primeiro que lá dentro não acontece nada de fora do normal. rsrs. Segundo o que você chama de evidência? Você queria literalmente ver o médium entrar em perfeita harmonia com aquela vibração através do seu mental? Vc queria ver um espírito de luz descendo ou subindo e entrando no corpo de alguém? Ou assistir a um Kame-Hame-Ha ao vivo?

    @Mori: O Marcelo disse que dependendo eu veria “coisas”. Não sei o que seriam. Eu também penso que não haveria nada de paranormal. Mas já que você perguntou, eu gostaria de ver um Kama-Hame-Ha ao vivo, sim. A sério.

  • Morpheus G;.M;.

    Mori, you are a waste of time. A waste of sand. You can’t see nothing above, or below.

  • Darth Vader

    Mori, sua falta de Fé é perturbadora.

  • Cabocla de Nanã

    O Kentaro é assim, o rapaz faz uma pergunta e um convite e ele responde cheio de si, querendo provar mil coisas. Foi só um convite, não para você detectar nada, só para conhecer o trabalho, ver como é. Você quer encarar tudo como um desafio?

    @Mori: É que o Marcelo escreveu no blog dele que eu dei desculpas esfarrapadas para não ir, o que evidenciaria minha ignorância e má vontade sobre o tema. Queira ou não, há uma contrariedade aqui, e pela forma ele convidou pensei que estivesse ligado aos convites anteriores do Marcelo.

  • Victor

    Boa discussão, mas é mais uma daquelas discussões intermináveis onde ninguém vai chegar a uma conclusão ou mesmo mudar de ideia.
    quem sabe aquilo que sabe e sabe também o que não sabe é digno daquele que sabe, ou alguma merda desse tipo

  • http://www.formspring.me/leehmarinho15 gothic

    Loller; uhuuuuuuuuul

  • Bruno

    FFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFFucker aaaaaaaaaaaaaaaa

  • http://noticiasdobill.blogspot.com Gabriel

    Muito engraçado a nova tabela de signos… eu sou um fucker! UAHSUASUH muito bom.

    Interessante o DD ter se negado a participar do teste.. isso parece ser algo comum entre defensores de astrologia, paranormalidade etc… engraçado é que o DD se posta de bonzão, do grande conhecedor dos segredos do universo, mas corre de um simples teste. E vi algumas pessoas reclamarem disso.

    Eu desisti de tentar postar nas colunas dele, pois ele costuma censurar meus comentários, mesmo que sejam válidos (nunca xinguei-o, ou algo de baixo nivel).

  • Delilian

    Acho prudente o Marcelo não ter aceito o teste do jeito que foi proposto. Pelo que entendi vai testar mais a habilidade do astrólogo do que o método usado. Daí qualquer falha no teste ou qualquer resultato insatisfatório é queimar o cara na fogueira. Disso pra uma matéria num “Fantástico” é um sopro, consigo até imaginar o nome da matéria, talvez mais medonho que na Veja, e possíveis acusações de charlatanismo. Ninguém que leva um estudo a sério quer ser queimado assim, seja cientista ou pseudo-cientista.
    Acho importante um teste sério sobre o assunto, principalmente quando um sujeito crítico como o Marcelo diferencia o método dele de uma astrologia tautológica de jornal.
    Eu mesma tenho muitas curiosidades sobre o assunto, por exemplo, se para fazer um mapa preciso do nome da pessoa, data de nascimento, local e hora, a partir desses dados chego num resultado. Se no decorrer da minha vida eu (hipotéticamente) resolvo mudar meu nome no cartório, as pessoas vão começar a me chamar por outro nome, isso quer dizer que minha personalidade, quem eu sou, pode mudar junto com o meu nome? Ou outro exemplo, se fui registrada por um nome, mas durante minha vida toda as pessoas me conhecem e me chamam por outro nome, qual dos nomes irão definir minha personalidade? os dois? Bom sei lá, tenho, como a maioria das pessoas, muitas dúvidas quanto astrologia.
    É interessante que algum astrólogo sério apresente um trabalho científico sobre o tema. mas duvido que encontre algum disposto a se expor no meio do tiroteio de graça. Posso dar uma sugestão, não sei se é muito louca, mas já que o Kentaro se importa tanto com o assunto, por que não aprende o método e faz os mapas ele mesmo pro teste (hehe … um legitimo caçador de mitos)? Não se se isso é viável ou se levaria muito tempo pra aprender a fazer mapas, mas fica aí minha sugestão.

  • Adama

    Queria dizer que eu sou particularmente interessado nesse teste pq estudo astrologia faz 2 anos e meio e sou leitor do marcelo e faço parte do mayhem, queria muito ver os resultados.

    Kentaro, já pensou em estudar astrologia e descobrir por si?

    e sobre projeção astral, a coisa não é tão simples e mecânica quanto alguns parecem estar pensando. Eu queria muito poder dizer alguma coisa sobre isso, mas a teoria é ainda escassa e acho que se deve começar pela prática pra entender melhor, e até hoje eu só tive uma experiência nisso (me pareceu bem real até onde eu fui). Mas o que eu posso garantir que não é tão simples quando decidir se levantar de uma cadeira e pegar um copo d’água.

    ainda sobre projeção astral, se tiver alguém interessado em aprender mais, recomendo esse site http://www.viagemastral.com/site/ . O cara que tem um vocabulário hippie e é voltado pra evolução espiritual, mas é bem sério e tem muito senso crítico. Ele já parte do pressuposto que as projeções de consciência são fenômenos reais e lida mais com o lado prático, ajudando pessoas que querem aprender a se projetar. É muito bom, recomendo pra quem quer busca esclarecimento ou só tirar a prova, pra pelo menos saber se tá tirando a prova do jeito certo.

    boa sorte com o que vier

  • http://www.twitter.com/mayara_23 Mayara

    O meu é Fuck yeah 😀

  • Cal Tamoio

    Sou Phylopher!

  • Preta-Velha de Iansã

    Esses desafios não significam nada. Vocês deveriam gastar seu tempo com as coisas em que acreditam, não com as coisas em que você não acreditam. Eu gasto meu tempo aqui por que acredito que em algumas situações posso ajudar a esclarecer certas questões, e talvez, deixar as pessoas mais leves. E vocês, acreditam em quê?

    Abço. +++++++

    @Mori: Não era um desafio, era uma proposta de experimento. Achei interessante o mapa astral que o Marcelo fez de mim, e para explorar o que poderia estar acontecendo, com controles rigorosos e múltiplas hipóteses, sugeri um experimento que daria resultados que seriam considerados mesmo academicamente. Não seria perda de tempo com acreditar ou não acreditar.

  • Victor

    Isso aê!!! Sou Troller problem??

  • Douglas Penna

    Então… o objetivo em si não é testar a astrologia como um todo, mas apenas um astrólogo em particular. Sistemas utilizados, Kentaro, tem vários, basta escolher, mas uma boa bibliografia para começar seria “Curso Básico de Astrologia – Volume 1 – Principios Fundamentais” de Marion D. March e Joan McEvers.

    Nesse livro terá várias explicações sobre as energias dos planetas, dos signos e dos planetas em cada signo. Daria até para você mesmo fazer os 20 mapas de curiosidade, o seu, da sua esposa, etc. Agora, isso está longe de provar a astrologia, pelas razões do número de fatores que lhe apresentei, servindo mais a critério de matar a curiosidade do que qualquer outra coisa (ver como você faz sexo no seu mapa é algo realmente impressionante…).

    Assim, colocar os mapas e pedir para associar com perfis serve apenas para verificar a validade de um astrólogo… e se o cara é bom MESMO. Pois se até em instituições de engenharia renomadas os engenheiros usam fatores de segurança nos seus cálculos, devemos ter um critério na astrologia quanto aos “acertos”.

    @Mori: Douglas, repito minha concordância, mas repito a ressalva de que caso o astrólogo detalhe os critérios objetivos que utilizou para chegar aos resultados que enviará ao teste, o experimento não verificará *apenas* a validade do astrólogo, mas também a dos critérios que ele expor. E isso pode vir a incluir a astrologia em geral se os critérios forem de fato mais correntes na área.

    Porque? Porque muitas das definições são abertas, e devem ser interpretadas sem um fanatismo xiita. Por exemplo: digamos que dê no mapa de alguém que ele “nasceu para ser militar” (só a critério de exemplo, ok?) e ele na verdade está dando aulas. Seria interessante ver a aula dessa pessoa, e como ela se comporta em casa, pois provavelmente todo essa forma “militar” iria se manifestar na sua vida.

    @Mori: As definições abertas e a subjetividade da avaliação de acerto e erro é justamente um dos pontos principais que a proposta que fiz busca averiguar. Não é apenas o teste ser cego que torna o experimento mais rigoroso, é também o fato de que propus que o questionário seja composto primariamente por alternativas de múltipla escolha, com perguntas definidas de antemão. Assim, por exemplo, no caso hipotético que você sugeriu, o astrólogo poderia formular a pergunta “você preza a hierarquia?”.

    O estudo que achei mais interessante sobre a validade da astrologia foi este aqui, pois nenhum astrólogo olhou na cara das pessoas:

    http://www.deldebbio.com.br/index.php/2010/06/15/astrologia-e-ciencia/

    Acho que se formos pesquisar isso a fundo, caberia continuar um experimento como este ou um do Gauquelin. Aliás, o que você acha dos experimentos do Gauquelin?

    @Mori: Ih… Gauquelin é uma longa história!

    Na minha visão eles são um pouco limitados, mas também pudera, naquela época… Hoje já teria como realizar uma outra análise, como um k-médias ou uma análise de componentes principais numa população… e deixar a máquina achar as similaridades… será que encontraríamos algo? Creio que sim, mas para isso precisa de verba (e pessoal).

    @Mori: Aí é que está, se não definirmos de antemão o que estamos procurando, com certeza encontraríamos algo. Esse é um problema comumente encontrado em estudos na área do paranormal, em busca de anomalias. Isso, somado a outros fatores, como os que mencionei em comentário anterior e que Malcolm Gladwell conta no Outliers, tornam a questão realmente bem complicada. Veja, por exemplo:
    http://www.socialproblemindex.ualberta.ca/Relage.htm
    Por isso, volto a enfatizar por que propus o experimento que propus. Não é o “ultimate test” da astrologia, pelo contrário, será apenas mais um estudo exploratório a somar-se a uma vasta literatura. Minha pretensão é pequena, de testar uma hipótese simples e clara — a de que algum astrólogo, aplicando a astrologia como melhor entender (e detalhando-a) consiga associar mapas atrais a perfis de personalidade. E é justamente esta a alegação essencial que o Marcelo vem promovendo.
    Ele já se recusou, e se não houver jeito mesmo, elaboramos um outro protocolo, com outros astrólogos, outras hipóteses principais a testar…

  • Douglas Penna

    Então, Kentaro,

    Apenas quanto à última coisa, sobre realizar um k-médias ou algo semelhante. É possível sim identificar os agrupamentos, mesmo não sabendo o que eles representam a princípio. Essa é uma técnica amplamente utilizada em métodos multivariados, e serve justamente quando temos uma quantidade massiva de dados e não conseguimos encontrar de cara algo visível.

    http://www.inf.ufsc.br/~patrec/agrupamentos.html

    De fato, creio que isso iria realmente verificar se a astrologia, I-ching ou qualquer um desses métodos funciona. Porquê? Porque podemos definir de antemão o número de grupos que desejamos encontrar. Caso estejamos analizando um planeta em particular, dentre todas as características respondidas (multipla escolha como vc disse) poderíamos associar os perfis às posições do planeta no mapa Natal.

    Como método podemos escolher um autor específico, e elaborar as perguntas que você em cima do que aquele autor (um consagrado, como o Rudhyar, a Liz Greene ou o que indiquei) escreveu sobre o assunto. Faremos as perguntas de maneiras diferentes, para verificar aderência do pensamento, entre outras coisas.

    Caso você esteja interessado, tem meu email nos comentários.

    @Mori: Muito interessante, Douglas! E se eu lhe disser que JÁ tenho um conjunto de dados com mais de mil questionários do teste de astrologia reversa, contendo tanto as respostas de auto-avaliação a 84 traços de personalidade (em http://bemzen.uol.com.br/astrologia-reversa ), quanto a data de nascimento?
    Esse conjunto tem vários problemas — coletado via internet, não houve verificação dos dados, e mesmo a data é definida apenas pelo dia, sem horário.
    Ainda assim, você estaria interessado em analisar este conjunto de dados através de uma análise automatizada de clustering, com metodologia definida *antes* de eu lhe fornecer o conjunto de dados?
    Este teste de Astrologia Reversa no BemZen foi originalmente traduzido por mim e disponibilizado no CeticismoAberto por vários anos, onde milhares de pessoas responaderam e enviarem seus dados para que fossem analisados. isso ainda não foi feito.

  • super

    Affffff eu sou pedobear !!!! (de verdade) Mas meu signo foi o okay ! Tá errado isso eu quero pegar criancinha :S

  • Sergio

    Não é de agora que o Del debbio foge e dá desculpas esfarrapadas quanto a uma experiência melhor controlada.

    Em um estudo que Ele iria realizar sobre o signo solar dos vencedores de F1 ( que ele não fez!) fica demonstrado (no link abaixo) que não existe relação nenhuma.
    Leiam o link ( debate entre Mori e Del debbio) e entendam melhor.

    http://grandeabobora.com/usando-estatistica-para-desmascarar-a-astrologia.html

  • Preta-Velha de Ogum

    Se você achou interessante o Mapa que o Marcelo fez para você; você deveria estudá-lo e averiguar as coisas que se encaixam na sua personalidade, na sua vida, nos seus sentimento, e se as coisas funcionarem, se contentar com isso. Vc pode gastar seu tempo lendo seu próprio mapa astral enquanto aprende como astrologia funciona com um outro astrólogo? Só assim você pode verificar a validade da astrologia. De um modo pessoal. Mas você prefere não se envolver de uma forma direta, não é?

    @Mori: “Só assim você pode verificar a validade da astrologia”. Só assim mesmo? Mente muito fechada, Fatima. Eu gostaria ao menos de tentar explorar a questão de formas diferentes, além da que você mencionou. Há um mundo de possibilidades, e há séculos de metodologias e dezenas de experimentos que podemos conhecer que seriam relevantes na apreciação da validade da astrologia.

  • Douglas Penna

    Kentaro, isso pode ser feito sim,

    Porém, como já disse, será estudado apenas a parte do Sol, a maneira como a pessoa se expõe ao mundo. Fora que não será visto a interação Casa/Signo, que eu considero MUITO importante, como já disse.

    Se você quer partir de uma hipótese que não tem fundamento, Kentaro, não importa se conseguirmos encontrar uma correlação ou não: o resultado será jogado no lixo. Acho que no mínimo deveríamos analisar dois fatores: planeta E casa.

    @Mori: Não seria um estudo NADA rigoroso, mas como eu tenho os dados, poderia ser melhor do que nada. Ou não. Sugeri a análise destes dados como algo adicional, complementar. Del Debbio me acusa de querer fazer um “circo”, mas desde o início, há mais de dois anos, venho efnatizando que estou interessado em promover testes, experimentos exploratórios. Pessoas pouco familiarizadas com a ciência vêem experimentos como coisas definitivas, porque na escola de 1 e 2 graus e na mídia costumam-se divulgar experimentos (quando são divulgados) como grandes testes que permitiram provar ou desprovar isso ou aquilo. Em verdade, raramente, se é que alguma vez — fora de ciências como a matemática — experimentos permitem chegar a conclusões tão claras quanto se imagina.

    Sem a hora, não tem como chegar em resultados válidos… pelo menos é o que penso. Caberia ver se é encontrada alguma correlação e de novo, são diversas categorias. Para ficar algo interpretável seria interessante realizar este questionario com base no que desejamos provar.

    Mas me mande os dados, para eu dar uma olhada. Não custa nada.

    @Mori: Custa apenas algum tempo. Vou enviar um email para discutirmos em privado e enviar os dados.

  • Douglas Penna

    Puts, Kentaro,

    Olhei no final da página, e não é a data que tem, apenas o período que nasceu. Isso vai quase que impossibilitar a aplicação do método, pois terão grande pontos com um monte de características.

    @Mori: Além de escolher o período, quase todos os que enviaram seus dados forneceram a data de nascimento. A data, com dia. Se não me engano alguns com horário e local, vários enviaram comentários próprios.

    Para você entender como devem estar os dados no K-médias, mais ou menos, para que o método seja utilizado de maneira eficaz:

    http://en.wikipedia.org/wiki/File:Iris_Flowers_Clustering_kMeans.svg

    Proponho realizar um teste semelhante, mas com características que descrevam o signo de maneira forte, e também colhendo os dados com relação aos outros planetas.

    E particularmente na “prova” estatística que o Sérgio colocou ali em cima há dois erros, na minha visão: checar a normalidade da distribuição e não ter considerado que o 12 fica logo antes do 1 no ano. Não basta ter a ferramenta, tem que saber usar.

    @Mori: Vou enviar os dados a você. Só precisamos acertar alguns detalhes antes, em privado. Conquanto você delineie a metodologia com que pretende analisar os dados ANTES de analisá-los, formulando uma (ou mais) hipóteses, como a normalidade da distruição e afins, vou dar uma conferida, consultando colegas, podemos conversar e discvutir sobre alguma eventual mudança. Nada muito complicado, só o básico.

  • Mélanni

    Desafio Aceito ;D

  • Douglas Penna

    Beleza,

    Então estarei esperando seu email para passar a metodologia.

    Abs

  • Will

    TUMBLR???

    A maioria ai saiu do 4chan ¬¬

  • Emilly

    E sou o Fuck Yea kkkkkk

  • Anita

    TROLL!!! UHUUUUUL

  • http://www.twitter.com/neehh Vanessa

    eu sou uma Forever…. alone… ¬¬’
    saccana. mais gostei kkk.

  • Flavio

    UHUL FUCK YEA o/

  • Flavio

    UHUL FUCK YEA o/

Especiais

Japão em 2 minutos

Parceiros

Ocioso Sweetlicious Papricast naointendo ahnegao naosalvo Jogos online

Newsletter

Não perca nenhum post do Sedentário & Hiperativo!

Mensagens semanais e pontuais.