Tirando espinho do dedo

Ainda bem que o cara tava “anestesiado”, pois mainha não teve dó não.

– Bota pitú em cima. – Não vou gastar minha cachaça não!!

Desde garoto sofre com as brincadeiras de seus professores que na hora da chamada insistem na piadinha “é o Júnior da Sandy?”. Otimista de plantão, acredita em duendes e no Brasil sem corrupção. Não ouviu o último do Caetano, mas achou uma merda. Leu todos os clássicos da literatura universal sempre com uma revista de sacanagem aberta no meio. Inventou a vassoura com MP3 player e câmera digital e pretende ficar rico com isso. Pretende fazer um mochilão a pão e água de Mossoró a Sinop no próximo ano. Nunca viu um disco voador e morre de medo de barata, “mas só daquelas grandes que voam”.

  • Pacificador

    Cara, com aquele bafão de cachaça que cidadão devia estar, não sei como a tia lá não ficou zureta, e não acabou arrancando alguma outra coisa do cabra…